destaques
conteúdo
publicidade
curtas

Fundação Iberê Camargo promove seminário e formação em mediação cultural +

O Programa Educativo da Fundação Iberê Camargo realiza em 05, 06 e 07/10/18 de o Seminário de Formação em Mediação e o Minicurso A Escola e o Museu, o Professor e o Mediador, que tem por objetivo contribuir efetivamente para a formação de profissionais que atuam nos campos da arte e educação.
Com entrada franca a todos os interessados, para fomentar os debates que cercam as práticas de mediação, experiência e acesso à arte e cultura, as atividades contam com a presença do professor de Filosofia e Educação na Universidade de Barcelona (Espanha), Jorge Larrosa, especialista em mediação cultural; o crítico de arte e curador independente Marcus Lontra; Zita Possamai pós-doutora e professor no Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio e a curadora, crítica de arte, jornalista e professora Daniela Name .
Já o Minicurso A Escola e o Museu, o Professor e o Mediador acontece nos dias 09, 10 e 11/10/18 e é destinado a profissionais da área de museologia, artistas, mediadores, curadores e professores. Ministrado pelo professor Jorge Larrosa, o minicurso vai abordar temas como a mediação artística como artesania; espaços, tempos, materialidades e práticas da mediação artística e o vocabulário do ofício de mediador.

Confira o cronograma:
05/10/18 - O Que É, Para Que Serve e Para Quem É o Museu?
14h - Credenciamento
14h30 - Seminário Por um Museu Acessível como Ponto de Partida, Marcus Lontra
16h - Coffee Break
16h30 - Oficina de práticas em mediação, com Programa Educativo da Fundação Iberê
18h - Seminário Museu, História e Formação, com Zita Possamai
20h - Encerramento

06/10/18 - Quem faz o museu?
14h - Credenciamento
14h30 – Palestra Curadoria, educativo e critica de arte, com Daniela Name
16h - Coffee Break
16h30 - Conversa Afetividade e Formação de novos públicos, com Programa Educativo da Fundação Iberê
18h - Apresentação musical no Átrio da Fundação Iberê
19h - Encerramento

07/10/18 - Para Onde Vai o Museu?
14h - Credenciamento
14h30 - Seminário Renovar um mundo comum, com Jorge Larrosa
18h - Encerramento e entrega de certificados

Número de vagas: 100 - gratuito
Inscrições até o dia 30/09 (ou enquanto houver vagas), pelo site www.iberecamargo.org.br
-
Curso A Escola e o Museu, o Professor e o Mediador
Dias 9, 10 e 11/10
Das 14h às 17h - A mediação artística como artesania
Das 14h às 17h - Espaços, tempos, materialidades e práticas da mediação artística
Das 14h às 17h - O vocabulário do ofício de mediador
Número de vagas: 30
Inscrições até o dia 30 de setembro, pelo link: https://goo.gl/forms/5umdyES4xTE89esQ2
Valor: R$ 350,00
|
Mais informações:
Fundação Iberê Camargo
avenida Padre Cacique, 2.000. Tel.: (51) 3247-8000.
www.iberecamargo.org.br

Post Mapa das Artes foi censurado pelo Facebook +

O post do Mapa das Artes “Les Gens d’Uterpan” foi censurado no site da rede social Facebook neste sábado, 15/09/18. A postagem foi banida por diretrizes de nudez para a clássica fotografia de Philippe Halsman, com Salvador Dalí montando a imagem de um crânio com corpos femininos.

Mais uma vez o controle de imagens da rede tem atacado a maior parte dos compartilhamentos de imagens de obras de arte, como aconteceu com a “Vênus de Willendorf”, estátua pré-histórica considerada obra-prima da era paleolítica de 30 mil anos, ou a escultura “O Beijo” de Rodin, até a clássica L'Origine du Monde (A Origem do Mundo) de Gustave Courbet.

O professor francês Frederic Durand-Baissas ( que fotografiou a Origem do Mundo no Louvre) levou seu caso até os tribunais para acusar a rede social de ter levado a cabo um ato de censura. O tribunal por sua vez decidiu que o argumento do Facebook era "abusivo" e manteve a decisão que já tinha sido tomada em primeira instância, dando ao professor francês o direito de agir judicialmente contra a rede social no seu país.
O esclarecimento da rede, nas chamadas "regras da comunidade", diz que a nudez explícita é proibida porque a audiência poderá ser sensível a esse tipo de conteúdo. O Facebook já voltou atrás em bloqueios do gênero e pediu desculpas uma vez que na imagem não estava patente uma "nudez real".
O Mapa das Artes ficou três dias bloqueado pela rede social.

Mas continua aberta a chamada do coletivo francês Les Gens d’Uterpan, composto pelos coreógrafos Annie Vigier e Franck Apertet, para a convocatória para a performance “Pièce en 7 morceaux”, exibida pela primeira vez no Brasil, na Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre.
Até 19/10/18 podem se inscrever dançarinos homens e mulheres no link disponível na página do site da Fundação Iberê. As apresentações ocorrem nos dias 24 e 25/11 e 1 e 2/12.

Colecionadoras definem curadoria do programa Solo na ArtRio 2018 +

A ArtRio convida as colecionadoras Genny Nissenbaum e Mara Fainziliber para serem responsáveis pela linha curatorial do programa Solo em 2018. A curadoria trará importantes características de suas coleções pessoais na seleção das obras e artistas.
O Solo ocupa uma área de 300 metros quadrados, com a participação de 12 galerias e estandes localizados no espaço próximo à esplanada da Marina da Glória e serão todos interligados, possibilitando uma visitação mais integrada. Genny e Mara decidiram, junto com as galerias, quais artistas estariam presentes, a seleção das obras que compõe o programa este ano, entre destaques importantes da arte contemporânea.
A ArtRio acontece de 26 a 30/09, na Marina da Glória.
Confira a lista das galerias confirmadas:

Anita Schwartz Galeria de Arte e Galeria Millan – Rio de Janeiro e São Paulo
Artista – Lenora de Barros
Bergamin e Gomide – São Paulo
Artista – Mira Schendel
David Zwirner – Nova York
Artista – Carol Bove
Galeria da Gávea – Rio de Janeiro
Artista – Ana Stewart
Galeria Jaqueline Martins – São Paulo
Artista – Lydia Okumura
Galeria Luisa Strina – São Paulo
Artista – Renata Lucas
Galeria Marcelo Guarnieri – Ribeirão Preto
Artista – Gabriela Machado
Galeria Nara Roesler – São Paulo / Rio de Janeiro
Artista – Berna Reale
Lehmann Maupin – Nova York
Artista – Robin Rhode
Lurixs – Rio de Janeiro
Artista – Beth Jobim
Luciana Caravello Arte Contemporânea – Rio de Janeiro
Artista – Adrianna Eu
Mendes Wood DM – São Paulo
Artista – Anna Bella Geiger
Silvia Cintra + Box 4
Artista – Iole de Freitas
|
Mais informações:
ArtRio 2018
De 27 a 30/09 | Ingressos a R$ 40 / R$ 20
Marina da Glória - Av. Infante Dom Henrique, S/N – Glória – Rio de Janeiro. www.artrio.com

5º Circuito CIGA movimenta artes no RJ às vésperas da 8ª ArtRio +

Nos dias 24 e 25/9, segunda e terça-feira, boa parte das galerias cariocas abrem simultaneamente exposições em seus espaços com o intuito de estimular a visitação às galerias, museus e centros culturais cariocas às vésperas da 8ª edição da feira de arte ArtRio, cuja 8ª edição acontece entre 26 e 30/9, na Marina da Glória. Confira abaixo a programação completa do evento:

Segunda-feira, 24/09

Copacabana

Artur Fidalgo Galeria (Rua Siqueira Campos 143, loja 1, 2º piso)
Guga Ferraz (Rio de Janeiro, 1974) apresenta uma série de obras inéditas, entre desenhos e esculturas realizadas de 2017 para cá. Com o título de Alegoria - Mula sem cabeça ou a cidade que casou com o Bispo, a exposição elege como ponto de partida a mítica lenda da mula, presente no imaginário de diferentes culturas, e adapta sua narrativa ao contexto político do Rio de Janeiro, cidade onde vive e trabalha.

Galeria Inox (Av. Atlântica 4240, subsolo 101 e 132, Shopping Cassino Atlântico)
Abertura da individual "Clareira", de Felippe Sabino.

Galeria Patricia Costa (Av. Atlântica 4240, Loja 226, Shopping Cassino Atlântico)
Exposição do artista Luiz Áquila, com nove pinturas inéditas em tinta acrílica. Desde os anos 60, Luiz Áquila, com o intenso desejo de experimentar, faz ensaios em xilogravura, gravura em metal e litografia, além de desenho e pintura, que desenvolve em todo o seu percurso. Viveu no Rio de Janeiro, Paris, Lisboa, Évora e Londres. Ao longo da carreira, participou de mais de 200 exposições (individuais e coletivas) no Brasil e no exterior, sendo chamado pelo crítico Frederico Morais de "herói de sua própria pintura".

Marcia Barrozo do Amaral (Av. Atlântica 4.240 subsolo 129, Shopping Cassino Atlântico)
Exposição "Ver Te", individual de Fernando Leite.

Movimento Arte Contemporânea (Av. Atlântica 4240, lojas 212 e 213, Shopping Cassino Atlântico)
Após quatro anos, Arthur Arnold volta ao Rio de Janeiro com a exposição 'Massas'. Em sua terceira individual na Galeria Movimento, o artista explora a diluição da individualidade de cada um de nós em meio às multidões que nos cercam. Telas grandiosas mostram aglomerações inspiradas em torcidas de futebol, cultos religiosos, protestos, shows de música e festas populares e retratam a incorporação do indivíduo pelas massas. A curadoria é de Isabel Sanson Portella, que repete a parceria com o artista após a coletiva Estranhamentos.

Espaço Cultural M.D. Gotlib (Av. Atlântica 4240, loja 312, Shopping Cassino Atlântico)
Abertura da coletiva "Brota Vidas", com obras de Bel Roberts, Dalton Romão, Martha Werneck, Lourdes Barreto, Ricardo Pereira e Vladimir Machado.

Ipanema

Cassia Bomeny Galeria (Rua Garcia d'Avila, 196)
A galeria recebe a exposição "Fora da Palavra", com obras inéditas de Hilal Sami Hilal, artista capixaba de ascendência síria, que já fez exposições em importantes instituições no Rio de Janeiro, como MAM Rio e Museu da Chácara do Céu. Com curadoria de Vanda Klabin, serão apresentadas cerca de 20 obras, produzidas este ano, dentre trabalhos feitos em cobre oxidado e corroído e em papel artesanal pigmentado.

Galeria de Arte Ipanema (R. Aníbal de Mendonça, 27)
A galeria traz a exposição "Alfredo Volpi e Ione Saldanha: o frescor da luminosidade", que homenageia o grande artista Alfredo Volpi (1896-1988) em seus trinta anos de morte, reunindo 66 obras suas em diálogo com outros 20 trabalhos de Ione Saldanha (1919 – 2001). A curadoria é de Paulo Venancio Filho.

