destaques
conteúdo
publicidade

ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO

  • A instituição foi criada em 1895, em Ouro Preto (MG), e transferida para Belo Horizonte em 1901. Desde 1938, ocupa uma imponente casa construída em 1897. O órgão é responsável pelo recolhimento, guarda, gestão, preservação e divulgação do acervo arquivístico do poder executivo estadual e de documentos privados de interesse público. São milhares de documentos, que remontam aos períodos colonial, imperial e republicano. Entre os destaques figuram o acervo fotográfico, mapas produzidos no século 18 e 19 e documentos referentes à Inconfidência Mineira. Tem ainda uma biblioteca especializada em história de Minas Gerais.
  • Funcionários: av. João Pinheiro, 372, tels. (31) 3269-1060 / 1167. Seg. a sex., 9h/17h; visitas mediante agendamento pelo email daip.apm@cultura.mg.gov.br. www.siaapm.cultura.mg.gov.br

BASÍLICA NOSSA SENHORA DE LOURDES

  • A igreja tem arquitetura predominantemente neogótica, muito rica em detalhes. O projeto recebeu algumas adaptações, como o acréscimo da torre entre 1929 e 1930. Tem um órgão de 400 tubos.

BIBLIOTECA PÚBLICA ESTADUAL LUIZ DE BESSA

  • Criada em 1954, a biblioteca fica em um prédio projetado pelo arquiteto carioca Oscar Niemeyer (1907-2012). Tem cerca de 260 mil títulos. São obras raras e representativas de escritores brasileiros e estrangeiros, uma importante coleção de autores mineiros, revistas e jornais, títulos em Braille e audiolivros. Também possui amplo acervo digitalizado. Conta ainda com teatro com capacidade para 220 pessoas, sala de cursos e galerias de arte. No ano 2000, a biblioteca foi ampliada, com a incorporação do edifício Anexo Professor Francisco Iglésias.
  • Funcionários: praça da Liberdade, 21, tels. (31) 3269-1202 / 1235, r. 120. Seg. a sex., 8h/20h; sáb., 8h/12h.

CAPELA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO

  • A pequena igreja tem arquitetura eclética, um misto de traços clássico, gótico e barroco.
  • Centro: na esquina da rua São Paulo com a av. Amazonas. Seg. a sex., 8h/20h; sáb. e dom., 16h/19h30.

CASA UNA DE CULTURA

  • O espaço colaborativo integra o Circuito Cultural da Praça da Liberdade. Promove o diálogo entre filosofia, literatura, cinema, artes, música, comportamento, história e moda por meio de palestras, seminários, exposições, cursos, performances e outros eventos culturais.
  • Lourdes: r. Aimorés, 1.451, tel. (31) 3235-7314. Seg. a sex.; 14h/22h; sáb., 9h/13h. www.casauna.com.br

CATEDRAL NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM

  • A catedral, inaugurada em 1923, tem estilo neogótico. A paróquia foi consagrada à Nossa Senhora da Boa Viagem por causa de uma imagem esculpida em madeira, protetora de um barco português que tinha o nome da santa. Essa imagem está no altar lateral da direita da catedral e mede pouco mais de meio metro de altura.

CEFAR LIBERDADE

  • Extensão do Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado (Cefar), a escola foca na capacitação, qualificação e aperfeiçoamento de estudantes nas áreas de Teatro, Dança e Música.
  • Funcionários: r. Sergipe, 884, tels. (31) 3308-4700 / 4701.

CENTRO CULTURAL DA UFMG

  • O centro cultural fica em uma edificação centenária tombada pelo patrimônio municipal e estadual. O espaço desenvolve e divulga atividades artísticas e culturais de integrantes da comunidade universitária e de artistas externos à UFMG. Possui clara vocação ligada às artes visuais. Tem três espaços expositivos: Grande Galeria e as galerias Celso Renato e Ana Horta. Promove ainda atividades de teatro, cinema, música e poesia.

CENTRO CULTURAL PADRE EUSTÁQUIO

  • O centro cultural foi implantado em 2008. Construído na antiga Feira Coberta, é equipado com biblioteca, salas para oficinas de artes plásticas e cênicas, praça de eventos e área livre com 1 mil m².
  • Padre Eustáquio: r. Jacutinga, 821, tel. (31) 3277-8394. Ter. a sex., 8h/17h; sáb 9h/12h.

