destaques
conteúdo
publicidade

A CASA | MUSEU DO OBJETO BRASILEIRO

  • Mostra A Casa A AMA Carnaúba apresenta o trabalho com palha de carnaúba de artesãs que convivem com a seca em comunidades do semiárido e busca o desenvolvimento da região do Vale do Jaguaribe, a cerca de 180 km de Fortaleza (CE). São apresentadas bolsas, mesas, luminárias, pufes, cestos, tapetes e outros objetos exclusivos feitos manualmente pelas moradoras. A ONG construiu poços profundos e sistemas de distribuição de água gerados por energia solar. No trabalho de capacitação, as artesãs aprenderam sobre processo de criação e precificação das peças e participaram de oficinas de trançado, tingimento e costura. Antes, a seca típica do semiárido levava as famílias a caminharem até 6 horas por dia em busca de água. Com água limpa chegando em cada casa das comunidades, a realidade dos moradores começou a mudar e eles puderam dedicar seu tempo a atividades que geram renda, como o artesanato. O designer de artesanato Renato Imbroisi, que trabalha há 30 anos com comunidades, cooperativas e associações, assina a curadoria do projeto. A coordenação é de Eliane Guglieme e a supervisão de Renata Mellão, diretora geral de A Casa (de 5/9 a 4/11/18).
  • Pinheiros: av. Pedroso de Morais, 1.216, tel. (11) 3814-9711. Ter. a dom., 11h/19h. www.acasa.org.br

APBA (ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE BELAS ARTES)

  • Salão do Desenho e Salão da Escultura. Inscrições abertas entre 05 e 18/07 (exposição a partir de 21/07/18).
  • Centro: r. Conselheiro Crispiniano, 53, 13º andar, estação Anhangabaú do Metrô, tel. (11) 3214-4711. Seg. a sex., 9h/17h. www.apba.com.br

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MEDICINA

  • A Sala Modernista exibe mostra permanente com mais de 60 obras, datadas entre o período de 1930 a 2009, de Alex Flemming, Aldemir Martins, Aldo Bonadei, Anita Malfatti, Caciporé Torres, Claudio Tozzi, Di Cavalcanti, Maria Bonomi, Tarsila do Amaral, Alfredo Volpi, José Pancetti, Lasar Segall, Flávio de Carvalho, José Antonio da Silva, Cândido Portinari e outros.
  • Bela Vista: av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278, 8º andar, tel. (11) 3188-4304. Seg. a sex., 9h/19h. www.apm.org.br

CAIXA CULTURAL

  • A mostra Arte pra Sentir reúne obras de seis artistas brasileiros que buscam estimular diferentes aspectos sensoriais no público visitante. Com curadoria de Isabel Sanson Portella, a provocação direta e a transposição dos limites perceptivos da exposição foram o ponto de partida para os artistas Carolina Ponte, Ernesto Neto, Flávio Cerqueira, Floriano Romano, Opavivará e Pedro Varela. Na bertura, às 11h, ocorre uma visita guiada com a curadora e com a especialista em acessibilidade Amanda Tojal. Às 14h, Isabel Sanson Portella também ministra uma palestra sobre arte sensorial (de 04/08/18, às 11h, a 30/09/18).
  • Alice Quaresma apresenta na mostra “Horizonte” um conjunto de obras que ultrapassam a bidimensionalidade da ampliação fotográfica a partir da aplicação de fitas adesivas e pintura, além do uso de campos cromáticos geométricos. Alice arranja seus trabalhos como numa instalação composta por 16 móbiles feitos, a partir de recortes de papel colorido que dialoga e complementa os trabalhos em suspensão. Curadoria de Fernanda Lopes (de 04/08/18 a 30/09/18).
  • Falatorium é instalação multimídia que permite ao usuário passar por sensores que captam as palavras e as transformam em uma melodia híbrida, construída por homens e máquinas (de 6/10 a 16/12).
  • Rubem Valentim, Construção e Fé apresenta 50 obras representativas da carreira do artista baiano, dentre pinturas, gravuras, serigrafias, totens e esculturas (de 6/10 a 16/12).
  • A instalação NeoPanóptico reúne cinco mil olhos de tamanhos variados, em um projeto híbrido, dividido em núcleos, que buscam refletir individualmente sobre diversos aspectos do processo de vigília e voyeurismo consolidado e inserido na sociedade (de 6/10 a 16/12/18).
  • "Diáspora!" apresenta 29 telas e esculturas de Josafá Neves, relacionadas à identidade social dos afro-descendentes no Brasil (de 6/10 a 16/12/18).

CENTRO BRASILEIRO BRITÂNICO

  • O CBB, inaugurado em 2000, foi idealizado pela Cultura Inglesa com o objetivo de reunir atividades relacionadas a cultura, educação, lazer e comércio entre Brasil e Reino Unido. O complexo foi projetado por Botti Rubin e conta com galerias de arte, biblioteca, restaurante, sala de espetáculos e salas de reuniões de algumas instituições, entre elas o Consulado Geral Britânico e a BBC.
  • Pinheiros: r. Ferreira de Araújo, 741, tel. (11) 3035-0500. Seg. a sex., 10h/19h; sáb. e dom., 10h/16h. www.cbb.org.br

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL

  • 100 Anos de Athos Bulcão exibe 300 azulejos, desenhos, pinturas, cenários e figurinos produzidos entre os anos 1940 e 1950 pelo artista carioca (1918-2008), uma das marcas registradas da arquitetura de Brasilia. Curadoria de Marilia Panitz e André Severo (de 1/8 a 15/10/18).
  • Na mostra “Esquinas que Me Atravessam”, Rodrigo Sassi apresenta cerca de 20 obras inéditas feitas entre 2016 e 2018. O conjunto reunido no subsolo do prédio, o antigo cofre, reafirma referências da obra do artista formuladas nos territórios da cidade e da arquitetura. É exposta uma grande instalação central em madeira e concreto, construída a partir dos moldes das fôrmas de concreto armado; no percurso circular proposto estão esculturas de parede em menores dimensões, em madeira, concreto e metal, além de uma série de cinco xilogravuras sobre papel, feita a partir de matrizes igualmente originárias dos vestígios de edificações urbanas. Curadoria de Mario Gioia. Em 23/08, às 19h, ocorre bate-papo com o artista e o curador, seguido de lançamento do catálogo (de 11/08/18 a 22/10/18).
  • Centro: r. Álvares Penteado, 112, tel. (11) 3113-3651. Qua. a seg., 9h/21h. Visitação com hora agendada pelo site www.ingressorapido.com.br, pelo aplicativo da Ingresso Rápido (IOS ou Android) ou na bilheteria. www.bb.com.br/cultura