Simone Cadinelli Arte Contemporânea (R. Aníbal de Mendonça, 171)
"Colapsos", exposição individual do artista Claudio Tobinaga. Com curadoria de Cezar Bartholomeu, a mostra reúne cerca de 30 pinturas, em pequenos e grandes formatos, inspiradas em fotografias coletadas da internet e pautadas no subúrbio carioca. Neste cenário, as fotos se transformam em uma mise-en-scène, explorando uma narrativa quase cinematográfica. A atmosfera do ordinário toma contornos de um existencialismo barato, com uma superfície que seduz e ao mesmo tempo engana. As imagens ganham um novo significado aberto a diversas interpretações, com uma roupagem bastante pop.

São Conrado

Gaby Indio da Costa Arte Contemporânea (Estrada da Gávea, 712 sala 407)
Finissage da exposição "Conexões", individual de Bel Barcellos, com a presença da artista. A curadoria é de Gabriela Davies.

Samba Arte Contemporânea (Estrada da Gávea 899, loja 218B, 2º piso, Shopping Fashion Mall)
Coletiva "Em torno de Loio-Pérsio" com 15 pinturas do artista e obras de Adriano de Aquino, Aluisio Carvão, Amelia Toledo, Arcangelo Ianelli, Celso Renato, Chico Fortunato, Décio Vieira, Frans Krajcberg, Gonçalo Ivo, João José Costa, Katie van Scherpenberg, Manfredo de Souzanetto, Marilia Gianetti, Ronaldo do Rego Macedo e Rubem Ludolf. A curadoria é de Luiz Eduardo Meira de Vasconcellos.

Leblon

Mul.ti.plo Espaço Arte (Rua Dias Ferreira, 417 - Sala 206)
Exposição individual de Rodrigo Andrade.

Lurixs Arte Contemporânea (Rua Dias Ferreira, 214)
Exposição "balanço/seta/janela", individual de Raul Mourão. Inspirado pela paisagem urbana, Raul Mourão cria esculturas, pinturas, fotografias, vídeos, instalações e performances desde o final da década de 1980. Construídas com diversos materiais, suas obras transitam entre dois campos opostos: o ficcional e o documental. De um lado, estão as criações puras, concebidas a partir da fantasia; do outro, estão as obras nascidas das observações do real – a cidade, o futebol, a política ou os botequins.

Terça-feira, 25/09

Botafogo

Athena Contemporânea (Rua Estácio Coimbra, 50)
Exposição "Com o ar pesado demais para respirar", coletiva dos artistas representados pela galeria, com curadoria de Lisette Lagnado.

Cavalo (Rua Sorocaba, 51)
Individual do artista finlandês Kari Cavén.

Pinakotheke (Rua São Clemente, 300)
Exposição retrospectiva nos 90 anos do artista Flávio Shiró.

Portas Vilaseca Galeria (Rua Dona Mariana, 137)
Coletiva Molt Bé!, com os 16 artistas representados pela galeria: Ana Hupe, Ayrson Heráclito, Carolina Martinez, Claudia Hersz, Deborah Engel, Felipe Seixas, Gabriel Secchin, Iris Helena, Ismael Monticelli, Jorge Soledar, Lin Lima, Mano Penalva, Pedro Victor Brandão, Ramonn Vieitez, Raquel Nava e Solange Escosteguy.

Jardim Botânico

Carpintaria (Rua Jardim Botânico, 971)
O artista brasileiro Iran do Espírito Santo (Mococa, 1963) exibe uma seleção de trabalhos inéditos ao lado de obras do norte-americano Fred Sandback (Bronxville, 1943 - Nova York, 2003) na Carpintaria, espaço da Fortes D'Aloia & Gabriel no Rio de Janeiro cuja vocação é a proposição de diálogos, encontros e exercícios de pensamento entre diferentes artistas, formas de expressão e linguagens. O dueto, realizado em conjunto com o Fred Sandback Estate e a David Zwirner Gallery, sublinha as afinidades criativas das vastas produções artísticas da dupla, ainda que suas trajetórias estejam separadas por intervalos geracionais e distâncias geográficas.

C. Galeria (Rua Visconde de Carandaí, 19)
Individual "Copydesk", de Eloá Carvalho, com curadoria de Raphael Fonseca.

Gávea

Anita Schwartz Galeria (Rua José Roberto Macedo Soares, 30)
Exposição "Os olhos cheios de terra", individual de Rodrigo Braga. A obra central, e que dá nome à exposição, é uma instalação que ocupará o grande salão térreo do edifício de três andares no Baixo Gávea, com desenhos, serigrafias, objetos, vídeo e fotografias. No segundo andar estarão fotografias resultantes de uma imersão do artista na galeria, em que realizou durante uma semana ações corporais, registradas também em vídeo.

Galeria Paçoca (Rua Major Rubens Vaz, 103)
Exposição individual de Smael.

Marquês 456 (Rua Marquês de São Vicente, 456)
Preview da exposição "POST(e)", individual do artista André Sheik, com curadoria de Raul Mourão.

Mercedes Viegas Arte Contemporânea (Rua João Borges, 86)
Exposição "Angelus", individual de Maria Baigur, com visita guiada pela artista.

Galeria Silvia Cintra + Box 4 (Rua das Acácias 104)
Preview da exposição "Através do olhar dourado", individual de Miguel Rio Branco.

Catete

Galeria do Lago (Rua do Catete 153, Museu da República)
Exposição "Fora/Dentro", Individual de Raul Mourão, com com curadoria de Isabel Sanson Portella.

Glória

Galeria Oriente (Rua do Russel, 300 - conjunto 401)
Abertura da exposição "Jardineiros", individual de Thiago Barros.
#
ARTRIO 2018
Dias: de 26/9 (quarta-feira, para convidados) a 30 de setembro (quinta a domingo)
Horários: Quarta a sábado – 13h às 21h
Domingo - 13h às 20h
Marina da Glória - Av. Infante Dom Henrique, s/n, Glória, www.artrio.com

Instituto Cervantes do Rio de Janeiro sedia 6º Seminário de Informação em Arte +

O Instituto Cervantes do Rio de Janeiro sedia em 24 e 25/09/18, o 6º Seminário de Informação em Arte, realizado pela Redarte/RJ, que vem promovendo, desde 1995, encontros, palestras, seminários, cursos e eventos, nas áreas de arte e biblioteconomia.
O sexto seminário busca ampliar o debate sobre temas relacionados a bibliotecas e a arte, cujo tema geral será Arte, Cultura e Informação na perspectiva da Agenda 2030 e contará com a participação de Glòria Pérez-Salmerón, presidente da Federação Internacional de Associações de Bibliotecários e Bibliotecas (IFLA). Haverá apresentação de trabalhos, debates, espaço para exposição, de estudantes e profissionais atuantes em Centros de Informação, Museus e Bibliotecas, tanto públicas como particulares.

Palestrantes confirmados são: Glòria Pérez-Salmerón, presidente da IFLA; Gustavo Barreto, do Centro de Informação das Nações Unidas – UNIC no Rio de Janeiro; Adriana Ferrari, presidente da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários – FEBAB; Lena Vânia R. Pinheiro, do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – IBICT; Adauto Candido Soares, da UNESCO; Isabel Ayres, coordenadora da Biblioteca Walter Wey e Centro de Documentação e Memória da Pinacoteca de São Paulo; Ana Ligia Silva Medeiros, diretora do Centro de Memória e Informação da Fundação Casa de Rui Barbosa. O evento também contará com exposição de obras do artista plástico Deneir Martins.
|
Mais informações:
Instituto Cervantes Rio de Janeiro
Botafogo: r. Visconde de Ouro Preto, 62 - Rio de Janeiro – RJ

www.doity.com.br/6-seminario-de-informacao-em-arte

www.redarterj.com | www.riodejaneiro.cervantes.es

Eixo Arte lança exposição virtual no Reserva Cultural Niterói +

A Eixo realiza em 29/09/18, das 19h às 22h, o lançamento da sua 20ª exposição virtual “Eixo – Deslocamentos” na Galeria do Reserva Cultural Niterói. A exposição reúne 25 artistas brasileiros com a curadoria de Vilmar Madruga. A inauguração ocorre durante a semana de arte mais movimentada na Cidade do Rio de Janeiro, com a Feira de Internacional de Arte – ArtRio. Na ocasião, é exibido o vídeo da exposição virtual e contará com duas ações performáticas de Luiz Badia e Ana Marta Moura.

A exposição propõe deslocar o eixo interrogativo sobre a questão da representatividade da imagem, para evidenciar novos campos de experimentação e investigações de diversas linhas poéticas dos artistas participantes. Não se trata de reforçar qualquer discurso sobre a crise da imagem pós-moderna, mas trazer à luz obras que contribuam com sua diferença ou estranheza para a ampliação do campo da provocação estética.

Participam Adilson d’Ávilla, Alejandro Zenha, Amanda Leite, Ana Marta Moura, CABANA, Caio Siqueira, Clara Infante, Grasi Fernasky, Icléa Eccard, Igor Morales, Ilana Bauberger, Isabella Scorzelli, Jabim Nunes, Jan M.O., Jane Maria, Laura Freitas, Ligia Calheiros, Lina Ponzi, Luiz Badia, Magda Sheeny, Maria Amelia Vianna, Mariana Battistelli, Roberta Cani, Rose Aguiar e Tarcísio Paniago.
Curadoria de Vilmar Madruga.
|

Mais informações:
www.eixoarte.com.br

Galeria Reserva Cultural – Niterói
São Domingos: av. Visconde do Rio Branco, 880. Tel.: (21) 3604-1545.

Transborda Brasília Prêmio de Arte Contemporânea 2018 anuncia premiados +

O Transborda Brasília – Prêmio de Arte Contemporânea anunciou em 16/09/18, às 16h, os nomes dos artistas premiados: Gu da Cei, Hilan Bensusan, Laura Fraiz-Grijalba e Raquel Nava, que receberão prêmios de R$ 15 mil cada e um prêmio especial de pesquisa e acompanhamento crítico cada, em uma cerimônia na Galeria Acervo da CAIXA Cultural Brasília.

A comissão julgadora formada pelos críticos de arte e curadores Agnaldo Farias (SP), Clarissa Diniz (PE), Guga Carvalho (PI), Lisette Lagnado (RJ) e Marilia Panitz (DF). Cada artista receberá um prêmio aquisição no valor de R$15 mil e um prêmio especial de pesquisa e acompanhamento crítico com a crítica de arte e curadora Clarissa Diniz.

Os premiados

Gu da Cei é ceilandense e pesquisador da Faculdade de Comunicação-UnB. Atualmente desenvolve o seu trabalho no âmbito da intervenção urbana, performance e vídeo, além de buscar compreender as possibilidades dialógicas entre processos históricos e contemporâneos da fotografia, bem como seus espaços de exibição e circulação. Alguns de seus lambe-lambes também podem ser conferidos no volume 8 do livro “O Direito Achado na Rua”. Gu da Cei yes. Gu da Cei nada com nada. Gu da Cei tudo.