CENTRO DE ARTE CONTEMPORÂNEA E FOTOGRAFIA

  • Administrado pela Fundação Clóvis Salgado e inaugurado em 2010, é um espaço para a discussão, estudo, exibição e fomento das artes visuais e da fotografia.
  • Centro: av. Afonso Pena, 737, tel. (31) 3236-7400. Ter. a sáb., 9h30/21h; dom., 16h/21h.

CENTRO DE CULTURA BELO HORIZONTE

  • O centro cultural ocupa uma das mais belas edificações da cidade: um prédio neogótico, em estilo Manuelino, construído em 1914. O espaço promove exposições, mostras de audiovisual, ações educativas, seminários e debates.
  • Centro: r. da Bahia, 1.149, esquina com a av. Augusto de Lima, tels. (31) 3277-9248 / 3277-4384. Seg., 10h/19h; ter. a sex., 10h/21h.

CENTRO DE MEMÓRIA DO TRE-MG

  • Exposição permanente reúne objetos, móveis, documentos e fotografias históricos utilizados no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. A mostra também aborda a evolução das urnas e títulos e cédulas eleitorais.
  • Cidade Jardim: av. Prudente de Morais, 320, tels. (31) 3307-1100 / 1176. Seg. a sex., 13h/18h. www.tre-mg.jus.br

CIRCUITO CULTURAL PRAÇA DA LIBERDADE

  • O circuito é o maior conjunto integrado de cultura do Brasil. Com o projeto, desenvolvido pelo Governo de Minas Gerais em parceria com empresas privadas, antigos prédios públicos foram transformados em espaços com acervos históricos, artísticos e temáticos, centros culturais, biblioteca e espaços para oficinas, cursos e ateliês abertos. É composto por Arquivo Público Mineiro, Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, Casa Fiat de Cultura, Cefar Liberdade, Centro Cultural Banco do Brasil, Centro de Arte Popular - Cemig, Espaço do Conhecimento UFMG, Horizonte Sebrae - Casa da Economia Criativa, Memorial Minas Gerais Vale, MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal , Museu Mineiro, Palácio da Liberdade e Praça da Liberdade.

CONJUNTO ARQUITETÔNICO DA PAMPULHA

  • O conjunto arquitetônico, localizado às margens da Lagoa da Pampulha, tem projeto do arquiteto carioca Oscar Niemeyer. O paisagismo é do paulistano Burle Marx. Foi construído entre 1942 e 1944 e tombado pelo Iphan em 1997. É formado por Igreja São Francisco de Assis (considerada a obra-prima do conjunto; na parede do fundo tem um mural de São Francisco pintado por Candido Portinari, também autor do painel interno de São Francisco no altar principal e da Via Sacra; Alfredo Ceschiatti assina o painel em baixo relevo no interior do batistério; e Paulo Werneck foi o responsável pelo mosaico nas laterais da abóbada da nave), Iate Tênis Clube, cassino (em 1957, ele passou a funcionar como Museu de Arte da Pampulha) e Casa do Baile (desativada em 1948).
  • Acesso pela Av. Otacílio Negrão de Lima.

ESCOLA GUIGNARD | UEMG (UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS)

  • A escola conta com uma galeria de exposições.

ESPAÇO CULTURAL CEMIG

  • O espaço, instalado no edifício-sede da Cemig e inaugurado na década de 1980, realiza seleção de artistas para exposições por meio de edital no segundo semestre de cada ano. Também promove outras mostras durante o ano.
  • Santo Agostinho: av. Barbacena, 1.200, 19º andar, ala B2, tels. (31) 3299-4083 / 4099. Diariamente, 8h/19h. www.cemig.com.br

ESPAÇO CULTURAL FÓRUM LAFAYETTE | TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS

  • Criado em 2004, o espaço promove atividades de cultura, lazer e integração, no próprio ambiente de trabalho, aproximando servidores, magistrados e o público externo. Conta com uma galeria para exposições.
  • Barro Preto: av. Augusto de Lima, 1.549, tel. (31) 3330-2000. Seg. a sex., 8h/18h. www.tjmg.jus.br

ESPAÇO DO CONHECIMENTO UFMG

  • O espaço conta com várias atrações: planetário, terraço astronômico (para observação astronômica acompanhada de especialistas), midiateca, a exposição “Demasiado Humano” (dividida em “O Aleph”, “Origens”e “Vertentes” e que utiliza recursos audiovisuais e interativos) e fachada revestida com um material vítreo especial que a transforma em uma grande tela de projeção.
  • Funcionários: Praça da Liberdade, 700, tel. (31) 3409-8350. Ter. e qua e de sex. a dom., 10h/17h; qui., 10h/21h. Ambientes expositivos e terraço astronômico: entrada gratuita. Planetário: R$ 6. www.espacodoconhecimento.org.br

FUNARTE

  • A Funarte realiza exposições de artes visuais, espetáculos de teatro, dança, circo e música. Também tem atividades de formação e reciclagem de profissionais dessas áreas.