CENTRO CULTURAL CORREIOS

  • “Cartografias de Gaia” é mostra de Walter Miranda, que cria obras em técnicas mistas e interpretações artísticas de projeções cartográficas, utilizando elementos descartados por processos industriais ou pelo uso cotidiano. Entre placas de computador, componentes eletrônicos, palitos de fósforo queimados, cacos de vidro, filmes de PVC, sementes diversas, conchas, caracóis, terra, areia, pedras, cascos de tatu e outros, as obras tratam sobre como natureza pode existir sem o homem, mas este não sobrevive sem a natureza. Curadoria de Enock Sacramento (de 10/10/18, das 14h às 17h, a 29/11/18).

CENTRO CULTURAL DO ALUMÍNIO | CCAL

  • O espaço cultural multidisciplinar que permite a circulação e observação da história do alumínio, através de obras bibliográficas, históricas e artísticas. O espaço ainda recebe mensalmente exposições temporárias e oficinas com artistas e educadores que utilizam o alumínio nas mais variadas formas de criação.
  • Vila Mariana: r. Humberto, 220 – 4º andar. Tel.: (11) 5904-6459. Seg., a sex., 09h/17h. www.ccaluminio.com.br | contato@ccaluminio.com.br

CENTRO CULTURAL FIESP

  • “Paisagem Ambulante 381”, do fotógrafo mineiro Daniel Moreira, apresenta o longo registro que o artista realizou da BR-381 revelando pessoas e paisagens singulares levando o espectador a refletir sobre a teia de relações que se estabelece entre o ser e a estrada (de 07/08/18, às 19h30, a 14/10/18).
  • Rafael e a Definição da Beleza – Da Divina Proporção à Graça ressalta a importância e a influência do pintor renascentista Rafael. Curadoria de Elisa Byington (de 18/9, às 19h30, a 16/12/18).
  • Que Mostro te Mordeu? A Monstruosa Exposição dos Monstros apresenta o processo de criação da série infantil “Que Monstro Te Mordeu?” em um ambiente lúdico e imersivo (até 28/10/18).
  • Cerqueira César: Av. Paulista, 1.313, estação Trianon-Masp do Metrô, tel. 3146-7439 (Também para agendamento de escolas e grupos). Ter. a sáb., 10h22h; dom., das 10h/20h. www.centroculturalfiesp.com.br

CENTRO DE PESQUISA E FORMAÇÃO – CPF SESC

  • A exposição coletiva Tarefas Infinitas reflete sobre o diálogo entre o livro e a arte, incluindo trabalhos que tem a intenção de transvalorar as funções básicas da leitura. A exposição é também um laboratório de experiências estéticas e artísticas, que interroga a concepção segura e tradicional de livro. Participam do projeto Danilo Santos de Miranda, Diana Mindlin, Paulo Pires do Vale e Rosely Nakagawa (de 08/08/18 a 27/10/18).
  • Bela vista: Rua Dr. Plínio Barreto, 285, 4º andar, tel. (11) 3254-5600. Seg. A sex., 09h30/18h30. sescsp.org.br/cpf

CENTRO HISTÓRICO E CULTURAL MACKENZIE

  • Coletiva Harpias XXI apresenta obras das artistas e professoras da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie Fanny Feigenson, Maria Augusta Pisani, Ruth Verde Zein e Ana Gabriela Gordinho Lima (de 23/8 a 29/9/18).
  • Higienópoilis: r. Itambé, 143, Prédio 1, tel. (11) 2114-8661. Seg. a sex., 9h/21h; sáb., 10h/16h. www.mackenzie.br

ESPACIO URUGUAY | BANCO DE LA REPUBLICA ORIENTAL DEL URUGUAY

  • Além da exposição de obras de arte na temática do azul, durante a abertura da mostra Blues & Blues haverá uma apresentação da dupla Fernando Naviskas (voz e percussão) e Sebastian Júnior (voz e piano). Para revelar a percepção artística sobre todo o seu potencial, a exposição com curadoria de Sandra Honors (também autora do projeto), propôs como inspiração para as obras produzidas pelos 31 artistas convidados, justamente, as múltiplas interpretações suscitadas por essa tonalidade. Participam Adelisa Ribeiro Machado, Aidê Zorek, Angelina Zambelli, Chana Rosenberg, Cibele Nakamura, Clóvis Loureiro, Eliane Amorim, Felix Fassone, Fernando Naviscas, Fuzi Daki, Kátia Almeida, Kiki Stefani, Kity Mendonça, Krys Potter, Laila Guimarães, Lélia Accioli, Luisa Dequech, Marcello Jardim, Marisa Romeo, Nancy Passos, Nati Sàez, Paulette Gerecht, Ramona Kiessling, Regina Freitas, Regina Helene, Rita Tucci, Simone Ztellzer, Sônia Scalabrin, Soraia Persoli, Suely CM e Zilamar Takeda (de 05/09/18, das 18h30 às 21h30, a 02/10/18).
  • Primeiro Espacio Uruguay construído no exterior, na sede do Banco de la República Oriental del Uruguay, foi inaugurado em 2011, pelo ex-presidente uruguaio José Mujica. O espaço mantém um calendário anual com manifestações artísticas da cultura de países com os quais o Uruguai mantém relações.
  • Cerqueira Cesar: av. Paulista, 1.776, 9º andar, elev. 3 e 4, próximo às estações Consolação e Trianon-Masp do Metrô, tel. (11) 3373-6648. Seg. a sex., 14h/18h. www.facebook.com/espaciouruguaysaopaulo