Hilan Bensusan faz performance, filosofia e instalação. Habita a República Burguesa. Ensina e investiga na Universidade de Brasília temas como animismo, hospitalidade, futuros inorgânicos e interrupções. Fez performances e instalações em cidades como Bogotá, Bruxelas, Brasília, São Paulo, Londres, México, Paris, Montes Claros e Shashamane. Expôs em coletivas em Brasília, São Paulo, Lisboa, Brighton e Londres. Interessa-se pelas palavras situadas, pelas escritas desenhadas e pelas insolências públicas.

Laura Fraiz-Grijalba nasceu em São Paulo em 1996 e vive em Brasília há seis anos. Trabalha principalmente com gravura e vídeo, utilizando-se da apropriação de elementos da internet e do uso da própria imagem para falar sobre memória, violência e intimidade.

Raquel Nava investiga o ciclo da matéria orgânica e inorgânica em relação aos desejos e hábitos culturais, usando taxidermia e restos biológicos de animais justapostos à materiais industrializados em suas instalações, objetos e fotografias. A variação cromática com a qual trabalha nos objetos e fotografias se aproxima da paleta utilizada na sua produção de pintura. A diversidade de sua produção está nos experimentos com técnicas e materiais, mas sempre surge uma referência aos órgãos ou aos organismos.

Ao longo de dois meses, a curadora e membro da Comissão de Seleção Clarissa Diniz irá acompanhar e orientar a pesquisa artística dos premiados, com foco no processo de criação e desenvolvimento poético de seu trabalho. Sendo que ao final do acompanhamento crítico, o artista deverá produzir um trabalho inédito.

Como parte da cerimônia, ocorre uma visita mediada com as curadoras Clarissa Diniz e Marilia Panitz, e a realização da Performance “Avast Experience: antidol 2018”, da artista selecionada ao prêmio Kabe Rodriguez.

A visita mediada e performance têm entrada franca e classificação indicativa livre para todos os públicos, com exceção da obra “Mordente”, que tem classificação indicativa para maiores de 18 anos.
|
Mais informações:
Caixa Cultural Brasília
Asa Sul: (SCS) Quadra 4 Lotes 3 / 4. Tel. (61) 3206-9448 | 9449. Ter., a dom., 09h/21h.

Célio Braga, Cildo Meireles e outros brasileiros no exterior +

O artista mineiro radicado entre São Paulo e Amsterdã Célio Braga participa da mostra coletiva “For Beyond the Body“ (Além do Corpo), em cartaz no KunstCentret Silkeborg Bad, em Silkeborg, na Dinamarca, entre 1/9 e 9/12/18. O local é antiga instituição de saúde que data do século XIX. A curadoria é da holandesa Anne Berk. Participam ainda os artistas Erzsébet Baerveldt, Caspar Berger, Antoine Berghs, Martin uit den Bogaard, Alexandra Bremers, Esther Bruggink, David Claerbout, Desirée Dolron, Jeroen Eisinga, Jelle Kampen, Ida van der Lee/Art Studio Ritual, Janpeter Muilwijk, Alet Pilon, Jan Thomas, Jan Dietvorst e Roy Villevoye. A mostra será inaugurada pelo embaixador holandês na Dinamarca Henk Swarttouw. No dia 3/11, das 14h às 17h, os artistas são convidados a participar do “Ritual de Todas as Almas”, que acontece no Cemitério Silkeborg Vestre Ida van der Lee / Studio Ritual Art, apoiado pela Rede Ritual Europeia, cria All Souls Everywhere, um ritual coletivo de luto no cemitério local.
Lygia Pape tem mostra individual na sede nova-iorquina da galeria Hauser & Wirth entre 6/9 e 20/10/18.
|
Cildo Meireles (Galeria Luisa Strina) participa da mostra “A Tale of Two Worlds - Museo de Arte Moderno de Buenos Aires Experimental Latin American Art in Dialogue with the MMK Collection 1940s-1980s” em cartaz em Buenos Aires até 14/10/18.
|
Rochelle Costi (Luciana Brito Galeria de Arte) e Berna Reale (Galeria de Arte Nara Roesler) participam da 3ª Beijing Photo Biennal, na The Central Academy of Fine Arts, em Pequim (China), entre 28/9 e 28/11/18.
|
Alexandre da Cunha (Galeria Luisa Strina) realiza em colaboração com Phillip King a mostra “Duologue” na The Royal Society of Sculptors, em Londres, entre 26/9 e 2/12/18.
|
Leonor Antunes (Galeria Luisa Strina) realiza a mostra individual “The Last Days in Galliate” , com curadoria de Roberta Tenconi, no espaço Pirelli Hangar Bicocca, em Milão (Itália), entre 14/9 e 13/1/2019.
|
Clarissa Tossin (Galeria Luisa Strina) participa da mostra coletiva “Pacha, Llaqta, Wasichay: Indigenous Space, Modern Architecture, New Art”, com curadoria de Marcela Guerrero e Alana Hernandez. A mostra acontece entre 13/7 e 30/9/18 no Whitney Museum of American Art, em Nova York. Participa ainda da coletiva “Mon Nord est Ton Sud” no espaço La Kunsthalle Mulhouse, em Mulhouse (França) entre 13/9 e 11/11/18. A artista também foi selecionada para a 12ª Gwangju Biennale 2018, na Coréia do Sul, entre 7/9 e 11/11/18.
Tonico Lemos Auad (Galeria Luisa Strina) participa da mostra coletiva “New Materialism”, em cartaz no Bonniers Konsthall, em Estocolmo, na Suécia, entre 5/9 e 11/11/18. Curadoria de Magnus af Petersens e Caroline Elgh Klingborg.
|
Laura Lima (Galeria Luisa Strina), a dupla Dias & Riedweg (Galeria Vermelho) e Dora Longo Bahia (Galeria Vermelho) participam da 9ª Bienal de Busan (“Divided We Stand”), em Busan, na Coréia do Sul, entre 8/9 e 11/11/18. Curadoria de Cristina Ricupero, Jörg Heiser e Gahee Park.
|
Carla Zaccagnini (Galeria Vermelho) participa da mostra coletiva “Shout Fire” no Röda Sten Konsthall, em Gotemburgo, na Suécia, entre 1/9 e 18/11/18.
|
A dupla Dias & Riedweg (Galeria Vermelho) participa do Festival Images, na
Gare CFF, em Vevey, na Suíça, entre 8 e 30/9/18.
|
Cinthia Marcelle (Galeria Vermelho) participa do International Festival of Contemporary Academic Music na galeria estatal Tretyakov, em Moscou, na Rússia, entre 15/9 e 15/10/18.
|
Luzia Simons (Galeria Nara Roesler) realiza a mostra individual “Lustgarten” na Galerie Tristan Lorenz, em Frankfurt (Alemanha) entre 8/9 e 19/10/18 (tristanlorenz.de). A artista participa ainda da coletiva “Fo You”, entre 29/9 e 5/10/18, no Marienburg, em Berlim (www.foyou.de).
|
Vivian Caccuri (Galeria Leme) participa da coletiva “For the Record” na Ifa Gallery Berlin, na Alemanha, até 30/9/18. Em Londres, realiza a performance “Mosquitos Also Fly”, entre 4 e 7/10 na feira Frieze Live London. A artista ainda realiza residência na Delfina Foundation, também em Londres, até 30/9/18.
|
O grupo paulistano Bijari apresenta a obra “Contando Con Nosotros” em uma nova fase da exposição “Talking to Action”, na School of the Art Institute em Chicago (EUA) até 8/12/18. A mostra faz parte do projeto Pacific Standard Time LA/LA, iniciado em 2017 como um circuito de exposições que discutem a relação entre a cultura latina e as cidades norte-americanas. http://www.saic.edu/sullivangalleries/currentschedule/
|
O carioca Eduardo Kac (Luciana Caravello Galeria de Arte) apresenta a mostra “Inner Telescope” no espaço Sector 2337, em Chicago (EUA) a partir de 7/9/18. Curadoria de Fulla Abdul-Jabbar e Caroline Picard.
|
Jonathas de Andrade (Galeria Vermelho) participa da coletiva “Africamericanos” no Centro de la Imagen, na Cidade do México, entre 16/8 e 4/11/18.
|
O artista baiano Mano Penalva (Central Galeria) realiza sua primeira mostra individual nos EUA, na b[x] Gallery, em Nova York. “Hasta Tepito” tem curadoria de Julie Dumont e fica em cartaz até 5/10/18. Na ocasião, o público poderá ver o vídeo de mesmo nome da exposição, em que o artista retrata comerciantes andarilhos no bairro de Tepito, na Cidade do México.
|
Rivane Neuenschwander (Fortes D’Aloia & Gabriel) apresenta a mostra individual “El Nombre del Miedo” na galeria NC-Arte, em Bogotá, na Colômbia, até 22/9/18.
Anna Maria Maiolino e Cinthia Marcelle participam da coletiva “BRIC-à-brac: The Jumble of Growth”, na National Gallery of Modern and Contemporary Art, em Roma, até 14/10/18.
|
Daniel Steegmann Mangrané (Mendes Wood DM) participa das coletivas “I Was Raised on the Internet” no MCA Chicago, nos EUA, até 14/10/18, e “A Transparent Leaf instead of The Mouth”, no CCS Bard Hessel Museum of Art, em Nova York (até 14/10/18).
|
Sonia Gomes (Mendes Wood DM) participa da mostra coletiva “Tissage Tressage” na Villa Datris Foundation, na cidade francesa de L'Isle-sur-la-Sorgue, até 1/11/18.
|
A artista paulistana Fernanda Fehér vai expor no Festival de Cinema Queer Lisboa 2018. Fernanda é neta da fotógrafa Lily Sverner, que foi sua principal incentivadora. Formada em teatro e com curso de desenho e bacharelado pela NY Students League of Art, atualmente ela reside em Lisboa, onde participará do Festival de Cinema Queer Lisboa, um festival LGBT que tem como temática a AIDS. Ela será a única artista brasileira a expor na mostra que se chamará ‘O Vírus’. A mostra acontece entre 14 e 22/9/2018. Curadoria de Thomas Mendonça. http://queerlisboa.pt/
|
Juliana Cerqueira Leite (Casa Triângulo) participa do projeto “Sculpture in the City”, na Mitre Square, em Londres, entre 27/6/18 e 27/6/19. A praça londrina é um marco turístico na cidade, pois foi ali, no canto Sul, que foi encontrado o corpo de Catherine Eddowes, mutilado e esquartejado por Jack, o Estripador, em 30/9/1888.
|
Marlon de Azambuja participa da Cleveland Triennial for Contemporary Art, que acontece entre 14/7 e 30/9 no The Cleveland Museum of Art, nos EUA, A mostra conta ainda com a participação de Juan Araujo, Walead Beshty, Candice Breitz, Cyprien Gaillard, Luisa Lambri, Kerry James Marshall, Ad Minoliti, Sarah Morris, Allan Sekula, Yinka Shonibare, Jessica Stockholder, Heimo Zobernig e outros. www.frontart.org. O artista também aprticipa da mostra coletiva “En Construcción”, uma curadoria de Santiago Olmo no CGAC, em Santiago de Compostela (espanha), entre 6/7 e 28/10/18. Participan ainda Lara Almarcegui, Pablo Barreiro, Carlos Bunga, Rosendo Cid, Björn Dahlem, Tamara Feijoo, María Luisa Fernández, Fernanda Fragateiro, Juan Gopar, Hisae Ikenaga, Kiko Pérez, Tobias Rehberger, Jessica Stockholder e Héctor Zamora. http://cgac.xunta.gal.
|
O artista mineiro Paulo Nazareth (Mendes Wood DM) participa da mostra coletiva “Dancing with Myself”, no Palazzo Grassi, na Punta della Dogana, em Veneza (Itália), até 6/1/2019. A mostra conta ainda com obras de Alighiero Boetti, Marcel Broodthaers, Martin Kippenberger e outros.
|
A carioca Fernanda Gomes (Galeria Luisa Strina) realiza exposição individual no Museo Jumex, na Cidade do México, entre 29/7 e 14/10/18. Curadoria de Catalina Lozano. O trabalho de Fernanda Gomes é desenvolvido em estreita conexão com o espaço em que é exibido. Suas exposições freqüentemente envolvem arquiteturas dentro da arquitetura, gerando espaços em diferentes escalas. Para esta exposição, ela produziu obras - ou como ela as chama, "coisas" - em diálogo com as condições específicas da Galeria 1 do Museo Jumex, enquanto expande algumas de suas recentes explorações. www.fundacionjumex.org
|
Janaina Tschäpe (Fortes D’Aloia & Gabriel) participa da coletiva “Oceans. Imagining a Tidalectic Worldview” no Museum of Modern Art Dubrovnik, na Croácia, até 30/9/18.
|
Marina Rheingantz (Fortes D’Aloia & Gabriel) participa da Biennial of Painting: On Landscapes, uma coletiva em cartaz no Museum Dhondt-Dhaenens, em Deurle, na Bélgica, até 30/9/18.
|
Os artistas paulistanos Jac Leirner, Edgard de Souza e Ana Maria Tavares têm obras na mostra “Contra a Abstração, Obras da Coleção CGD”, uma coletiva em cartaz no Centro de Artes e Cultura de Ponte de Sor, em Portugal, até 27/10/18.
|
Renata Lucas (Galeria Luisa Strina) participa da 8ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Melle, na França, entre 30/7 e 23/9/18.
|
Ivan Grilo (Luciana Caravello Galeria de Arte e Casa Triângulo) participa da mostra coletiva “Ver as Vozes dos Artistas”, uma curadoria de Miguel Von Hafe Pérez para o Metro do Porto, em Portugal, em cartaz entre 22/6 e 22/9/18.
|
Albano Afonso (Casa Triângulo) participa da mostra coletiva “Pois Eu É Um Outro: Obras da Coleção Norlinda e José Lima”, uma curadoria de Miguel Amado para o Centro de Artes de Águeda, em Portugal, entre 26/5 e 28/10/18.
|
A instalação "Ciclotrama 50 (wind)" (2018), da artista Janaina Mello Landini, passa a fazer parte da coleção da Fondation Carmignac, na França. O trabalho está na exposição de longa duração que inaugurou a sede da instituição, na Ilha de Porquerolles, na França. A obra está na mostra “Sea of Desire", com curadoria de Dieter Buchhart, apresenta um recorte desta coleção criada há 27 anos por Edouard Carmignac. A proposta é estabelecer diálogos entre as produções de artistas icônicos - como Sandro Botticelli, Andy Warhol, Jean-Michel Basquiat, Roy Lichtenstein, Gerhard Richter, Andreas Gursky, Keith Haring, Martial Raysse - e a de nomes emergentes - como Jeppe Hein, Olaf Breuning e Jean Denant. A mostra fica em cartaz até 4/11/18.
|
Artur Barrio e Lenora de Barros (Galeria Millan), participam da mostra “A Tale of Two Worlds. Experimental Latin American Art in Dialogue with the MMK Collection 1940s-1980s”, coletiva no Museo de Arte Moderno de Buenos Aires, entre 7/7 e 14/10/18.
|
Geraldo de Barros (Luciana Brito Galeria de Arte) tem obras na mostra “Historia de Dos Mundos”, no Museo de Arte Moderno de Buenos Aires, na Argentina, até 14/10/18.
|
O fotógrafo brasileiro German Lorca participa da mostra coletiva “Shape of Light 100 Years of Photography ans Abstract Art” na Tate Modern, em Londres, até 14/10/18. A mostra apresenta mais de 350 obras de cerca 100 artistas, como László Moholy-Nagy, Man Ray, Edward Weston, Aaron Siskind, Floris Neusüss, Gottfried Jäger, Antony Cairns, Maya Rochat e Daisuke Yokota, entre outros. Curadoria de Simon Baker.
|
Leticia Parente, Regina Vater, Sonia Andrade têm obras na mostra coletiva “Feminist Avant-Garde of the 1970s (From The Sammlung Verbund Collection - Vienna”, no
Stanager Art Museum, em Stavanger, na Noruega, entre 15/6 e 14/10/18. Participam ainda Helena Almeida, Eleanor Antin, Anneke Barger, Lynda Benglis, Judith Bernstein, Renate Bertlmann, Dara Birnbaum, Teresa Burga, Marcella Campagnano, Judy Chicago, Linda Christanell, Lili Dujourie, Mary Beth Edelson, Renate Eisenegger, Valie Export, Esther Ferrer, Margaret Harrison, Lynn Hershman Leeson, Alexis Hunter, Sanja Iveković, Birgit Jürgenssen, Kirsten Justesen, Auguste Kronheim, Ketty La Rocca, Leslie Labowitz, Suzanne Lacy, Suzy Lake, Katalin Ladik, Brigitte Lang, Natalia LL, Karin Mack, Ana Mendieta, Rita Myers, Lorraine O’Grady, Orlan, Florentina Pakosta, Gina Pane, Letícia Parente, Ewa Partum, Friederike Pezold, Margot Pilz, Ulrike Rosenbach, Martha Rosler, Suzanne Santoro, Carolee Schneemann, Lydia Schouten, Elaine Shemilt, Cindy Sherman, Penny Slinger, Annegret Soltau, Betty Tompkins, Regina Vater, Hannah Wilke, Martha Wilson, Francesca Woodman e Nil Yalter. Curadoria de Gabriele Schor, Hanne Beate Ueland e Vibece Salthe.
|
A fotógrafa Claudia Andujar (Galeria Vermelho) participa entre 1/6 e 30/9/18 do Festival Photo de la Gacilly, no Jardin du Relais, em Gacilly, na França.
|
Renata Lucas (Galeria Luisa Strina) participa da 8ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Melle, no Quartier Mairie, em Melle (França), entre 30/6 e 23/9/18.
|
Ascânio MMM (Casa Triângulo) participa da coletiva “Latinoamerica: Volver al Futuro”, uma curadoria de Federico Baeza em cartaz no Museo de Arte Contemporaneo de Buenos Aires até 3/3/2019.
|
Thomas Farkas tem obras na coletiva “The Shape of Light:
100 Years of Photography and Abstract Art”, na Tate Modern, em Londres, até 14/10/18.
|
Hélio Oiticica tem mostra individual no ICA Miami até 11/11/2018.