GALERIA DE ARTE COPASA (COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS)

  • A galeria realiza exposições selecionadas por meio de edital.
  • Santo Antônio: r. Mar de Espanha, 525, tel. (31) 3250-1506. Diariamente, 8h/19h. www.copasa.com.br

IGREJA DE NOSSA SENHORA DO CARMO

  • Uma das atrações da igreja são os vitrais com motivos bíblicos sobre Nossa Senhora. Eles foram desenhados e executados pela fábrica Conrado, de São Paulo (SP).

IGREJA SÃO JOSÉ

  • A igreja, em forma de cruz latina, tem estilo manuelino, com fortes influências holandesas. A decoração interior, iniciada em 1910, tem os capitéis das colunas em estilo coríntio. O órgão de tubos foi fabricado em 1927.

MIS (MUSEU DA IMAGEM E DO SOM) | CENTRO DE REFERÊNCIA AUDIOVISUAL

  • O espaço disponibiliza acervo videográfico e fílmico para pesquisadores, produtores audiovisuais e estudantes. Os conteúdos são relativos à produção e preservação audiovisuais, assim como à memória de Belo Horizonte.
  • Centro: av. Álvares Cabral, 560, tel. (31) 3277-6330. Seg. a sex., 9h/17h, mediante agendamento por meio do site www.pbh.gov.br/sac (opção “Cultura”, palavra-chave “audiovisual”).

MUSEU DA FEB (FORÇA EXPEDICIONÁRIA BRASILEIRA)

  • O museu apresenta a história da participação brasileira na Segunda Guerra Mundial. Exibe armas, uniformes, objetos de uso pessoal dos soldados da FEB e documentos.

MUSEU DA HISTÓRIA DA INQUISIÇÃO

  • O museu, inaugurado em 2012, resgata a memória de importantes colonizadores do Brasil: os Cristãos-Novos ou Cripto-Judeus. A história da Inquisição Íbero-Luso Brasileira é contada por meio de 50 painéis com fotos e textos. O acervo bibliográfico reúne 400 obras de autores nacionais e estrangeiros e também livros raros e antigos sobre o tema Inquisição em Portugal. Há ainda réplicas de instrumentos de tortura do século 16.

MUSEU DA PROPAGANDA

  • O museu resgata a memória dos sucessos da propaganda.
  • Floresta: av. Assis Chateaubriand, 167, tels. (31) 2511-3545 / 2516-9101.

MUSEU DE ARTE DA PAMPULHA

  • Mostra Livro de Artista e Múltiplos traz novas aquisições no acervo do MAP adquiridas através do Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça em sua 8ª edição - Funarte. Curadoria de Amir Cadôr (de 02/09/17, às 09h, a 28/11/17).
  • Um dos pontos turísticos mais famosos de Belo Horizonte, o prédio do museu foi projetado pelo arquiteto carioca Oscar Niemeyer (1907-2012) na orla da Lagoa da Pampulha e inaugurado na década de 1940. Faz parte do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, que inclui a Igreja de São Francisco de Assis, a Casa do Baile e o Iate Tênis Clube.

MUSEU DE ARTES E OFÍCIOS

  • O museu, aberto ao público em janeiro de 2006, é dedicado ao trabalho do período pré-industrial no país. Criado pelo Instituto Cultural Flávio Gutierrez (ICFG), ele ocupa os prédios históricos, parte das áreas de embarque e os jardins da Estação Central de Belo Horizonte e da Estação Oeste de Minas, onde funciona a principal estação do Metrô da cidade. O acervo tem cerca de 2.200 peças referentes às tecnologias de produção dos últimos três séculos. São objetos de grande, médio e pequeno portes, confeccionados em madeira, ferro, couro e cerâmica, desde um alambique até minúsculas formas para confecção de jóias.
  • Centro: praça Rui Barbosa, s/nº, tel. (31) 3248-8600. Ter., qui. e sex., 12h/19h; qua., 12h/21h; sáb. e dom., 11h/17h. R$ 4. Alunos de escolas particulares pagam meia entrada. Entrada gratuita para crianças de até 5 anos, para alunos de escolas públicas e para ONGs. Entrada gratuita para o público em geral às quartas-feiras, das 17h às 21h, e aos sábados, das 11h às 17h. www.mao.org.br