ESPAÇO CULTURAL PORTO SEGURO | alameda Barão de Piracicaba

  • Mostra retrospectiva do fotógrafo Bob Wolfenson reúne 200 de seus mais marcantes retratos da iconografia brasileira recente. A mostra abarca e funde em diferentes núcleos, como as personalidades da cultura, do esporte, da política e da moda, entre fotos produzidas para editoriais ou por iniciativa do fotógrafo. Entre os retratados, nomes como Hélio Oiticica, Fernanda Montenegro, Caetano Veloso, Tais Araújo, Marília Gabriela, Lázaro Ramos, Camila Pitanga, Anitta, Ludmila, Laerte, Zé Celso, Lula, Fernando Henrique Cardoso, Paulo Maluf, Luiza Erundina, Eduardo Suplicy, Pelé, Ronaldo e muitos outros. Curadoria de Rodrigo Villela (de 23/08/18, às 19h, a 09/12/18).
  • Com área total de 961m², o novo espaço integra o Complexo Cultural Porto Seguro, que abriga, em um mesmo quarteirão, o Teatro Porto Seguro, o restaurante e o café Gemma, além de obras de arte instaladas no entorno da sede da empresa. O Espaço é uma plataforma das mais diversas manifestações artísticas e culturais com ênfase no pensamento contemporâneo. O lugar atua como vitrine, observatório e usina de arte, promovendo o diálogo com a sociedade por meio de exposições, cursos, oficinas, palestras, laboratório de fabricação digital PortoFabLab e outros.
  • Campos Elíseos: alameda Barão de Piracicaba, 610, tel. (11) 3226-7361. Ter. a sáb., 10h/19h; dom., 10h/17h. Estacionamento pago no local. Vans gratuitas fazem o transporte de ida e volta da Estação da Luz (na saída Praça da Luz; Rua José Paulino) às dependências do espaço cultural. www.espacoculturalportoseguro.com.br

ESPAÇO CULTURAL VÉRTICE

  • Maré, Silvia Ruiz conta com trabalhos bidimensionais e tridimensionais fazendo uso das técnicas de gravura. Será apresentada uma instalação, fotografias, gravuras de grandes e médios formatos e um projeto parede exclusivo em lambe-lambe que ocupará uma das paredes centrais da mostra. A instalação que será realizada é um prolongamento da residência artística que a artista foi contemplada no Vale do Ribeira (de 2/8 a 28/9).
  • O Espaço Cultural Vértice é uma iniciativa do Colégio Vértice para o incentivo à cultura. Fundado em 2010, oferece uma programação variada de cursos, palestras, oficinas e exposições.

FAROL SANTANDER

  • “Trem das Onze – uma Viagem pelo Mundo de Adoniran” apresenta retrospectiva por meio de peças de seu acervo, a vida e obra do compositor, cantor, ator, humorista e artesão Adoniran Barbosa (de 24/07/18 a 2019).
  • Centro: R. João Brícola, 24, estação São Bento do Metrô, tels. (11) 3249-7180 / 7466. Ter. a dom., 09h/19h. Ingrs.: de R$ 7,50 a R$ 20 pelo Ingresso Rápido. www.farolsantander.com.br

GALPÃO VB

  • Primeira individual da renomada artista mexicana Minerva Cuevas, a mostra “Dissidência” é composta por sete obras em vídeo e uma projeção de slides. Se apropriando frequentemente da linguagem do marketing e da publicidade, muitos de seus trabalhos dialogam com ícones da cultura pop para repensar as relações sociais, o papel de grandes corporações na produção de alimentos e o uso de recursos naturais. Com apoio da galeria mexicana Kurimanzutto, a mostra aposta na junção da arte e do ativismo, em um momento marcado por alterações graves na legislação referentes ao uso de agrotóxicos, ao desmatamento da Amazônia, demarcação de terras indígenas no Brasil. Curadoria de Gabriel Bogossian e Solange Farkas (de 30/8, às 19h, a 15/12/2018).
  • Vila Leopoldina: av. Imperatriz Leopoldina, 1.150, tel. (11) 3645-0516. Ter. a sex., 12h/18h; sáb., 11h/17h. www.videobrasil.org.br

GARE CULTURAL | ABRA (ACADEMIA BRASILEIRA DE ARTE) | Vila Mariana

  • Além da Figuração exibe desenhos, pinturas e colagens infantis inspirados em arte abstrata, surrealismo e arte contemporânea (de 6 a 31/10/18).
  • Vila Mariana: r. Cubatão, 959, tels. (11) 3564-2695 / 2696. Seg. a qui., 8h30/21h30; sex., 8h30/20h; sáb., 8h30/14h. www.abra.com.br/vilamariana

HOTEL HILTON | CANVAS BAR & RESTAURANTE

  • Mostra individual “Ensaio para o Tempo” apresenta a produção em óleo e acrílica sobre papel, papelão, lona e tela do artista paulistano Maurício Mallet, Seu trabalho se desenvolve tomando como base figuras abstratas criadas por silhuetas solitárias e com cores dominantes e já foi premiado no 23o Salão de Artes Plásticas de Mococa (2015) e no Salão de Artes Visuais de Vinhedo (2016) (de 28/5 a 29/9/18).