Artista e ativista John Giorno desfila para coleção CDLM em Nova York +

O veterano artista plástico, poeta e ativista norte-americano John Giorno (1936) foi o grande destaque do desfile da grife CDLM na Peter Freeman Gallery, na New York Fashion Week. O modelo de 81 anos desfilou com um trench coat preto unissex e assim ajudou o designer Christopher Peters a lançar sua nova coleção.John Giorno é um artista performático e fundou uma empresa sem fins lucrativos de produção Giorno Poetry Systems, que organiza experiências multimídia e eventos. Ele tornou-se famoso após particiar do filme “Sleep” (1963), de Andy Warhol. Ele também é um ativista na luta contra a Aids e recolhimento de fundos, e um médico de longa data na tradição Nyingma do budismo tibetano.

Festival Artes Vertentes de Tiradentes chega à 7ª edição +

O Festival Artes Vertentes – Festival Internacional de Artes de Tiradentes chega à 7ª edição entre os dias 06 e 16/09/18 com programação diversa que ocupa a histórica cidade mineira de Tiradentes.A programação do festival tece um diálogo entre várias linguagens artísticas, que se complementam ao mote curatorial “Tiradentes: aldeia universal”, que propõe uma reflexão sobre o processo de construção e desconstrução da polis, a construção do patrimônio e da memória.

A programação de artes visuais apresenta obras de artistas brasileiros e estrangeiros, com destaque para a exposição “Se quiseres ser universal, começa por pintar a tua aldeia”, exposição individual do fotógrafo russo Serguei Maksimishin; além de mostras das obras dos artistas Nuno Ramos, Ana Alves, Caetano Dias, Nicia Braga, Hilal Sami Hilal, do britânico Mac Adams, Rick Rodrigues, Eduardo Hargreaves e dos alunos do curso de artes visuais da Ação Cultural Festival Artes Vertentes.

Confira a programação:

“Se Quiseres Ser Universal, Começa Por Pintar a Tua Aldeia”, exposição individual do fotógrafo russo Serguei Maksimishin.

06/09 a 16/09
UFMG Cultural Sobrado Quatro Cantos
Diariamente, das 10h às 17h.


Obras de Nuno Ramos, Mac Adams, Ana Alves, Caetano Dias, Nícia Braga e outros

06/09 a 16/09
Centro Cultural SesiMinas Yves Alves
Domingo a quarta-feira, das 9h às 18h, e quinta a sábado, das 9h às 22h


Instalação Urbana – Teias
Beco Zé Moura
A Aldeia-Cidade conectando com suas histórias, memórias e relações afetivas que crescem e se tencionam nas teias do tempo e espaço, obra proposta pelo Coletivo Cênica, coletivo de instalações efêmeras interativas.

06/09 a 16/09
Museu Casa Padre Toledo
Quarta-feira a segunda-feira, das 10h às 17h.


Obras de Hilal Sami Hilal, Mac Adams, Rick Rodrigues, Eduardo Hargreaves e dos alunos do curso de artes visuais da Ação Cultural Festival Artes Vertentes.

17/08 a 30/09
Paisagens Rotas, de Eduardo Hargreaves
Centro Cultural da UFSJ – Solar da Baronesa (São João del Rei)
Diariamente, das 8h às 20h

Paisagens Rotas é uma pesquisa visual em desenho que tem início na exploração de diversos materiais – carvão, pigmentos naturais, grafite, óleo de linhaça, cera de abelha e parafina.