MUSEU DE CIÊNCIAS DA FUNDAÇÃO EZEQUIEL DIAS (FUNED)

  • O espaço abriga exposições de peças e equipamentos que remetem à história da saúde pública e da própria instituição. A maioria das peças foi adquirida no início do século 20, importadas principalmente da Alemanha. Muitas foram utilizadas pelo médico e pesquisador Ezequiel Dias (1880-1922).
  • Gameleira: r. Conde Pereira Carneiro, 80, tels. (31) 3371-9441 / 3314-4576. Visitas mediante agendamento realizadas sempre na última quarta-feira de cada mês, às 14h. www.funed.mg.gov.br

MUSEU DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS

  • O museu aborda as ciências morfológicas, fundamentais ao entendimento da estrutura e funcionamento dos organismos. Por meio de exposições didático-científicas permanentes, apresenta peças anatômicas, esculturas em gesso e resina, fotomicrografias de células e tecidos, microscópios de luz e eletrônicos, embriões e fetos em diferentes estágios de desenvolvimento, além de equipamentos de áudio e vídeo.

MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL E JARDIM BOTÂNICO DA UFMG

  • O acervo do museu e jardim botânico tem cerca de 70 mil itens de caráter científico-cultural. As coleções são distribuídas nas áreas: Arqueologia Pré-Histórica, Arqueologia Histórica, Paleontologia, Geologia, Zoologia, Botânica, Etnologia Indígena, Arte Popular e Iconografia. O espaço ocupa uma área verde de preservação ambiental de 600 mil m².
  • Santa Inês: r. Gustavo da Silveira, 1.035, tels. (31) 3409-7600 / 7650. www.ufmg.br/mhnjb

MUSEU DE VALORES DO BANCO CENTRAL DO BRASIL

  • O museu resgata a história financeira do país. O acervo tem cédulas, moedas, documentos, barras de ouro, medalhas e curiosidades ligadas ao dinheiro.
  • Santo Agostinho: av. Álvares Cabral, 1.605, 1° e 2° subsolos, tel. (31) 3253-7123. Seg. a sex., 10h/17h. www.bcb.gov.br

MUSEU DO BORDADO

  • O museu é um projeto da artista Beth Lírio, filha de uma professora de bordado e tapeçaria, Irene Lírio, com quem aprendeu a arte de bordar. O acervo conta com peças datadas desde 1790.

MUSEU DOS BRINQUEDOS

  • O acervo de brinquedos soma 5 mil itens de diversos países, 800 dos quais ficam em exposição permanente. O museu foi idealizado por Luiza de Azevedo Meyer (1912-2000), que guardou os seus brinquedos, os dos dez filhos e os dos 23 netos. Depois, pesquisou e aumentou a coleção. Quando ela morreu, foi criado o Instituto Cultural Luiza Azevedo Meyer. Em 2006, foi inaugurado o museu.

MUSEU DOS MILITARES MINEIROS

  • O museu exibe acervo dividido em salas como: da História, do Colecionador, de Homenagens, dos Patronos e Comandantes Gerais, dos Uniformes e das Mulheres.

MUSEU DOS QUILOMBOS E FAVELAS URBANOS | MUQUIFU | SEDE TEMPORÁRIA

  • O espaço, que tem como foco as questões sociais, promove exposições e oficinas.
  • Santo Antônio: r. Santo Antônio do Monte, 708, tel. (31) 3296-6690. Qua., 14h/17h; sáb., 10h/16h. www.muquifu.com.br

MUSEU GIRAMUNDO

  • O museu é dedicado à história do Giramundo Teatro de Bonecos, grupo mineiro fundado em 1970 e ainda em atividade. O acervo reúne bonecos, cenários e fotografias, além de desenhos e projetos técnicos de Álvaro Apocalypse (1937-2003), cofundador do grupo. A exposição é dividida em: "Gêneros do Teatro de Bonecos" (história e desenvolvimento técnico do teatro de bonecos, com os principais tipos de bonecos e os sistemas de manipulação), "Heróis e Vilões" (a trajetória do Giramundo por meio dos principais personagens), "Brasil em Bonecos" (períodos da história brasileira retratados pelos bonecos do grupo), "Os Bichos" (bonecos de animais reais e imaginários), "Autômatos" (união de tecnologia e arte por meio da exibição de aparatos automáticos de manipulação de bonecos) e "Música e Bonecos" (várias montagens do Giramundo foram baseadas em obras musicais clássicas).
  • Floresta: r. Varginha, 245, tel. (31) 3446-0686. Visitas mediante agendamento. www.giramundo.org