IED (ISTITUTO EUROPEO DI DESIGN)

  • A exposição Utensílios Nativos traz um conjunto de peças de uso doméstico criadas a partir de madeira nativa brasileira, por nove designers brasileiros: Gustavo Dias, Hugo França, Juliana Llussá, Leonardo Bueno, Natasha Schlobach, Pedro Braga, Ricardo Graham, Rodrigo Ambrósio e Sérgio Cabral (de 12/09/18 a 30/09/18).
  • Higienópolis: r. Maranhão, 617, tel. (11) 3660-8000. Seg. a sex., 9h/21h. www.ied.edu.br

INSTITUTO MOREIRA SALLES | PAULISTA

  • São Paulo, Três Ensaios Visuais, com curadoria de Guilherme Wisnik, resgata os personagens da cidade, com fotografias feitas a partir de 1862, de Militão Augusto de Azevedo, Alice Brill e Mauro Restiffe, entre outros (até 30/09/18).
  • A exposição Irving Penn: Centenário apresenta um panorama da importante produção do fotógrafo norte-americano em uma seleção de 230 fotografias, concebidas ao longo de quase 70 anos de carreira, além de cerca de 20 periódicos. A mostra, que foi exibida pela primeira vez no Metropolitan Museum of Art (The Met), evidencia a ampla variação temática de Irving (1917-2009), que, além de trabalhos inovadores no campo da moda, produziu retratos, naturezas-mortas, nus femininos e peças publicitárias. As obras ocupam dois andares do instituto e divididas em 12 eixos temáticos, nos quais são destacados os processos de experimentação que permeia a produção do artista. Entre outras obras, a retrospectiva também traz edições da Vogue, exibidas em vitrines; e um um cenário de canto, similar ao utilizado por Penn em seus retratos. A curadoria é de Maria Morris Hambourg, curadora independente, e de Jeff L. Rosenheim, curador do departamento de fotografia do The Metropolitan Museum of Art, em colaboração com a Fundação Irving Penn. Na abertura, às 18h30, os curadores participam de uma conversa com o coordenador de fotografia do IMS Sergio Burgi (de 21/08/18, das 18h às 22h, a 18/11/18).
  • Millôr: Obra Gráfica reúne 500 originais do humorista, dramaturgo, jornalista e tradutor Millôr Fernandes. A mostra é a primeira retrospectiva dedicada aos seus desenhos, e reúne 500 originais. A curadoria é de Cássio Loredano, Julia Kovensky e Paulo Roberto Pires (18/9, às 18h, a 27/1/2019).
  • Exposição permanente: “Câmera Aberta” é um projeto do alemão Michael Wesely iniciado em 2014 a convite do Instituto Moreira Salles, que capturaram continuamente imagens das quatro faces do novo centro cultural sendo construído. As quatro imagens do projeto e uma das câmeras utilizadas estão expostas no Estúdio, espaço que ocupa o último andar do instituto.
  • Bela Vista: av. Paulista, 2.424. Tel.: (11) 2842-9120. Ter. a dom. e feriados, 10h/20h; qui., 10h/22h. www.ims.com.br

INSTITUTO TOMIE OHTAKE

  • Mostrado 5º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake Akzo Nobel reúne 13 projetos finalistas. São eles: Cais do Sertão (Recife) da Brasil Arquitetura de Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz e Pedro Del Guerra; Casa 711H (Brasília) do Bloco Arquitetos de Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco; Casa do Carnaval (Salvador) do A&P arquitetura e urbanismo de Alexandre Prisco Paraíso Barreto e Nivaldo de Andrade Junior; Casa no Cerrado (Moeda – MG) do Vazio S/A de Carlos M. Teixeira; Estúdios Ouro Preto (Sete Lagoas – MG) do Arquitetos Associados de Carlos Alberto Maciel e Ulisses Mikhail Jardim Itokawa; Hostel Villa 25 (Rio de Janeiro) do C+P Arquitetura de Rodrigo Calvino e Diego Portas; Parque Novo Santo Amaro V (São Paulo) do Vigliecca&Associados de Héctor Vigliecca, Luciene Quel, Neli Shimizu e Ronald Werner Fiedler; Residência em Gonçalves (Gonçalves- MG) do André Vainer Arquitetos de André Vainer; Residência Piracaia (SP) do Nitsche Arquitetos Associados Ltda de Lua Nitsche e Pedro Nitsche; Sede de uma Fábrica de Blocos (Avaré-SP); “Vão” de Anna Juni, Enk te Winkel e Gustavo Delonero; Sesc 24 de Maio (São Paulo); Paulo Mendes da Rocha + MMBB Arquitetos, com Marta Moreira, Milton Braga e Fernando de Mello Franco; Vila Amélia (Sertãozinho-SP), do VAGA de Fernando O’Leary, Pedro Domingues e Pedro Faria; e Vila Taguaí (Carapicuíba-SP) de Cristina Xavier Arquitetura. Na abertura serão anunciados os vencedores (exposição de 23/08/18, às 20h, a 23/09/18).
  • A exposição coletiva Histórias Afro-Atlânticas, em parceria com o Masp, apresenta um desdobramento da exposição “Histórias Mestiças”, realizada em 2014, no Instituto. A exposição cerca de 400 obras de mais de 200 artistas, tanto do acervo do MASP, quanto de coleções brasileiras e internacionais, incluindo desenhos, pinturas, esculturas, filmes, vídeos, instalações e fotografias, além de documentos e publicações, de arte africana, europeia, latino e norte-americana, caribenha, entre outras. A curadoria conta com Adriano Pedrosa e Lilia Schwarcz, que também organizaram a mostra em 2014, junto a Ayrson Heráclito e Hélio Menezes, curadores convidados, e Tomás Toledo, curador assistente. Nos dias 24, às 19h, 25 às 17h e 26/08, às 19h, ocorre a Mostra de Performances “E Eu Não Sou Uma Mulher?” que traz produções das artistas Luciane Ramos Silva, Michelle Mattiuzzi, Priscila Rezende e Renata Felinto, que dialogam com as questões da negritude feminina (de 30/06/18, das 11h às 15h, a 21/10/18).
  • AI-5 - 50 Anos:Ainda Não Terminou de Acabar é exposição-resposta aos 50 anos do Ato Institucional No. 5, marco do agravamento do totalitarismo da ditadura civil-militar brasileira (1964-1985), composta por produção de artes visuais do período. A pesquisa curatorial, com coordenação de Paulo Miyada, tem como núcleo ideias e iniciativas que nasceram em tensão com a interdição da própria opinião política, virtualmente criminalizada pelas práticas de censura e repressão. Em alguns casos, as obras reunidas foram proibidas, destruídas ou subsistiram ocultas; sua circulação foi seriamente contida e seus modos de expressão passaram por codificações e táticas de resistência. Participam Nelson Leirner, Anna Bella Geiger, Anna Maria Maiolino, Antonio Dias, Bené Fonteles, Carlos Pasquetti, Carmela Gross, Claudia Andujar, Claudio Tozzi, Cibèle Varela, Cildo Meireles, Evandro Teixeira, Gilberto Gil, Glauber Rocha, Glauco Rodrigues, Grupo Arte/Ação (Genilson Soares e Francisco Iñarra), Paulo Bruscky, Paulo Nazareth, Regina Vater, Regina Silveira e outros (de 04/09/18, às 20h, a 04/11/18).

