Mapa Das Artes http://www.mapadasartes.com.br Mapa Das Artes - O portal de arte brasileiro pt-br Mapa Das Artes http://www.mapadasartes.com.br/img/cid1.gif http://www.mapadasartes.com.br 217 33 Nu Festival traz programação diversa em galeria a céu aberto em Pinheiros http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12987&ncid=1&pg=0 A 1ª edição do Nu Festival: Nubank ocorre 25/09/17 a 08/10/17 com programação com diversas atividades em uma galeria de arte a céu aberto em Pinheiros. Ao todo são dez artistas que ocupam a rua com obras em grandes formatos, entre painéis, instalações e performances, com técnicas que passeiam pelo tricô, pintura, performance e escultura. Participam Anne Galante, Gleo, Toco-Oco, Roberta Carvalho, Renato Custódio, Lucas Bambozzi, Gustavo Amaral, Giselle Beiguelman, Coletivo MUDA, Bia Bittencourt e outros. O foco do festival é incentivar e proporcionar espaço para criação e apresentação de artistas que vieram de outras áreas, como a arquitetura, a moda e o design, para mostrar que arte pública vai muito além do graffiti, e podem coexistir com outras técnicas, materiais e talentos. Todas as obras serão produzidas a partir da data de início do evento, e o público poderá acompanhar a evolução dos trabalhos que ficarão como legado do festival ao bairro de Pinheiros. Integra ainda atividades gratuitas entre palestras e workshops, que vão acontecer durante os dois finais de semana do evento. Confira abaixo a programação completa: | 25/9 a 8/10 Produção dos murais e instalações por Pinheiros. 30/9 - Design Workshop Das 13h às 18h: Pintura de Letra Popular - Filipe Grimaldi Talks 14h: Lelo, Fernando Chamarelli, Renan Santos e Ronah Carraro Mediação: Bia Bittencourt 15h: Guima 16h: Instituto a Cidade Precisa de Você 17h: Coletivo Muda Music Session 18h às 19h Performance 20h às 22h - VJ Suave 1/10 - Diálogos Workshop 13h às 18h: Collage - Gustavo Amaral Talks 14h: Criola 15h: Nega Hamburguer 16h: Suriani 17h: Gleo Music Session 18h às 19h Performance 20h às 22h - VJ Suave 7/10 - Playground Workshop 13h às 18h: Modelagem de Personagens - Toco-Oco Performance 12h às 14h: Anne Galante Talks 14h: Anne Galante 15h: Renato Custódio 16h: Nayara Brettas 17h: Roni Hirsch Music Session 18h - 19h 8/10 - Interatividade Workshop 13h às 18h: Video Mapping - Washie Pichinin Talks 14h: Lina Lopes 15h: Visual Farm 16h: Artikin 17h: VJ Zanella, Lucas Bambozzi e Roberta Carvalho Mediação: Giselle Beiguelman Music Session 18h às 19h | Mais informações: Nu Festival Pinheiros: r. Capote Valente, 39 - São Paulo – SP. Arq.Futuro e o IMS realizam debate sobre concurso de arquitura http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12986&ncid=1&pg=0 O Arq.Futuro e o Instituto Moreira Salles realizam em 21/09/17, 10h às 12h, o debate “Arquitetura de Museus: O Concurso para o Novo IMS”, onde será relatado o processo de concurso para a seleção do projeto de arquitetura da nova sede do IMS em São Paulo, que leva assinatura do escritório Andrade Morettin Arquitetos. Participam da mesa o jornalista Raul Juste Lores, e autor de “São Paulo nas Alturas”, que entrevista Fernando Serapião, editor da revista Monolito; Renato Anelli, professor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP São Carlos e conselheiro do Instituto Lina Bo e Pietro Maria Bardi, e Karen Stein, consultora em arquitetura, diretora executiva da Fundação George Nelson, membro do programa de Crítica de Design na Escola de Artes Visuais em Nova York, foi membro do júri do Pritzker Prize. Os entrevistados falarão sobre arquitetura de museus, apontando exemplos nacionais e internacionais para analisar as formas de convivência