#
Mais informações
www.artesvertentes.com

ArtRio 2018 terá agenda de debates e mesas redonda +

A 8ª edição da ArtRio, que acontece entre os dias 26 e 30/0, na Marina da Glória, terá o espaço Conversas ArtRio com debates e mesas redondas, além de vídeos sobre arte. Em parceria com a Villa Aymoré e o Canal Curta!, as conversas terão a participação de curadores, artistas, colecionadores e críticos de arte. As vagas são limitadas e as inscrições serão por ordem de chegada, nos dias de evento.
Confira a programação:

27/09
15h - Arte Brasileira e Latino americana no Tate Modern
Com Inti Guerrero (curador Tate Modern) e mediação de Keyna Eleison (curadora)


17h - Colecionando no Brasil e na America Latina
Com Jesus Fuenmayor (curador da XIV Bienal de Cuenca) e Silvio Frota (empresário, colecionador e Fundador do Museu Fotografia), mMediador: Max Perlingeiro (diretor da Pinakotheke Cultural)
O que acontece, quando um grande colecionador abre seu acervo para o público no Brasil e no mundo? Uma conversa para conhecer o olhar pessoal do colecionador e os agentes que influenciam nas importantes coleções de arte. Curadores que auxiliam na aquisição de novos trabalhos, a conservação, o futuro de acervos privados, exposições itinerantes de coleções, representando e internacionalizando a arte brasileira e latino-americana.

19h - O que podem os Museus hoje?
Com Martijn van Nieuwenhuyzen (curador do Stedelijk Museum Amsterdam), Evandro Salles (curador e Diretor do MAR- Museu de Arte do Rio)
Mediador: Luiz Guilherme Vergara (professor do departamento de Arte da UFF-PPG Estudos Contemporâneos e co-Fundador do Instituto MESA)

No velho ditado de 'quem vive de passado é museu', como uma remodelação da linguagem dos museus deve ser feita para se adequar aos tempos de hoje? Com um foco particular na diversidade do público brasileiro, a conversa introduz uma compreensão panorâmica sobre o assunto, explorando diferentes modelos de museus no mundo e mapeando as principais questões que os museus brasileiros poderiam considerar para si mesmos.

28/09
15h - Mulheres que colecionam
Com Genny Nissenbaum (colecionadora) e Mara Fainziliber (colecionadora), mediação de Gabriela Davies (curadora da Villa Aymoré)
Ontem e hoje, a consciência do papel das mulheres influenciando e movimentando o mundo das artes, uma conversa sobre as mulheres que colecionam, na visão de duas colecionadoras brasileiras convidadas.

17h - Projeção do documentário "Bifurcations", sobre o pioneiro de arte cinética, Julio Le Parc.
17h50 - Conversa com o artista Julio Le Parc
Conversa do curador Rodrigo Moura com o artista Julio le Parc, sobre sua arte e trajetória.
19h - Brasil Contemporâneo
Com Samantha Moreira (artista, curadora e gestora cultural) e Augusto Albuquerque (gerente adm.do Instituto Sacatar), mediação de Bernardo Mosqueira (curador, crítico de arte e fundador do Solar dos Abacaxis ).

Esse encontro vai debater a importância de dar visibilidade à produção de artistas das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sul do Brasil.

29/09
15h - Conversa com o artista Luiz Zerbini
Conversa da curadora Maria Eugenia Salcedo, diretora artística adj. do Instituto Inhotim, com o artista Luiz Zerbini sobre sua arte e trajetória, seu projeto de monotipias e a parceria com o Instituto Inhotim.

17h - Prêmios de Arte
Luiz Camillo Osorio (curador do Instituto PIPA, crítico de arte e prof. da PUC-Rio) e Marcus Lontra (crítico, curador e coordenador do Prêmio CNI/SESI/SENAI/Marcantonio Vilaça de Artes Plásticas), mediação de Bernardo Mosqueira.
Os prêmios de arte atuam como grandes incentivos à arte contemporânea e aos artistas. De residências à benefícios financeiros e a doação de obras de arte, uma conversa com foco em três grandes prêmios brasileiros: Prêmio Foco Bradesco ArtRio, Prêmio PIPA e Prêmio Marcantonio Villaça.

19h – Treble Sounds
Com David Gryn (diretor do Daata Editions, curador do MIRA ArtRio) e Max Reinhardt (DJ BBC Radio's Late Junction), mediação de Gabriela Davies (curadora da Villa Aymoré).
Rebel Souls é o filme e programa de som do Mira Video Arte, que será exibido na ArtRio com curadoria de David Gryn, da Daata Editions, com acompanhamento sonoro de Max Reinhardt, músico, DJ e apresentador do Late Junction da BBC Radio 3. Inspirado em seleção de obras de arte, sons e ideias que emanaram das zonas rebelde e radical da década de 1970 - dos sons discordantes e a visão dos artistas do punk feminino e os ritmos, hinos e espírito da Tropicália, como os projetos anteriores em Moscou, Miami e Londres.

Mais informações
27 a 30/09
Preview para convidados – 26/09
Ingressos: R$ 40 / R$ 20
Passaporte para quatro dias– R$ 100
Quarta a sábado – 13h às 21h/ Domingo - 13h às 20h
Venda antecipada ingressos: www.tudus.com.br
Nos dias de evento – bilheteria no local
Marina da Glória
Glória: av. Infante Dom Henrique, s/n. Estação Glória do Metrô.
www.artrio.com

Curador da mostra Queermuseu se candidata a deputado federal +

O artista plástico, pesquisador, crítico, diretor de museu e curador gaúcho Gaudêncio Fidelis, que ficou mundialmente conhecido pela curadoria da polêmica mostra “Queermuseu” (censurada pelo Santander de Porto Alegre e atualmente em cartaz na EAV Parque Lage, no Rio de Janeiro) lança no dia 13/9, quinta-feira, às 19h, sua candidatura a deputado federal pelo PT (1308). O evento acontece npo Clube do Comércio, Salão dos Espelhos, r. dos Andradas, 1.085, Centro, Porto Alegre (RS). Gaudêncio Fidelis promete “coragem para defender as liberdades no Congresso Nacional”.

Casa de leilões Tableau anuncia suas datas até dezembro de 2019 +

A casa de leilões Tableau, de Luiz Carlos Moreira, anunciou esta semana as datas das próximas 36 noites de leilão, divididas em 16 meses, até dezembro de 2019, nas quais apregoará cerca de 7.200 lotes. Nos dias de exposição, a casa fica aberta das 14h às 19h. Para receber obras, o horário é das 10h às 18h. O leilão acontece a partir das 21h e a casa recebe público até as 23h30 na r. da Consolação, 2.925, Jardins, São Paulo Mais informações pelos tels. (11) 3061-2200 e 3062-4077. Acompanhe abaixo as datas de visitação, pregão e recebimento das obras para cada uma das respectivas edições mensais.

#

Setembro de 2018
Exposição: 7, 8, e 9/9/2018
Leilão: 10 e 11/9/2018

Outubro de 2018
Recebimento de obras: 12/9 a 20/9/2018
Exposição: 5, 6 e 7/10/2018
Leilão: 8 e 9/10/2018

Novembro de 2018
Recebimento de obras: 10/10 a 18/10/2018
Exposição: 2, 3 e 4/11/2018
Leilão: 5 e 6/11/2018

Dezembro de 2018
Recebimento de obras: 7/11 a 15/11/2018
Exposição: 30/11, 1 e 2/12/2018
Leilão: 3 e 4/12/2018

Janeiro de 2019
Recebimento de obras: 5/12 a 10/12/2018 e 7/1 a 10/1/2019
Exposição: 25, 26 e 27/1/2019
Leilão: 28 e 29/1/2019

Fevereiro de 2019
Recebimento de obras: 30/1 a 7/2/2019
Exposição: 22, 23 e 24/2/2019
Leilão: 25 e 26/2/2019

Março de 2019
Recebimento de obras: 27/2 a 7/3/2019
Exposição: 22, 23 e 24/3/2019
Leilão: 25 e 26/3/2019

Abril de 2019
Recebimento de obras: 27/3 a 4/4/2019
Exposição: 18, 20 e 21/4/2019
Leilão: 22 e 23/4/2019

Maio de 2019
Recebimento de obras: 24/4 a 2/5/2019
Exposição: 17, 18 e 19/5/2019
Leilão: 20 e 21/5/2019

Junho de 2019
Recebimento de obras: 22/5 a 30/5/2019
Exposição: 14, 15 e 16/6/2019
Leilão: 17 e 18/6/2019

Julho de 2019
Recebimento de obras: 19/6 a 27/6/2019
Exposição: 26, 27 e 28/7/2019
Leilão: 29 e 30/7/2019

Agosto de 2019
Recebimento de obras: 31/7 a 8/8/2019
Exposição: 23, 24 e 25/8/2019
Leilão: 26 e 27/8/2019

Setembro de 2019
Recebimento de obras: 28/8 a 5/9/2019
Exposição: 20, 21 e 22/9/2019
Leilão: 23 e 24/9/2019

Outubro de 2019
Recebimento de obras: 25/9 a 3/10/2019
Exposição: 18, 19 e 20/10/2019
Leilão: 21 e 22/10/2019

Novembro de 2019
Recebimento de obras: 23/10 a 31/10/2019
Exposição: 15, 16 e 17/11/2019
Leilão: 18 e 19/11/2019

Dezembro de 2019
Recebimento de obras: 20/11 a 28/11/2019
Exposição: 13, 14 e 15/12/2019
Leilão: 16 e 17/12/2019

Duo francês lança convocatória para performance na Fundação Iberê Camargo +

O coletivo Les Gens d’Uterpan, composto pelos coreógrafos franceses Annie Vigier e Franck Apertet, lança convocatória de dançarinos homens e mulheres para a performance “Pièce en 7 morceaux”, exibida pela primeira vez no Brasil. A performance faz parte dos programas da exposição Subversão da Forma, que será exibida na Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre, a partir de novembro. Para participar, os dançarinos devem se inscrever até 19/10/18 pelo link (https://goo.gl/XGs2Fu). A audição ocorre em 21/11/18 e os selecionados recebem cachê para participação nas performances nos dias 24 e 25/11 e 1 e 2/12.

O ponto de partida de “Pièce en 7 morceaux” é a célebre foto de Philippe Halsman (In Voluptas Mors, 1951), com Salvador Dalí montando a imagem de um crânio com corpos femininos. A performance parte dessas sete posições físicas, encenadas por um grupo de dançarinos que exploram os espaços expositivos que recebem a ação. O projeto já foi ativado anteriormente no Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris (França, 2018); no MAXXI Museo nazionale delle arti del XXI secolo, Roma ( Itália, 2014); e no CAC Brétigny (França, 2009).
A ação é realizada peda Fundação Iberê Camargo em parceria com o Institut Français em Paris, Institut Français do Brasil, Consulado Geral da França em São Paulo e Aliança Francesa de Porto Alegre.