ITAÚ CULTURAL

  • Retrospectiva German Lorca: Mosaico do Tempo - 70 Anos de Fotografia marca os 70 anos de atuação do fotógrafo de 96 anos. São exibidas 150 imagens divididas em ensaios, séries, retratos, autoretratos, trabalhos publicitários e principalmente de visões urbanas de São Paulo. Há ainda mostra de câmeras fotográficas utilizadas por ele e documentos . Curadoria de Rubens Fernandes Junior (até 4/11/18).
  • Ocupação Paulo Mendes da Rocha repassa a trajetória do arquiteto ganhador do Prêmio Pritzker e autor de projetos como o MuBE e renovação da Pinacoteca (de 12/9, às 20h, a 4/11).
  • O espaço, que sempre realiza exposições de arte, conta também com uma midiateca voltada à arte e cultura brasileiras e composta por biblioteca (fechada para reformas), videoteca, hemeroteca e cedeteca, reunindo um acervo de 40 mil títulos. Visitação: ter. a sex., 12h/20h; sáb., 10h/19h. Já a Itaú Numismática reúne mais de 2 mil objetos expostos, entre moedas portuguesas e brasileiras, medalhas e condecorações. Visitação: ter. a qui., 10h/17h; qua., 11h/21h; sex. e sáb., 10h/19h.
  • Cinco séculos de arte brasileira estão reunidos em dois andares da instituição, o Espaço Olavo Setubal – Coleção Brasiliana Itaú exibe permanente parte das coleções Brasiliana Itaú e Itaú Numismática do banqueiro e ex-prefeito de São Paulo. São obras fundamentais que percorrem desde o descobrimento até o final do século XX. 1300 itens, entre pinturas, gravuras, documentos históricos, livros, incluindo trabalhos de inestimável valor histórico. O espaço abriga também a coleção de numismática da instituição, que traça um amplo panorama das moedas cunhadas e que tiveram circulação pelo país, entre outras curiosidades (a partir de 13/12/14, às 11h).
  • A Ocupação Ilê Aiyê investiga história de um dos principais blocos do país, desde seu nascimento em 1974 até hoje. O percurso é dividido em quatro núcleos que levam as cores da logo do grupo, entre amarelo, preto, vermelho e branco. São expostas fotografias feitas especialmente para a ocupação, entrevistas em vídeos com personagens históricos do bloco e instrumentos de percussão. Em 05/10, ocorre apresentação dos blocos Ilu Inã e Ilú Obá de Min; em 06/10 o Ilê convida ao palco as cantoras baianas Xenia França e Luedji Luna (a partir de 03/10/18).
  • Cerqueira César: av. Paulista, 149, estação Brigadeiro do Metrô, tels. (11) 2168-1700 / 1777. Ter. a sex., 9h/20h; sáb. e dom., 11h/20h. www.itaucultural.org.br

JAPAN HOUSE

  • A exposição Dimensão faz uso de tecnologia, iluminação e som para instalações imersivas que criam arquiteturas virtuais. A nova perspectiva apresentada sobre arquitetura e tecnologia permite a criação de fascinantes espaços efêmeros, construídos por meio de instalação com três obras. O projeto é colaborativo e fundado pelo arquiteto e músico Takami Nakamoto e pela ilustradora Noemi Schipfer (de 02/10/18 a 06/01/19).
  • O novo centro cultural da cidade promove, em seus três andares, exposições, seminários, workshops e atividades com os mais relevantes criadores e empreendedores japoneses da atualidade nas artes, no design, na moda, na gastronomia, na ciência e na tecnologia. O espaço abriga ainda um restaurante, loja de produtos de alta qualidade, uma biblioteca e um café. O novo espaço é um dos três que o governo japonês abrirá no mundo em 2017, além de Londres e Los Angeles, e que pretendem mostrar o melhor do Japão no século 21.

MAB (MUSEU DE ARTE BRASILEIRA) | FAAP | CENTRO

  • A exposição Formados marca o começo da vida profissional dos artistas formados em 2017 e 2018 (de 29/9 a 8/12/18).
  • O espaço fica no Edifício Lutetia, de propriedade da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado). É um projeto de Ramos de Azevedo (1851-1928) inaugurado na década de 1920. A construção faz parte de um conjunto de três prédios independentes com uma fachada única, tendo oito pavimentos, mais o térreo e o subsolo, em um terreno de 256 m². Além disso, o edifício possui oito lofts que hospedam artistas brasileiros e estrangeiros, estudantes de artes plásticas, em projetos de intercâmbio cultural.
  • Centro: Praça do Patriarca, 78, Edifício Lutetia, tel. (11) 3101-1776. Seg. e qua a sex., 10h/18h com permanência até às 19h. Sáb., dom., e feriados, 10h/17h, com permanência até às 18h. Fechado às terças-feiras. www.faap.br/museu

MAB-FAAP (MUSEU DE ARTE BRASILEIRA DA FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO)