entre arte e arquitetura e os caminhos que parecem se desenhar para o futuro. Dentre os temas, serão comentadas as implicações da escolha entre readequar imóveis existentes ou construir novos edifícios para os museus, como nos casos da Casa de Vidro de Lina Bo Bardi (São Paulo) e da Casa da Gávea (IMS, Rio de Janeiro). | Mais informações: Auditório do Instituto Moreira Salles Paulista Consolação: Avenida Paulista, 2.424 . Guerrilla Girls realizam performances e ações na Frestas Trienal de Artes http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12985&ncid=1&pg=0 O coletivo das artistas feministas Guerrilla Girls estarão presentes entre 22 e 24/09/17 na 2 ª edição da Frestas – Trienal de Artes, em Sorocaba (SP). Elas comandam o “Departamento de Reclamações”, instalado na área expositiva do edifício principal do Sesc. O trabalho foi realizado pela 1ª vez ano passado na Tate Modern, em Londres, e na Frestas convida os visitantes a registrarem qualquer tipo protestos, reivindicação e queixas. As americanas também fazem uma apresentação performática em 23/09 no teatro da unidade, onde contam ao público como elaboraram, em mais de 30 anos de carreira, cartazes, painéis e ações que utilizam dados estatísticos, humor e visual extravagante para denunciar a discriminação de gênero e étnica na arte. A apresentação também traz imagens e vídeos dos projetos, incluindo as últimas intervenções em museus e ruas ao redor do mundo e o vídeo-manifesto “O Guia das Guerrilla Girls para Comportar-se Mal, Algo que Se Deve Fazer na Maior Parte do Tempo no Mundo como o Conhecemos”. A partir de 29/09, o MASP recebe a retrospectiva “Guerrilla Girls: Gráfica, 1985-2017”, primeira individual das artistas no Brasil que reunirá mais de cem dos icônicos cartazes. | Ativação “Departamento de Reclamações” –Espaço de Exposições 22/09, das 13 às 15h e das 19h às 21h30; 23/09, das 14h às 16h; 24/09, das 10h30 às 12h e das 14h às 16h; - Apresentação Performática – Teatro 23/09, às 20h | Mais informações: Sesc Sorocaba Jd Faculdade: r. Barão de Piratininga, 555 – Sorocaba – SP. www.sescsp.org.br Andrey Zignatto fala de “diáspora” no Ateliê Ale http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12984&ncid=1&pg=0 O Ateliê Alê recebe no dia 23/9, àdas 16h às 18h, o artista Andrey Zignnatto para uma conversa sobre ação social e arte referente a sua pesquisa na região da Cracolândia, Síria e Líbano sobre o tema “Diásporas”. Em contato com famílias refugiadas da guerra civil, Andrey Zignnatto compartilha sua experiência com o publico em uma roda informal de conversa no Ateliê Alê. Andrey apresentará slides, um diário dos acontecimento e detalhes de sua mais recente pesquisa artística sobre o tema. “É uma vontade antiga de trazer para minhas pesquisas artísticas mais elementos dessas minhas experiências com projetos em apoio à diversos públicos que vivem em situação de vulnerabilidade social”, diz o artista. A entrada é franca. # Ateliê Ale: Santo Amaro: r. São Sebastião, 570, tel. (11) 2548-8508. www.atelieale.com Casa das Artes realiza café da manhã em 7/10 http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12983&ncid=1&pg=0 A galeria Casa das Artes, de Marta Veloso, realiza em 7/10, das 11h às 14h30, mais uma edição de seu “Café da Manhã na Casa das Artes”, quando recebe clientes, amigos e participantes do 1º Festival Artes Gráficas (Maria Perez Sola, Fernando Araújo e Carolina Trimano). Todas as obras da galeria e dos artistas participantes poderão ser comercializadas. A Casa das Ates fica em Higienópolis (r. Bahia, 871, tel.