Annie Vigier e Franck Apertet, nascidos respectivamente em 1965 e 1966, trabalham em Paris desde 1994 sob o nome de les gens d’Uterpan. Os coreógrafos constroem um diálogo crítico entre contextos de performance, sistemas de espetáculos ao vivo, espaços e práticas artísticas. Intervindo em diferentes estruturas de exposição ou adaptando seu trabalho a elas, a dupla formula novas modalidades de aparições, produção e interpretação da dança.
|
Mais informações:
Fundação Iberê Camargo
Praia de Belas: av. Padre Cacique, 2.000, tel. (51) 3247-8000. www.iberecamargo.org.br | www.lesgensduterpan.com

Oi Futuro apresenta edição do festival Multiverso +

O Oi Futuro apresenta entre 08/09/18, das 18h às 22h, e 27/10/18 Multiverso o primeiro festival de arte generativa e creativecoding do país, com circuito expositivo na Praça Mauá e instalação interativa na Central do Brasil. O projeto dedicado a um eixo temático da cultura digital mostra como códigos de programação e novas tecnologias podem ser transformados em arte e soluções criativas para o espaço público.

Tendo como principais pilaresarte, tecnologia e sociedade, o festival pretende debater como os códigos de programação e as novas tecnologias podem ser transformados em arte e soluções criativas, a fim de tornar o espaço público mais funcional e acolhedor. A intenção da iniciativa é promover experiências imersivas focadas em democratizar o acesso e estimular tanto a produção criativa, quanto a pesquisa nesse segmento das artes visuais.

A programação conta com intervenções urbanas, performances, instalações interativas, masterclasses, minicursos e oficinas para adultos e crianças, sempre com entrada franca, em locais como Praça Mauá, Arena Dicró, Central do Brasil, Viaduto de Laranjeiras e Imperator. A coordenação geral é da produtora cultural Gisele Andrade e a curadoria é de Igor Abreu. Entre os artistas convidados, estão Alberto Harres, André Anastácio, Caio Chacal, Carlos Oliveira, Gabriela Castro, Harrison Mendonça, Marlus Araújo, Tainá Simões, TechnoLab e Estúdio Imersiva (Tom Huet e Javier Scian).

A abertura pública do festival ocorre em 09/09, das 17h às 22h, no Saracura, com bate-papo com o curador e artistas do projeto. Nesta mesma noite, o argentino Jorge apresenta “Ludotecnia”, performance audiovisual levada a vários países, em que brinquedos e dispositivos eletrônicos criam imagem e som, em tempo real. Outro destaque da programação de abertura será o coletivo Kinetic.Lab, que leva um duo de bailarinos a interagir com videoarte, também em tempo real.

Em 16/09, ocorre um circuito expositivo na Praça Mauá, das 15h às 21h, embalado pelo DJ Bruno Eppinghaus. As instalações interativas, performances e intervenções presenciais contam com escultura luminosa inspirada na lenda do boitatá, pipas paramétricas, jogos ressignificados em praça públicae arte cinética. Durante a vigência do festival, serão ativadas cinco obras digitais no site do projeto (www.multiverso.cc): as obras Motor, Controle, Bicho, Trançado e PixelBattle terão versões on-line.

A obra “Quanta – Trajeto Orquestrado”, de André Anastácio, Igor Abreu, Alberto Harres, Carlos Oliveira e Vitor Zanon, propõe uma reflexão poética sobre a composição dos corpos em trânsito, através de uma instalação sonora interativa na Central do Brasil. Ao atravessarem as catracas, os usuários do transporte público ativarão um um sistema sonoro pré-programado, que vai gerar uma composição musical.

No último dia do festival, em 27/10/18, das 14h às 20h, os artistas vão se unir à comunidade e criar uma intervenção artística para a Praça Carlos Del Prete, sob o Viaduto Engenheiro Noronha, em Laranjeiras. O Colaboratório Multiverso será realizado em parceria com a Ocupação Cultural Viaduto de Laranjeiras, que promove eventos regulares no local desde 2015.

Confira as intervenções do Multiverso
|
Trançado - Tainá Simões
Artistas colaboradores: Wendel Anthuny Ribeiro de Amorim, Leandro Belém de Assis
Projeção mapeada sobre uma composição feita em bordado sobre uma tela. A composição dialoga com o histórico e a identidade negra relacionados ao Cais do Valongo.

PixelBattle - Carlos Oliveira
Artistas colaboradores: Chris Lima, Cristian C. Mello
Imagine a cidade como um grande quadro a ser pintado coletivamente, em constante transformação por meio da sobreposição contínua de pixels e cores. A batalha é uma provocação sobre o quanto conseguimos ser colaborativos.
Disponível em www.pixelbattle.com.br.

Vevir - Harrison Mendonça
Vevir é um pequeno ser que habita nas árvores e responde aos sentidos da visão e da audição para demonstrar o algoritmo genético usando holografia e som.

Banco de dados - André Anastácio, Caio Chacal e Carlos Meijueiro
Buscando materializar o invisível por meio de uma escuta que exercita a cidadania, esta obra torna audíveis leituras da cidade por meio da voz e da vivência de moradores de rua da cidade do Rio de Janeiro. As histórias compartilhadas por personagens das ruas serão amplificadas em peças do mobiliário urbano (como, por exemplo, um banco de praça).

Aeroscópio - Gabriela Castro e Marcos Spindola
Muitas relações geométricas presentes em padrões da natureza são analisadas e colocadas em prática nas formas experimentadas neste projeto. As pipas tridimensionais trazem uma visualização inusitada de formas paramétricas para os visitantes, ao mesmo tempo em que jogam com a imprevisibilidade de sua performance no ar, já que também dependem de fatores naturais locais.

Platron - MarlusAraujo e Caio Chacal
Artistas colaboradores: Frado Monteiro, Gabriel Jorge dos Santos, Lala Costa, Joyce Fernandes, Alberto Harres, André Anastácio.
Escultura robótica que dialoga com pedestres na rua sobre questões filosóficas, sociais e cotidianas por meio de sua inteligência artifical, que foi programada a partir do pensamento de grandes pensadores da história da humanidade.

Flipper de Rua - MarlusAraujo e Caio Chacal
Artistas colaboradores: André Anastácio, Diego Leal, Raissa Laban, Alan Fecury, Jonathan Menezes
Flipper de Rua é uma instalação que se baseia nas máquinas de fliperamas para a criação de uma arena de jogos em praça pública. O objetivo é conectar as diferentes gerações, reavivar as memórias dos antigos fãs do gênero arcade, e ao mesmo tempo, proporcionar novas experiências para os jogadores mais novos por meio de uma seleção de jogos independentes que discutem a realidade brasileira e que resgatam a rica estética de jogos eletrônicos clássicos.

Motor - Igor Abreu
Aplicativo que possibilita que poetas convidados associem versos a pontos geolocalizados da cidade. O púbico que instalar o aplicativo poderá revelar os versos escondidos conforme for transitando pela cidade, recebendo-os através de uma notificação.

Controle - Alberto Harres e Companhia Volante
O público é conduzido por uma sequência de experimentações cênicas, explorando o corpo no espaço urbano por meio de dispositivos tecnológicos, seguindo veículos em trânsito na busca das rotas de fuga da sociedade de controle.

Bicho - Igor Abreu
Artistas colaboradores: Tom Huet, Caio Chacal, Tainá Simões
Escultura luminosa criada por eletrônica criativa e inspirada no mito do Boitatá, serpente de fogo do folclore brasileiro. A performance é acompanhada de uma trilha musical e faz a condução do público entre os outros números.

TechnoLab - Tom Huet e TechnoBrass
Formado pelo artista Tom Huet e os integrantes da TechnoBrass, TechnoLab é um laboratório de criação experimental que se caracteriza por atuar na rua ou em espaços inusitados. Interagindo com obras de artes visuais, sopros seguem o beat pulsante de percussões em liberdade total, criando melodias e dinâmicas a partir da interação com o público e o espaçoalcançável.

|
Mais informações:
Oi Futuro Flamengo
Flamengo: r. Dois de Dezembro, 63. Tel: (21) 3131-3060.
www.multiverso.cc

ArtRio confirma presença de importantes curadores franceses +

A ArtRio chega a sua oitava edição e reforça, entre suas principais metas, a valorização da arte brasileira. A feira, que contará com mais de 80 galerias, acontece entre os dias 26 e 30/09, na Marina da Glória, e vai receber curadores de importantes instituições internacionais.

A feira contará com a presença de alguns dos mais importantes curadores franceses da atualidade. Entres eles, Jean de Loisy, presidente do Palais de Tokyo; Alfred Pacquement, conservador de patrimônio e ex-diretor Centre Pompidou; Jean Thierry Raspail, diretor do Museu de Arte Contemporânea de Lyon e Diretor Artístico da Bienal de Arte Contemporânea de Lyon; e os curadores Jean-Hubert Martin e Marie-Ann Yemsi.
Da instituição Dia Art Foundation, de Nova York, estarão Jessica Morgan e Courtney Martin, que também é diretora. O evento conta com Abhishek Basu, fundador da Basu Foundation for the Arts, da índia. Confirmados ainda Daniela Zyman, curadora do Thyssen-Bornemisza Arte Contemporânea -TBA 21, de Viena.

A ArtRio vai reunir mais de 80 galerias e o grande foco do evento é a valorização da arte brasileira. Reconhecida como uma das mais importantes feiras de arte, a feira destaca pelos bons resultados alcançados pelos galeristas que participam no evento. Além de receber importantes colecionadores e curadores brasileiros e internacionais, a feira desenvolve um importante trabalho de estimular o crescimento de um novo público através do acesso à cultura e também fomentar novas galerias e jovens artistas, grandes apostas para o mercado de arte.
|
ArtRio
Marina da Glória - av. Infante Dom Henrique, s/n – Estação Glória do Metrô - Rio de Janeiro.
Ingressos: R$ 40 / R$ 20. Passaporte quatro dias - R$ 100
Venda: www.tudus.com.br e bilheteria no local.
www.artrio.art.br

Morre o artista plástico Wlademir Dias-Pino +

Morreu, nesta quinta-feira (30/08), o artista plástico carioca Wlademir Dias-Pino aos 91 anos, no Rio de Janeiro. Embora carioca, Wlademir morou com sua família em Cuiabá, onde permaneceu a maior parte da sua vida e produziu sua obra.

A cerimônia de despedida do artista será realizada no próximo sábado, 01/09, às 16h, na Capela 2 do Memorial do Carmo, na capital carioca.

Nascido no Rio de Janeiro em 24 de abril de 1927, no bairro da Tijuca, nascido em 1927, Dias-Pino fundou um movimento pioneiro de poesia experimental na Cuiabá dos anos 1940, o intensivismo. Foi um dos seis poetas participantes da Exposição Nacional de Arte Concreta de 1956, ao lado de autores como Augusto e Haroldo de Campos e Ferreira Gullar. Na década seguinte, liderou vanguardistas de todo o país no grupo Poema/processo. Participou da última 32ª Bienal de São Paulo – Incerteza Viva, em 2016.