  • Toyota – O Ritmo do Espaço apresenta o percurso do artista japonês, e naturalizado brasileiro, com cerca de 80 obras, reunindo trabalhos dos anos 1960, uma recriação da instalação imersiva Quarto Escuro, da X Bienal, obras premiadas no Panorama do Museu de Arte Moderna de São Paulo, na década de 1970. A mostra traz ainda obras pertencentes a acervos de instituições como MAC Niterói, MAM-RJ, Palácio Itamaraty, Coleção Roberto Marinho, além de importantes coleções particulares. Dentro do núcleo histórico tem destaque um ensaio fotográfico realizado por Alair Gomes sobre a obra de Toyota. Curadoria de Denise Mattar. Em 08/08, das 14h às 16h, o artista realiza uma visita guiada e conta ainda com um workshop de escultura. O evento é gratuito e acontece na Sala Annie Penteado (de 23/06/18, das 15h às 16h, a 23/09/18).
  • Mostra com grandes pinturas do artista chinês Sun Hao (1980) (de 18/10 a 3/11/18).
  • O 50ª Anual de Artes FAAP apresenta trabalhos selecionados por uma comissão de especialistas, apresentando a produção em artes visuais dos alunos da FAAP (de 29/10 a 10/2/2019).
  • Exposição comemorativa dos 20 anos de atividades do Programa de Residência Artística da FAAP, na Cité des Arts (de 29/10 a 10/2/2019).
  • O espaço abriga exposições de longa duração que rendem tributo à cor como componente fundamental na composição da linguagem visual: P/B - Acervo MAB, um recorte de obras exclusivamente dominadas pelos pigmentos preto, branco e as gamas intermediárias de tons cinza que existem entre eles (de 17/01/18 a 16/12/18).
  • "A Cor Não Tem Fim: Pinturas e Tapeçarias de Jacques Douchez", com pinturas, desenhos e tapeçarias do francês Jacques Douchez. Radicado no Brasil em 1949, o artista foi um dos mais notáveis tapeceiros da segunda metade do século 20, uma vez que suas ideias e realizações passaram a distinguir artisticamente a tapeçaria produzida no país. Em 21/05, às 14h, ocorre uma conversa aberta com a galerista Graça Bueno e o curador Antonio Carlos Suster Abdalla (de 17/01/18 a 16/12/18).
  • O MAB-Faap, inaugurado em 1960, mantém em acervo obras de artistas modernistas como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Brecheret, Portinari, Di Cavalcanti, Segall, Guignard e Volpi; e de artistas de períodos posteriores como Tomie Ohtake e Evandro Carlos Jardim. No saguão do espaço, o público pode conferir 19 moldagens em gesso de esculturas de Aleijadinho, portais de igrejas e residências mineiras e baianas relacionadas ao barroco brasileiro. Também no saguão há dois painéis de vitrais realizados pela Casa Conrado, sendo que um deles, o do teto, é da artista Cláudia Andujar. Na área externa do prédio, o Jardim de Esculturas reúne obras em grandes formatos de Amílcar de Castro, Arcângelo Ianelli, Bruno Giorgi, Caciporé Torres, Franz Weissmann, Maria Guilhermina, Vlavianos, Sergio Camargo e Yutaka Toyota.
  • Higienópolis: r. Alagoas, 903, tel. (11) 3662-7198. Seg., qua., qui. e sex., 10h/19h (entrada até 18h); sáb. e dom., 10h/18h (entrada até 17h). www.faap.br/museu

METRÔ | ESTAÇÃO ADOLFO PINHEIRO

  • Exposição de longa duração O Bonde em Santo Amaro.
  • Santo Amaro: av. Adolfo Pinheiro, 300.

METRÔ | ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA

  • Exposição de longa duração O Metrô e Seus Bairros - Ipiranga: o Bairro do Grito.

METRÔ | ESTAÇÃO CORINTHIANS-ITAQUERA

  • Produzido por Cinemagia, a estação abriga a mostra do Projeto Encontros – Memorial do Corinthians (mostra de longa duração).

METRÔ | ESTAÇÃO LARGO TREZE

  • Exposição de longa duração O Metrô e Seus Bairros – Santo Amaro.

METRÔ | ESTAÇÃO LIBERDADE

  • Vitrine de Ikebana (mostra de longa duração).

METRÔ | ESTAÇÃO SANTA CECÍLIA

  • A exposição “Chegou o Momento da Luz”, com 20 obras em técnica pontilhista da artista Izabel Litieri, que refletem sobre a natureza e a necessidade da consciência da luz em todos os aspectos da vida (de 10/09/18 a 30/09/18).

METRÔ | ESTAÇÃO TIRADENTES

  • A estação recebe obras do acervo do Museu de Arte Sacra e passa a ter uma sala fixa de exposições, a Sala Metrô Tiradentes, com uma área de 150m² no mezanino destinada exclusivamente para mostras de arte sacra. A estreia do novo espaço é com a mostra Em Busca do Presépio Universal, de longa duração, com cerca de 30 conjuntos de diversas nacionalidades e integrantes da Coleção de Presépios do MAS, com curadoria de Maria Inês Lopes Coutinho. Destaque para o Presépio Napolitano, confeccionado entre os séculos 18 e 20 com barro cozido e policromado, madeira, tecido, liga metálica e gesso. Dentre os conjuntos também está “La Nascita de la Esperanza”, obra de Ulderico Pinfildi, uma das maiores autoridades do mundo em presépios. A sala fica na área paga da estação (A partir de 01/12/15. Mostra de longa duração. Qua. a sex., 9h/17h; sáb. e dom., 10h/18h).