(11) 3661-9595. www.casadasartes.com.br). Guerrilla Girls realizam performances e ações na Frestas Trienal de Artes http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12982&ncid=1134&pg= O coletivo das artistas feministas Guerrilla Girls estarão presentes entre 22 e 24/09/17 na 2 ª edição da Frestas – Trienal de Artes, em Sorocaba (SP). Elas comandam o “Departamento de Reclamações”, instalado na área expositiva do edifício principal do Sesc. O trabalho foi realizado pela 1ª vez ano passado na Tate Modern, em Londres, e na Frestas convida os visitantes a registrarem qualquer tipo protestos, reivindicação e queixas. As americanas também fazem uma apresentação performática em 23/09 no teatro da unidade, onde contam ao público como elaboraram, em mais de 30 anos de carreira, cartazes, painéis e ações que utilizam dados estatísticos, humor e visual extravagante para denunciar a discriminação de gênero e étnica na arte. A apresentação também traz imagens e vídeos dos projetos, incluindo as últimas intervenções em museus e ruas ao redor do mundo e o vídeo-manifesto “O Guia das Guerrilla Girls para Comportar-se Mal, Algo que Se Deve Fazer na Maior Parte do Tempo no Mundo como o Conhecemos”. A partir de 29/09, o MASP recebe a retrospectiva “Guerrilla Girls: Gráfica, 1985-2017”, primeira individual das artistas no Brasil que reunirá mais de cem dos icônicos cartazes. | Ativação “Departamento de Reclamações” –Espaço de Exposições 22/09, das 13 às 15h e das 19h às 21h30; 23/09, das 14h às 16h; 24/09, das 10h30 às 12h e das 14h às 16h; - Apresentação Performática – Teatro 23/09, às 20h | Mais informações: Sesc Sorocaba Jd Faculdade: r. Barão de Piratininga, 555 – Sorocaba – SP. www.sescsp.org.br Itaú Cultural recebe 2ª edição do Festival Move Cine Arte (SP) http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12981&ncid=1000&pg=0 O Itaú Cultural recebe entre 21 e 24/09/17 a segunda edição do Move Cine Arte, festival internacional de cinema dedicado à exibição de filmes de arte e sobre arte. As exibições em São Paulo são gratuitas, com curadoria do brasileiro Andre Fratti Costa e do italiano Steve Bisson, e reúne 11 dos quase 30 filmes selecionados que já foram exibidos em Veneza, além de algumas sessões seguidas de debate. Os filmes retratam processos de criação artística, biografias de artistas ou obras de linguagens diversas: arquitetura, pintura, escultura, teatro, fotografia, dança, gastronomia, poesia, literatura, música, design, moda, performance, videoarte, entre outras. Os ingressos são disponibilizados 1 hora anterior às sessões. Espaço sujeito à lotação. Confira a programação: | 21/09, às 20h Master and Tatyana (Giedre Zickyte, Lituânia, 2014, 82 min) Trailer: https://vimeo.com/139710313 Um retrato interessante do fotógrafo lituânio Vitus Lucks (1943-1987), que nunca recebeu o reconhecimento que merecia. Alguns o chamavam de louco, outros de gênio não só porque ele tinha como animal de estimação um leão, mas também porque ele foi o primeiro a ultrapassar as fronteiras da Lituânia e documentar a realidade espontânea das repúblicas soviéticas. Ele trabalhava tanto quanto bebia, vivia em Vilnius com sua esposa Tatyana – eles eram um típico casal vibrante da década de 60. Tão vibrante como a sua casa, sempre cheia de gente, vinho, conversas que duravam a noite inteira, visitantes vindos dos lugares mais distantes da união soviética. Ele era dominado por sua paixão pela verdade e pela fotografia. - 22/09, às 20h A Deusa Branca (Alfeu França, Brasil, 2014, 30min53) Teaser: https://vimeo.com/102858685 Em 1958, o artista e arquiteto Flávio de Carvalho integrou uma expedição à região amazônica. Seus planos eram de realizar um filme de pinceladas surrealistas que uniria pesquisa etnográfica e o drama ficcional de uma menina branca que teria sido raptada por índios. A produção se revelou um enorme fracasso e o longa metragem jamais foi concluído. Valendo-se do precioso material filmado durante a expedição, “A Deusa Branca” resgata esse obscuro episódio da vida desse genial artista brasileiro. * Prêmio júri internacional Move Cine Arte 2017 de Melhor narrativa Investigativa de arte. Monument, de (Igor Grubić