Fotógrafa e ativista Claudia Andujar recebe a Medalha Goethe 2018 +

A fotógrafa documental e ativista dos direitos humanos suíço-brasileira Claudia Andujar, os diretores colombianos de teatro Heidi e Rolf Abderhalden, do coletivo Mapa Teatro, e o compositor e regente húngaro Péter Eötvös foram agraciados com a Medalha Goethe 2018. O prêmio é entregfue anualmente pela República Federal da Alemanha a personalidades que tenham se empenhado especialmente em prol do intercâmbio cultural internacional e será entregue em 28/8/2018 por Klaus-Dieter Lehmann, presidente do Goethe-Institut, no Residenzschloss Weimar, na cidade de Weimar (Alemanha). Os discursos serão feitos pelo autor teatral e ensaísta Deniz Utlu, pelo antropólogo e ativista Stephen Corry e pelo escritor e dramaturgo Albert Ostermaier. Neste ano, as Medalhas Goethe são dedicadas ao lema “Uma vida depois da catástrofe”. As quatro personalidades premiadas representam uma conduta construtiva frente a rupturas e cesuras ameaçadoras da existência, tanto na vida pessoal quanto pública. Todos eles empenharam-se por um recomeço depois de uma “catástrofe” – seja depois de uma guerra, de uma derrocada política ou de destruições ambientais.
A fotógrafa documental suíço-brasileira Claudia Andujar empenha-se, desde os anos 1970, pelo povo indígena Yanomami, que vive na região amazônica. Sem sua atuação incansável, não apenas com a câmera, o lugar onde vivem os Yanomami talvez até hoje não tivesse sido transformado em área de proteção ambiental.
As peças sócio-documentais do coletivo Mapa Teatro debruçam-se de forma radical, por meios experimentais performáticos, sobre os entrelaçamentos entre política, sociedade, violência e revolução na sociedade colombiana. Elas abordam tanto a dissolução de um bairro inteiro de Bogotá, quanto as consequências da violência durante a guerra civil na Colômbia.
Com suas composições e sua interpretação de obras de outros músicos contemporâneos, o compositor e regente húngaro Péter Eötvös contribuiu durante a Guerra Fria, e também depois da queda do Muro de Berlim, para o desenvolvimento de uma cultura musical europeia comum, exercendo até hoje influência sobre a mesma.

Torre de Miroku é inaugurada com templo zen em Ribeirão Pires (SP) +

A Torre de Miroku é inaugurada às margens da Represa Billings em Ribeirão Pires, região metropolitana de São Paulo, e aberta ao público de quinta-feira a domingo, das 10h às 16h. A construção de 32 metros, com cinco telhados de 13 mil telhas, foi executada durante o período de 12 anos com 400 toneladas de madeiras (angelim pedra, jatobá e eucalipto) ecologicamente sustentável. Não foi utilizado nenhum prego ou parafuso na construção.

Planejada em 1973, por Minoru Nakahashi discípulo do Mestre Meishu-Sama e idealizador da Igreja Messiânica no Japão, a torre começa ser erguida em 2000, quando Nakahashi e a artista Lilian Bomeny visitaram o Templo Horyu-Ji, no Japão, considerado patrimônio mundial além de ser o templo de madeira mais antigo do mundo. Lá tiveram a inspiração para construir algo semelhante no Brasil, sob o objetivo era ter aqui um espaço cercado pela natureza nativa, para que as pessoas pudessem meditar e elevar a espiritualidade.

"Os desafios para essa construção eram enormes e demandavam um custo altíssimo", explica Maurício Nakahashi, filho e sucessor do reverendo Nakahashi que faleceu em novembro de 2012. Acreditavam que seria impossível a construção e as únicas ferramentas disponíveis de Minoru eram uma planta original de um templo que ele havia encontrado quando jovem nos pertences de seu tataravô, que era um construtor de torres no Japão. Em 2005, com poucos marceneiros, alguns ajudantes e sem experiência, o filho do fundador , Maurício Nakahashi, e a artista iniciam a obra.

No interior da Torre há uma escultura de oito metros feita em blocos de madeira de embuia e folheada a ouro 24 quilates, que simboliza a divindade tanto masculina quanto feminina, Kannon. A imagem foi feita pelo escultor brasileiro Cicero D'Ávila, que tem obras, projetos, bustos e monumentos em vários países. No seu interior existem também 18 esculturas de 80 centímetros de Kannon e no alto da Torre, uma antena com uma urna que possui o cabelo do Mestre Meishu-Shama. Os vitrais do templo foram criados por Lilian Bomeny com cristais de Murano. E os cinco telhados que compõe a estrutura representam cada parte do corpo da divindade. O primeiro e menor de todos é a cabeça, o segundo o pescoço, o terceiro o peito, o quarto a barriga e o quinto as pernas, como forma de alicerce. Além disso há jardim Zen, minicachoeira, lago com carpas e diversos jardins espalhados.
|

Orientações aos Visitantes
O acesso a Torre é feito por meio de uma embarcação pela Represa Billings com capacidade para até 80 pessoas. A viagem de ida a volta leva cerca de 40 minutos e é um convite a contemplação da beleza da natureza local. Os ingressos poderão ser adquiridos, exclusivamente, por meio da Uakatur Agência de Viagens, única agência credenciada e que está localizada em Ribeirão Pires.

O local obedece às normas e critérios para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida.

Horário de funcionamento: de quinta-feira a domingo, das 10h às 16h (retorno ao píer). Durante o horário de verão o último barco sai às 18h do píer.

Ingressos à venda apenas pelo site: www.uakatur.com.br
R$ 55,00 (adultos e crianças acima de 12 anos - incluso no valor, traslado da agência ao Tahiti Náutica Club, ou espaço no Tahiti Náutica Club, para guardar carros particulares). R$ 27,50 (crianças de 6 a 11 anos acompanhadas de um adulto –Estudantes - Maiores de 60 anos sempre com documento comprovatório). Incluso traslado da agência ao Tahiti Náutica Club, ou espaço no Tahiti Náutica Club, para guardar carros particulares.

Como Chegar à Torre De Miroku

O acesso à Torre de Miroku acontece somente por meio da embarcação própria* que tem saída de hora em hora do Tahiti Náutica Club (avenida Palmira, 450, bairro Represa, Ribeirão Pires).

Transporte Público: A partir da estação Brás de trem CPTM e Metrô, pegar o trem sentido Ribeirão Pires ou Rio Grande da Serra. Descer na estação Ribeirão Pires e seguir a pé até a agência Uakatur, na avenida Fortuna, 100, (aproximadamente seis min). Na agência disponível Ônibus Fretado para a Torre de Miroku, com saída de hora em hora, das 8h30 às 14h.

*A navegação do barco que dá acesso ao Complexo Torre de Miroku é uma atividade contingente ao clima. Todas as partidas estão sujeitas a cancelamento devido às condições seguras de navegação. Caso não haja condições de navegação o ingresso será trocado por outra data ou haverá devolução do valor pago.

Cultos e Orações
Verifique a programação atualizada constantemente.

Sobre o uso de Câmera Fotográfica

São autorizados os registros do espaço em áreas abertas por meio de câmeras e filmadoras fotográficas comuns e profissionais além de celulares. EXPRESSAMENTE PROIBIDAS fotos e filmagens dentro de áreas fechadas, por exemplo, templo e imagem de Kannon.

As sessões fotográficas ou de filmagem como: casamentos, noivados, debutantes, aniversários, bodas, gestantes, modelos, publicidade etc, em qualquer área do Templo inclusive jardins precisam de prévia análise e autorização do Templo.

Regras de Conduta Para Visitação da Torre de Miroku

Não é permitido a entrada de qualquer tipo de bebida e alimentos;
Não é permitido a entrada de animais de estimação;

Trajar roupas adequadas. Não será permitida a entrada com peças inadequadas como: trajes de banho, decotes no colo e costas, ombros de fora, barriga à mostra, regatas, saias e shorts curtos. Sugerimos que caso tenha dúvidas quanto a vestimenta, leve um lenço ou casaco.

Proibido fumar em qualquer dependência do espaço;

Proibido pegar mudas de flores e plantas;

Proibido pescar;

Proibido sentar, debruçar ou deitar na grama, bem como em qualquer outra dependência do espaço;

As manifestações de contatos íntimos acalorados (beijos, abraços, carícias etc) são proibidas;

Pedimos silêncio, pois o espaço é um local para contemplação e meditação;

Usar celular no modo silencioso ou vibracall.

O espaço oferece água e chá gratuitamente.

No momento o espaço não possui nenhum tipo de alimentação disponível.
|
Mais informações:
www.temploluzdooriente.org.br

Todos contra a medida provisória que tira verbas da Cultura +

O Mapa das Artes, assim como o Fórum Permanente, apoia o Fórum Brasileiro Pelos Direitos Culturais E OAB/SP na manifestação em São Paulo contra a MPB481. A manifestação será contra a diminuição do repasse à cultura presente na MP 841. Pela MP, haverá redução de 3% para 0,5% das loterias federais ao Fundo Nacional da Cultura. O ato de repúdio está marcado para quarta-feira, dia 4/7, às 19h, no TUCA, Rua Monte Alegre, 1024 - Perdizes, São Paulo. Em agosto de 2017, o Conselho Federal da OAB entrou com uma ação civil pública na Justiça de Brasília, para a regularização do repasse dos 3% das loterias para o Fundo Nacional de Cultura, inspirada na agenda e nos propósitos do Fórum Brasileiro Pelos Direitos Culturais.

Liceu de Artes e Ofícios inaugura novo centro cultural no bairro da Luz +

A inauguração do Centro Cultural do Liceu de Artes e Ofícios (CCLAO) ocorre em 11/08/18 em São Paulo, em comemoração aos 145 anos de uma das mais tradicionais instituições brasileiras de educação voltada principalmente ao design. A inauguração é marcada pela abertura de duas exposições inéditas: “História e Memória”, que destaca a relevância do Liceu enquanto referência profissionalizante, e “Design Brasil Século XXI”, sob curadoria de Fernanda Sarmento, que conta com peças, mobiliário e objetos criados sob o preceito da sustentabilidade, obras de grandes nomes do design brasileiro.
Situado no bairro da Luz, o Centro Cultural do Liceu ocupa o mesmo espaço onde funcionou entre 1980 e 2000. Em 2014, quando então abrigava o acervo da instituição, o prédio foi consumido por um incêndio de grandes proporções, que lhe causou grandes prejuízos estruturais. Projetado pelo arquiteto Ricardo Julião, o atual CCLAO manteve as principais características arquitetônicas do espaço; apesar de agora atribuir ao prédio um olhar mais contemporâneo.