PIVÔ

  • “O Mundo Real Não Alça Vôo” é primeira exposição individual do artista mexicano Rodrigo Hernández, que exibe resultados da residência artística no Pivô. São expostos objetos de papelão, com jogos de formas geométricas que se sobrepõem onde figura e fundo se confundem. Integra com uma pintura de parede em larga escala, baseada em padrões geométricos usados na moda e na Opart dos anos 1960 e 70 (de 02/09/18, das 16h às 19h, a 27/10/18).
  • Letícia Ramos apresenta o projeto “História Universal dos Terremotos”, desenvolvido com o apoio da Bolsa de Artes da Fundação Botín (Espanha), sobre um terremoto, seguido de um tsumani e um incêndio, que devastou Lisboa em 1775, deixando fortes marcas no imaginário do país e em sua relação com o Brasil, então colônia. A artista parte deste evento para produzir uma sequência ficcional, na qual cada imagem evolui para técnicas de fotografia analógica, criando diversos aparatos paralelos (de 02/09/18, das 15h às 19h, a 27/10/18).
  • Fundada em 2012, a associação cultural atua como plataforma de intercâmbio e experimentação artística. O foco das atividades é o processo de construção e difusão de ideias a partir de concepção e desenvolvimento das propostas dos artistas. A programação contempla desde exposições, projetos específicos, intervenções, até edições e ateliês temporários.
  • Centro: Edifício Copan, av. Ipiranga, 200, bloco A, loja 54, tel. (11) 3255-8703. Ter. a sex., 13h/20h; sáb., 13h/19h. www.pivo.org.br

SESC 24 DE MAIO

  • A mostra Lasar Segall: Um Ensaio sobre a Cor apresenta 100 obras divididas em quatro segmentos cromáticos: “Angustia”, “Sob o Signo dos Trópicos”, “Intimismo e Compaixão” e “Síntese e Atualização”. Para cada núcleo a curadora Maria Alice Milliet escolheu outro artista para criar diálogo (de 17/10 a 5/3/2019).
  • Centro: R. Dom José de Barros, 178, esquina com a R. 24 de Maio, tel. (11) 3111-7000. Ter. a sáb., 09h/21h. Dom. e feriado, 09h/18h. www.sescsp.org.br/24demaio

SESC AVENIDA PAULISTA

  • A nova unidade Avenida Paulista ocupa prédio comercial dos anos 1970 requalificado pela dupla de arquitetos Königsberger e Vannucchi após uma década de reformas. Dos 17 andares quatro foram transformados em duas duplas de pés direitos maiores para exposições. Voltado para arte e tecnologia o local conta ainda com biblioteca de arte, espaços multiusos e mirante no topo.
  • A Coleção Sesc de Artes exibe obras adquiridas para a unidade e do acervo de Rosangela Rennó, Dora Longo Bahia, Waldemar Cordeiro, Elida Tessler, Arthur Lescher, Lenora de Barros e outros (longa duração).
  • Cerqueira César: av. Paulista, 119, estação Brigadeiro do Metrô, tel. (11) 3179-3700. Ter. a sex., 11h/21h; sáb. e dom., 11h/20h. www.sescsp.org.br

SESC BELENZINHO

  • A exposição coletiva Via Aérea, reúne trabalhos de 12 artistas visuais da cena contemporânea nacional e internacional e traz esculturas, instalação, filme, fotografias e vídeos em disposição aérea, que se relacionam com a arquitetura da unidade ao explorar o aspecto de leveza e as transparências. As criações se apresentam suspensas, flutuantes, içadas. Participam os artistas Adrià Julià (espanhol, radicado na Noruega), Daniel Lie & Centro de Morte para xs Vivxs (São Paulo, SP), Distruktur (duo de brasileiros, radicados na Alemanha), Ernesto Neto (do Rio de Janeiro, RJ), Geraldo Zamproni (de Curitiba, PR), Isabel Caccia (de Córdoba, Argentina), Jarbas Lopes (de Nova Iguaçu, RJ), Letícia Ramos (gaúcha, radicada em São Paulo), Lucía Madriz (da Costa Rica, radicada na Alemanha), Merce Cunningham (EUA), Fancy Violence (personagem/alter ego do paulistano Rodolpho Parigi) e Sérgio Bonilha & Luciana Ohira. Curadoria de Marcio Harum (São Paulo, SP) (de 30/08/18, às 20h, a 02/12/18).
  • Belenzinho: r. Padre Adelino, 1.000, próximo à estação Belém do Metrô, tel. (11) 2076-9700. Ter. a sáb., 10h/21h; dom., 10h/19h. www.sescsp.org.br

SESC BOM RETIRO

  • A exposição A Ilustração Como Porta Para o Mundo - 50 anos da Mostra de Ilustradores da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha recebe pela primeira vez no Brasil trabalhos de 50 artistas participantes da história da feira de livro italiana, além cinco artistas brasileiros. Curadoria de Paola Vassalli e Dolores Prades (de 09/07/18, às 11h, a 14/10/18).
  • Acervo Permanente de Obras Contemporâneas. O Sesc Bom Retiro, inaugurado em 2011, é a unidade do Sesc no Estado de São Paulo com o maior conjunto de obras de arte. Os três andares abrigam cerca de 40 trabalhos assinados por artistas brasileiros contemporâneos como Daniel Costa, Anna Maria Maiolino, Daniel Costa, Descartes Gadelha, Cleber Machado, Anna Teixeira, Iran do Espírito Santo, J.Borges, Karen Kabbani, Marcelo Ivanhez, Maria Lira, Rubens Gerchman, Arthur Barrio, Bernadete Amorim, Claudio Tozzi e Marcelo Ivanhez.
  • Bom Retiro: al. Nothmann, 185, tel. (11) 3332-3600. Ter. a sex., 9h/20h30; sáb. e dom., 10h/17h30. www.sescsp.org.br

SESC CONSOLAÇÃO

  • A exposição “Origem dos Rostos” de Arthur Omar reúne séries fotográficas, projeções, imagens que têm origem em diferentes épocas, lugares, mas que formam uma única instalação. Curadoria de Adolfo Montejo Navas (de 29/08/18, às 20h, a 01/12/18).
  • Vila Buarque: r. Dr. Vila Nova, 245, tel. (11) 3234-3000. Seg. a sex., 9h/21h30; sáb., 9h/17h30. www.sescsp.org.br