MUSEU HISTÓRICO ABÍLIO BARRETO

  • As origens do museu datam de 1935, quando o jornalista e escritor mineiro Abílio Barreto (1883-1957) foi convidado para organizar o Arquivo Geral da Prefeitura e passou a recolher documentos e objetos históricos. A instituição foi inaugurada em 1943, com a denominação de Museu Histórico de Belo Horizonte. Em 1967, recebeu a denominação atual. Ocupa o casarão oitocentista da antiga Fazenda do Leitão. O acervo é organizado em quatro segmentos: objetos (1.100 peças; pinacoteca, objetos decorativos, mobiliário, vestuário e utensílios domésticos e de uso pessoal, entre outros itens), textual e iconográfico (16.500 documentos; manuscritos, impressos, mapas, plantas e projetos arquitetônicos), fotográfico (20.000 itens datados desde 1894; negativos em acetato e vidro, cópias em papel e material digital) e bibliográfico (4.000 exemplares; livros, periódicos, catálogos, fitas de vídeo, dissertações e recortes de jornais).

MUSEU HISTÓRICO DA POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS

  • O acervo remonta ao século 18 e cobre os períodos Colonial, Imperial e Republicano. São cerca de 8 mil peças, como armas e fardamentos.

MUSEU INIMÁ DE PAULA

  • O museu resgata vida e obra do pintor mineiro Inimá de Paula (1918-1999) por meio da exposição permanente "Presença de Inimá", com obras, documentos, fotografias, livros, objetos pessoais e instrumentos de trabalho do artista.

MUSEU MINEIRO

  • O acervo do museu soma cerca de 2.600 peças. São pinturas históricas, gravuras, esculturas, conjunto de moedas e de armas, achados arqueológicos, mobiliário e imagens sacras e equipamentos litúrgicos dos séculos 18 e 19.
  • Centro: av. João Pinheiro, 342, tel. (31) 3269-1168. Ter., qua. e sex., 10h/19h; qui., 12h/21h; sáb. e dom., 12h/19h. R$ 2. Grátis aos domingos. www.cultura.mg.gov.br | http://museumineiro.blogspot.com.br

PALÁCIO DA LIBERDADE

  • O palácio inaugurado em 1897, sede histórica do Governo de Minas Gerais e antiga residência oficial dos governadores do Estado, oferece roteiro histórico-cultural sobre a história de Minas. Promove a exposição permanente “Palácio da Liberdade – Memórias e Histórias”. Prédio central do conjunto arquitetônico da Praça da Liberdade, tem estilo eclético com influência neoclássica.
  • Savassi: praça da Liberdade, s/n°, tels. (31) 3217-9538 / 9514.

PALÁCIO DAS ARTES

  • O Palácio das Artes é um dos braços da FCS (Fundação Clóvis Salgado). Ladeado pela exuberante vegetação do Parque Municipal, na região central de Belo Horizonte, ocupa uma área de 18,5 mil m². O conjunto arquitetônico reúne vários espaços culturais: o Grande Teatro, o Teatro João Ceschiatti, a Sala Juvenal Dias, o Cine Humberto Mauro e as Galerias de Arte (Alberto da Veiga Guignard, Genesco Murta e Arlinda Corrêa Lima, além do Espaço Mari'Stella Tristão e do Espaço Fotográfico).

SANTA CASA

  • O prédio, inaugurado em 1946, tem projeto do arquiteto italiano Raffaello Berti (1900-1972).
  • Santa Efigênia: av. Francisco Sales, 1.111, ala C, tel. (31) 9657-7047. Seg. a sex., 8h/17h. www.santacasabh.org.br

TEATRO FRANCISCO NUNES

  • Sediado no Parque Municipal, o teatro foi inaugurado em 1950. Leva o nome do clarinetista e maestro mineiro Francisco Nunes (1875-1934). Em 1980, passou por uma grande reforma, mantendo original apenas a fachada.
  • Centro: av. Afonso Pena, s/n°, tels. (31) 3224-4546 / 3277-6325.