Programação
Quem assina a programação inaugural é a curadora Denise Mattar. Seu projeto divide-se em três tempos: o Ontem, o Hoje e o Amanhã, abarcando não apenas as duas mostras simultâneas e complementares, mas também a organização e promoção de um ciclo de debates e palestras, que tomará como tema os novos desafios e a proposição de soluções pelo e para o design contemporâneo.

Exposição “Percurso Histórico”, com curadoria de Denise Mattar, de 11/08/18 a julho de 2019.
Exposição “Design Brasil Século XXI”, com curadoria de Fernanda Sarmento, de 11/08/18 a 01/12/18.

A programação paralela terá início em setembro e será divulgada posteriormente.

O antigo Centro Cultural
Com o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, o Brasil passou a receber novos imigrantes, técnicos especializados que chegaram em busca de trabalho com novas ideias e habilidades. Nesse contexto, surgiram empresas que adotaram técnicas de produção em escala, com custos menores, cuja produção era essencialmente artesanal.

Gradativamente, a instituição foi modificando o perfil de sua produção, adaptando-se aos novos tempos. Passou a produzir móveis de escritório, onde mais tarde formaram-se milhares de oficineiros. Surgiu então a ideia da construção de um Centro Cultural com o objetivo de resgatar a imagem de um centro de formação artística. Assim, sob a curadoria do crítico de arte Olívio Tavares de Araújo, surgia em 1980 o Centro Cultural do Liceu de Artes e Ofícios. O espaço funcionou por 20 anos, até 2000, quando encerrou suas atividades. Em 2014, o prédio foi consumido por um incêndio de grandes proporções. Na ocasião, além dos prejuízos estruturais, o fogo danificou também as réplicas escultóricas em gesso, parte delas agora restaurada. Para a atual exposição foram recuperadas 6 das 28 peças atingidas.
|
Mais informações:
Centro Cultural do Liceu de Artes e Ofícios
Luz: r. Cantareira, 1351 - São Paulo (SP). Ter. a sáb., 12h/17h.

Bienal de Veneza chega à sua 58ª edição em 2019 +

O presidente da Bienal de Veneza, Paolo Baratta, e o curador da edição de 2019, Ralph Rugoff, anunciaram o tema da 58ª exposição internacional de arte. Intitulada “May You Live in Interesting Times” (Que Você Viva Em Tempos Interessantes, em tradução livre), a bienal responde ao clima político atual, especificamente ao surgimento das ‘fake news’. O título da exposição refere-se a um discurso realizado pelo deputado britânico Austen Chamberlain na década de 1930, em que ele se referiu erroneamente a uma antiga maldição chinesa: “May you live in interesting times”, disse Chamberlain. “Não há dúvida de que a maldição caiu sobre nós. Passamos de uma crise para outra”.

Apesar de não ser verdadeira – não havia maldição chinesa como a que Chamberlain achava que estava citando – suas palavras foram reiteradas por políticos ocidentais por mais de cem anos. De acordo com Rugoff, eles são agora “uma relíquia cultural substituta, outro ‘orientalismo’ ocidental, e mesmo assim, apesar de todo o seu status ficcional, teve efeitos retóricos reais em significativas trocas públicas”.

Em uma conferência realizada no Palazzo Giustinian, Rugoff disse: “No momento em que a disseminação digital de notícias falsas e ‘fatos alternativos’ está corroendo o discurso político e a confiança da qual depende, vale a pena parar sempre que possível para reavaliar nossos termos de referência”. Ele acrescentou: “A 58ª Exposição Internacional de Arte não terá um tema em si, mas destacará uma abordagem geral para tornar a arte e uma visão da função social da arte, abrangendo tanto o prazer quanto o pensamento crítico”.

Rugofftambém afirma que o importante é que o mundo da arte reconheça que não exerce sua força no domínio da política, e não deterá a ascensão de movimentos nacionalistas e governos autoritários. Mas a arte pode desafiar as pessoas a abrirem suas mentes, e que esta exposição possa deslocar o foco dos objetos para as questões que eles levantam sobre limites e fronteiras culturais.

Segundo ele, a exposição terá como objetivo ressaltar a ideia de que o significado das obras de arte não está embutido em seus objetos, mas nas conversas e trocas entre artista e obra, entre obra e público e depois entre diferentes públicos. E que o mais importante em uma exposição não é o que ela exibe, mas sim como o público pode usar sua experiência depois, para confrontar as realidades cotidianas com pontos de vista expandidos e novas energias.

Projeto Centro Cultural Veras promove financiamento coletivo em Florianópolis +

O Centro Cultural Veras (CCV) está em projeto de construção no coração da ilha de Florianópolis, em um terreno conquistado próximo à rua Vera Linhares de Andrade, e será gerido por uma associação cultural de direito privado, sem fins lucrativos.
O projeto foi concebido em 1999 pelo curador e historiador da arte, Josué Mattos, e desenvolvido desde 2012 por educadores, profissionais da cultura, artistas, praticantes de yoga, ayurveda e permacultura.

Desde então, a capacitação e mecanismo de viabilização deste espaço, a fim de reunir cursos livres, uma biblioteca e centro de documentação, exposições, ateliês de criação, áreas para performances, projeções, práticas, além de residência artística, horta comunitária e restaurante. A proposta visa aproximar a arte contemporânea com a cultura milenar do yoga em ações de formação livre e experimental, e sustentabilidade com atividades integrativas, entre as quais estão: antroposofia, permacultura, psicanálise, ayurveda, economia solidária e sistemas agroflorestais.

A inauguração está prevista para 2019, e marcará 20 anos de trabalho, divididos entre períodos de pesquisa, concepção, financiamento e formação de equipe. Para a etapa atual, o projeto busca por parceiros e apoiadores que colaborem com a efetivação desta obra de grande relevância para a arte, cultura e educação no Brasil. O projeto arquitetônico está nas mãos de Terra e Tuma - Arquitetos Associados, e conceito paisagístico de Gabriella Ornaghi.

O projeto tem doações de obras de artistas, de diferentes gerações, com as quais faremos um leilão, em agosto de 2018, na Casa Goia, em São Paulo. A edição conta com obras de Regina Silveira, Jorge Menna Barreto, Sandra Cinto e Albano Afonso. Todo recurso obtido será destinada exclusivamente à compra dos materiais de construção do Centro Cultural Veras. Os interessados podem escrever para apoie@centroculturalveras.org.br
|
Mais informações:
www.centroculturalveras.org.br

Aline Motta e dupla Dias e Riedweg vencem Bolsa de Fotografia Zum +

A revista ZUM e o Instituto Moreira Salles anunciam os dois projetos ganhadores da 6ª edição da Bolsa de Fotografia Zum/IMS: “Jogo da memória”, de Aline Motta, e “Casulo”, de Dias & Riedweg.

A fluminense, que vive e trabalha em São Paulo, Aline Motta une criação literária e pesquisa de imagens para tratar de sua história familiar, acompanhando parentes, como a tataravó Ambrosina Cafezeiro Gomes, que viveram no Rio de Janeiro no período posterior à abolição da escravatura. Usando fotos, textos e documentos, a artista pretende mergulhar no passado da família para narrar episódios entremeados por racismo, loucura e morte.

Aline é bacharel em comunicação social pela UFRJ e pós-graduada em Cinema pela The New School University (Nova York, EUA). Seus trabalhos combinam diferentes técnicas, como fotografia, vídeo e instalação.

Já o projeto “Casulo”, da dupla Dias & Riedweg registrará em fotografia e vídeo o cotidiano de um grupo de pacientes do Instituto de Psiquiatria da UFRJ para tornar visível o território designado à loucura e as novas formas de clausura a que esses pacientes são submetidos, quando se lança mão da internação hospitalar.

Criada em 1993, a dupla Dias & Riedweg é formada por Maurício Dias (Rio de Janeiro, 1964) e pelo suíço Walter Riedweg (Lucerna, 1955). Participou da Bienal de Veneza em 1999 e da Bienal de São Paulo em 2002. Há alguns anos desenvolvem trabalhos sobre o universo psiquiátrico.

-
A cada nova edição, a Bolsa de Fotografia ZUM/IMS mostra a diversidade da produção fotográfica brasileira, premiando projetos de fotógrafos e artistas que trabalham com diferentes formas de produção visual. Neste ano, o edital recebeu cerca de 500 projetos, enviados de todas as regiões do Brasil e por brasileiros residentes no exterior

O objetivo da premiação é fomentar o trabalho de fotógrafos e artistas, sem restrição de tema, perfil ou suporte. Cada selecionado recebe uma bolsa de 65 mil reais e tem oito meses para desenvolver o trabalho. O resultado final dos projetos selecionados é incorporado ao Acervo de Fotografia Contemporânea do Instituto Moreira Salles.

A comissão julgadora de 2018 foi composta por:
Lisette Lagnado, curadora convidada
Thyago Nogueira, coordenador de fotografia contemporânea do IMS
Heloísa Espada, coordenadora de artes visuais do IMS
Lorenzo Mammì, curador de programação e eventos do IMS
Flávio Pinheiro, superintendente do IMS
|
Mais informações:
ims.com.br
revistazum.com.br

Michael Jackson é homenageado na National Portrait Gallery, em Londres +

A National Portrait Gallery, em Londres, realiza até 21/10/18 a exposição “Michel Jackson: On the Wall”, que pretende explorar a influência do rei do pop Michael Jackson em alguns dos principais nomes da arte contemporânea, abrangendo várias gerações de artistas em todas as mídias. A curadoria de Nicholas Cullinan, diretor da National Portrait Gallery, a mostra foi aberta para coincidir com o que seria seu 60º aniversário (em 29/8/18). Michael Jackson é uma das figuras culturais mais influentes do século 20 e seu legado continua no século XXI. “Michael Jackson: On the Wall” reúne obras de mais de quarenta desses artistas, retirados de coleções públicas e privadas em todo o mundo, incluindo novos trabalhos feitos especialmente para a exposição. Participam os artistas Rita Ackerman, Njideka Akunyili Crosby, Emma Amos, Lyle Ashton Harris, Dara Birnbaum, Candice Breitz, Appau Jnr Boakye-Yiadom, Monster Chetwynd, Michael Craig-Martin, Dexter Dalwood, Graham Dolphin, Mark Flood, Isa Genzken, Michael Gitttes, Todd Gray, Maggi Hambling, David Hammons, Keith Haring, Jonathan Horowitz, Gary Hume, Rashid Johnson, Isaac Julien, Johannes Kahrs, KAWS, David LaChapelle, Louise Lawler, Klara Liden, Glenn Ligon, Sam Lipp, Isaac Lythgoe, Paul McCarthy, Rodney McMillian, Dawn Mellor, Dan Mihaltianu, Lorraine O'Grady, Catherine Opie, Yan Pei Ming, Grayson Perry, Paul Pfeiffer, Faith Ringgold, Michael Robinson, Mark Ryden, Susan Smith-Pinelo, Donald Urquhart, Kehinde Wiley, Hank Willis Thomas, Andy Warhol e Jordan Wolfson.
#
www.npg.org.uk