, Croácia, 2015, 50min) Trailer: https://vimeo.com/151037590 Durante os anos de 1990, a Croácia sofreu uma destruição sistemática em seus monumentos anti-fascistas. Com a combinação de imagens desses incríveis trabalhos de escultura abstrata com uma natureza potente que os cerca, o filme Monument cria uma poderosa metáfora visual. - 23/09, às 17h 15 Attemps (Aliona van der Horst, Holanda, 2014, 50min04) Trailer: https://vimeo.com/102710935 Suchan Kinoshita é uma artista holandesa com descendência japonesa e alemã. Ela é fascinada pelo sentimento de não entender algo e se deixar levar das expectativas. Ela diz: “Compreender é superestimado, é preciso tomar como ponto de partida o sentimento de não entender para se ter um relacionamento com as coisas que nos cercam.” Cineasta e artista Aliona van der Horst realizou esse filme, ou “tentou 15 vezes” (15 attempts) levando isso conta. Durante esses riscos humorados, a cineasta começa a fazer parte da exploração da protagonista, porque “poesia concreta é o que está na sua frente”. Cada tentativa chega cada vez mais perto do que é primordial no trabalho de Kinoshita: a confusão que essas tentativas causam proporcionam um espaço para que se tenha uma abordagem surpreendente sobre a existência. Catawba (Rob Carter, Estados Unidos, 2014, 5min56) Trailer: https://vimeo.com/208505950 Em homenagem aos Kawahcatawbas - “o povo do rio” - o Rio de Catawba é uma fonte fundamental das Carolinas (do Norte e do Sul dos Estados Unidos), principalmente devido ao rápido desenvolvimento do subúrbio de Charlotte. O rio, que possui muitas barragens, é uma importante fonte de hidreletricidade e fornece água tanto para força nuclear quanto para usina de carvão. O vídeo é um pequeno retrato do rio e de sua reforma completa no último século. El coral que trajimos de Brasil (Martin Serra, Argentina, 2017, 29min03) Trailer: https://vimeo.com/206615184 Depois de 45 anos, o pintor argentino Guillermo Roux e sua esposa Franca Beer assistem, pela primeira vez em um laptop, um filme mudo de 16mm esquecido em sua casa realizado pelo cineasta Simon Feldman no verão de 1968 ou de 1969. Suas emoções mudam a cada segundo. No filme, eles (e nós) assistimos a um jovem Guillermo trabalhando e pintando em uma piscina vazia e muitas pessoas em volta da mesma piscina, agora cheia, em uma tarde de verão. Esse é o ponto inicial do filme no qual eles irão refletir sobre a passagem de tempo, os anos felizes, a velhice e a história de 50 anos atrás na Argentina. Prêmio júri internacional MOVE CINE ARTE 2017 de Melhor Filme - 24/09, às 16h The Karamazoffs (A walk on the SoHo years) (Juan Gamero and Carmen Rodríguez, Espanha, 2016, 85min51) Trailer: https://vimeo.com/186322864 Na década de 1960, fábricas abandonadas no bairro de SoHo em Nova York era ocupadas por artistas de todo o mundo, transformando o bairro no coração da arte experimental, com o crescimento rápido de estúdios, arte conceitual, acontecimentos, performaces e vídeo arte. Os Karamazoffs é um grupo de artistas renomados de Barcelona (Muntadas, Miralda, Zush e Rober Llimós, entre outros) que começaram suas carreiras em Nova York no começo dos anos 70 e construíram uma amizade que existe até hoje. Juntos