SESC INTERLAGOS

  • A mostra Acervo Sesc de Arte Brasileira traz obras de Denise Millan, Nicolas Vlavianos, João Câmara, Tide Hellmeister, Silvio Dworecki e outros. “Sonhos Gregos” conta com pinturas de John Graz (1891-1980). O projeto artístico e cenográfico “Canto das Artes” foca as atenções para a pintura “Nu”, de Carlos Leão. Eduardo Ver exibe xilogravura (mostras de longa duração).
  • Interlagos: av. Manuel Alves Soares, 1.100, tels. (11) 5662-9500 / 9521. Qua. a dom., 9h/17h. www.sescsp.org.br

SESC PINHEIROS

  • O Outro Transatlântico – Arte Cinética e Op Art na Europa Oriental e América Latina de 1950 e 1970 traça as semelhanças entre a arte cinética e op art produzidas em Varsóvia, Budapest, Zagreb, Bucareste, Moscou, Buenos Aires, Caracas, Rio e São Paulo em oposição ao expressionismo abstrato e arte informal feita em Nova York e Paris. A organização é do Museu de Arte Moderna de Varsóvia. Curadoria de Marta Dziewanska (de 09/08/18, às 20h, a 28/10/18).
  • Pinheiros: r. Paes Leme, 195, tels. (11) 3095-9400 e 0800-118220. Ter. a sex., 13h/22h; sáb., 10h/21h; dom.,10h/18h30. www.sescsp.org.br

SESC POMPEIA

  • A mostra Vkhutemas 1918-2018: O Futuro em Construção traz uma ocupação das oficinas do Sesc Pompéia com uma reconstrução dos acervos produzidos por mestres e alunos da escola soviética “Vkhutemas” em seus cursos superiores de arquitetura, cerâmica, metal, madeira, têxtil e poligráfica. A mostra reúne pela primeira vez nas Américas cerca de 300 projetos desenvolvidos na escola soviética de artes Vkhutemas (lê-se “vrrutemas”), que foram especialmente recriados para essa exibição. Entre os autores, estão 75 artistas, designers e arquitetos como Ródtchenko, Tátlin, Kandinsky, Maliévitch, El Lissítzki, Zaliésskaia e Komaróva. Curadoria de Celso Lima e Neide Jallageas (de 26/06/18, às 20h, a 30/09/18).
  • Na área de convivência, a mostra Arte-Veículo apresenta obras de 47 artistas e coletivos das mais diferentes linguagens que se utilizam dos veículos de comunicação como suporte e difusão. Os trabalhos são dos últimos 60 anos, desde o surgimento da TV no Brasil (1950) até a difusão da internet (anos 2000). A mostra apresenta obras de Antonio Manuel, Geraldo Anhaia, Grupo Videohackers, Grupo 3NÓS3, Grupo Manga Rosa, Nuno Ramos, Analívia Cordeiro, Aretha Sadick e Explode!, Cildo Meirelles, Eduardo Coutinho, Márcia X., Neide Sá, Yuri Firmeza, Aimberê César, Éder Oliveira, Jac Leirner, Daniel Santiago e outros. Curadoria de Ana Maria Maia (de 28/08/18, às 20h, a 02/12/18).
  • Pompeia: r. Clélia, 93, tels. (11) 3871-7700 e 0800-118220. Ter. a sáb., 9h/22h; dom., 9h/20h. www.sescsp.org.br

SESC SANTANA

  • A exposição Histórias (Não) Contadas propõe discursar sobre o momento atual do país, dando ênfase sobre as noções de fronteira, entre centro e periferia, moldadas a partir dos interesses das oligarquias das cidades. Participam as obras “Art Book”, de Bruno Moreschi; “Ocupações - Cultura e Luta”, com fotografias de Miguel Salvatore, Ana Luisa Seco, Marcio Ramos e Mildo Ferreira; “Fake News”, com grafites de Enivo, Paulo Ito e Quinho; e “Ao Norte do Rio” de Jaime Lauriano, que ocupa a área de convivência da unidade. Em 22/8, às 20h, ocorre uma visita guiada com o artista seguida de conversa com o público (de 23/08/18 a 23/11/18).
  • A instalação “Jardins Inférteis” da artista Beatriz Chachamovits traz um conjunto de esculturas em cerâmica que representam diferentes espécies de recifes de corais em risco de extinção. A artista busca refletir sobre este ecossistema que está se esvaindo sem ser visto, convidando a descobrir uma complexa rede biológica em que a ideia de sistema se materializa através da organização, repetição e simetria (de 28/08/18 a 01/12/18).
  • Santana: av. Luiz Dumont Villares, 579, tel. (11) 2971-8700. Ter. a sex., 13h/21h; sáb. e dom., 10h/18h. www.sescsp.org.br

SESC SANTO AMARO

  • A mostra permanente Acervo SESC de Arte Brasileira ocorre em todas as unidades SESC da capital e do interior. No SESC Santo Amaro podem ser vistas obras de Luis Hermano, José Patrício, Efrain Almeida, Amélia Toledo, João Câmara e Alex Cerveny, entre outros.
  • Santo Amaro: r. Amador Bueno, 505 - Santo Amaro, tel: (11) 5541-4000. Ter. a sex., 10h/21h; sáb. e dom., 11h/18h. www.sescsp.org.br

SESC VILA MARIANA

  • Palavras Cruzadas: Lugares de Fala Contemporâneos é uma videoinstalação de Daniel Lima, com curadoria de Élida Lima e Felipe Teixeira, que apresenta depoimentos de protagonistas de lutas contra preconceitos sociais atualmente. 12 vídeos interativos em uma sala circular, com a fala direta de um protagonista, considerando entre eles os debates raciais, de classe, sexuais, de gênero e de outras expressões, que desafiam os discursos vigentes. A mostra tem participação do LabArteMidia - Laboratório de Arte, Mídia e Tecnologias Digitais da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) (de 20/09/18, às 19h30, a 16/12/18).
  • Vila Mariana: r. Pelotas, 141, tels. (11) 5080-3000 e 0800-11-8220. Ter. a sex., 7h/21h30; sáb., 9h/21h; dom., 9h/18h30. www.sescsp.org.br