e com outros pioneiros daquela época como Jonas Mekas e Jaime Davidovich, eles relembram as origens e a ascensão e a queda de um dos períodos mais coloridos na arte contemporânea. Com a ajuda de cenas excepcionais vintages contando com Charlotte Moorman, Yoko Ono, Nam June Park, Fluxus, Lou Reed e Velvet Underground, Andy Warhol, Mekas, Davidovich, SoHo cable Tv, George Maciunas, Laurie Anderson e os Karamazoffs. Along Chapel Road (André Schreuders, Holanda, 2016, 96min07) Teaser: https://vimeo.com/173036460 Um cineasta que encontrou seu asilo em um romance, tenta mediante a esperança extrair desse mundo uma realidade. O resultado é um diálogo de imagens e palavras entre o escritor e o cineasta, sobre sonhar em vão e a urgência de persistir compulsivamente em criar arte para consolação e evocação. Sobre o pequeno precioso momento que muda nossa perspectiva. E, desta forma, é tudo que é. Com excertos da famosa novela “Chapel Road” do Louis Paul Boon. | Mais informações: Itaú Cultural Cerqueira César: av. Paulista, 149, estação Brigadeiro do Metrô, tels. (11) 2168-1700 / 1777. São Paulo -SP. www.itaucultural.org.br Jardim da Casa das Rosas ganha projeto de revitalização e plantio de mudas http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12979&ncid=1&pg=0 A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura é uma das últimas construções originais da Avenida Paulista da década de 1930, e recebeu esse nome porque abriga, desde a época de sua construção, um dos maiores e mais belos jardins de rosas da cidade. Para restaurar o famoso jardim, em parceria com o Condomínio Parque Cultural Paulista e com as empresas Adriano Van Rooyen, Floraliz Paisagismo e Farah Social, a Casa recebe plantio de 488 novas mudas de rosas em 20/09/17, às 12h. Após a ação a manutenção será constante pela empresa Floraliz, que executou os serviços de remoção das roseiras existentes e a preparação do solo para as novas rosas. Os insumos necessários para preparação e fertilização do solo ficaram sob responsabilidade da Farah Social, e o Condomínio Parque Cultural Paulista acompanhará o processo de revitalização, além de contratar serviços de mão-de-obra para a execução do projeto. O período de revitalização não interfere nas atividades realizadas no jardim, tampouco nas atividades internas do Museu-casa. A Casa das Rosas | Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura integra a Rede de Museus-Casa Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis – Organização Social de Cultura. O museu é dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico que pertenceu ao poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores da poesia concreta, movimento de vanguarda iniciado na década de 1950. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, tais como a Pinacoteca do Estado, o Theatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo. | Casa das Rosas Cerqueira César: av. Paulista, 37, estação Brigadeiro do Metrô, tels. (11) 3285-6986 e 3288-9447. www.casadasrosas.org.br Sandra Cinto, Solange Pessoa e outros brasileiros no exterior http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12977&ncid=1000&pg=0 Paulo Bruscky, Mario Ramiro, Hudinilson Jr., Gabriel Borba, Mário Ishikawa e Letícia Parente participam da mostra “Xerografia: Copyart in Brazil, 1970–1990”, que acontece na Robert and Karen Hoehn Family Galleries, na Universidade de San Diego, na Califórnia, entre 15/9 e 16/12/17. Curadoria de Erin Aldana. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. | O artista plástico goiano Siron Fraco realiza a mostra individual “Caution Fragile” na galeria de arte da Embaixada do Brasil em Londres a partir de 3/10. Curadoria de Rogério Ghesti. | O mineiro Cao Guimarães (Galeria Nara Roesler) participa da coletiva “Jaguar and Electric Eels”, na Julia Sroschek Collection, em Berlim, na Alemanha, entre 4/2 e 26/11; da mostra “Eye”, em Amsterdã, na Holanda, entre 16/9 e 3/12. Artur Lescher (Galeria Nara Roesler) participa da coletiva “Porticus” no Palais d'Iéna, em Paris, entre 16 e 25/10. | Tamar Guimarães, Carla Zaccagnini e Runo Lagomarsino apresentam obras na mostra coletiva “A Universal History of Infamy”, no Los Angeles County Museum of Art (LACMA), e no 18th Street Arts Center, ambos em Los Angeles (EUA), entre 20/8 e 18/2/2018. Zaccagnini A artista paulistana terá ainda obras expostas no MAK Center for Art and Architecture, entre 9/9 e 14/1/2018, e na mostra “How to Read El Pato Pascual: Disney’s Latin America and Latin America’s Disney”, na Schindler House, em West Hollywood, entre 9/9 e 14/1/2018. As mostras fazem parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. | Rafael Assef, Dora Longo Bahia, Rodrigo Braga, Lia Chaia, Carmela Gross, Cinthia Marcelle, Odires Mlászlo, Marcelo Moscheta, Rosangela Rennó e Ana Maria Tavares (Galeria Vermelho), Caio Reisewitz, Regina Silveira, Rochelle Costi (Luciana Brito Galeria), Laura Lima, Marcius Galan, Marepe, Cildo Meireles, Pedro Motta (Luisa Strina), Albano Afonso, Nazareth Pacheco e Sandra Cinto (Casa Triângulo) e Keila Alaver participam da mostra “Past/Future/Present: Contemporary Brazilian Art from the Museum of Modern Art”, no Phoenix Museum, em Arizona (EUA), entre 1/9 e 31/12/17. Curadoria de Vanessa Davidson e Cauê Alves A exposição será a primeira grande apresentação de obras da coleção do Museu de Arte Moderna, São Paulo (MAM-SP), nos EUA. | Eduardo Abaroa, Jonathas de Andrade, Leonor Antunes, Alexander Apóstol, Alexandre Arrechea, Ramiro Chaves, Felipe Dulzaides, Carlos Garaicoa, Terence Gower, Tamar Guimarães, Lucia Koch, Runo Lagomarsino, Renata Lucas, Lais Myrrha, Manuel Piña, Mauro Restiffe, Beto Shwafaty, Melanie Smith, Tercerunquinto, Clarissa Tossin e Héctor Zamora participam da mostra “Condemned To Be Modern” no LAMAG (Los Angeles Municipal Art Gallery). A mostra tem curadoria de Clara Kim (que é uma das senior curators da Tate) e acontece entre 10/9 e 28/1/2018. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. http://www.lamag.org/ | “Mira Schendel. Sarrafos and Black and White Works” apresenta na sede de Nova York da Hauser & Wirth Gallery, entre 7/9 e 21/10, obras das séries “Sarrafos” (1987) e “Brancos e Pretos” (1985-1987). A mostra foi organizada por Olivier Renaud-Clément com a colaboração da galeria paulistana Bergamin & Gomide. | Alice Miceli (Galeria Nara Roesler) participa da mostra coletiva “The Materiality of the Invisible”, na Jan van Eyck Academie, em Maastricht, na Holanda, entre 30/8 e 26/11. | Mauro Restiffe (Fortes D’Aloia & Gabriel) participa da coletiva “Doubles, Dobros, Pliegues, Pares, Twins, Mitades”, que acontece na The Warehouse, em Dallas, nos EUA, entre 10/7 e 29/12/17. | Tamar Guimarães participa no LACMA (Los Angeles County Museum of Art) da mostra “A Universal History of Infamy”, em que apresenta um novo vídeo. A mostra segue até fevereiro de 2018. http://www.lacma.org/art/exhibition/universal-history-infamy | Clara Ianni e Debora Maria da Silva participam da mostra “Talking to Action: Art Pedagogy, and Activism in the AmericasVirtues of Disparity”, que acontece na Ben Maltz Gallery at Otis College of Art and Design, em Los Angeles, entre 17/9 e 10/12. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. | Gisela Motta & Leandro Lima, Claudia Andujar, Cinthia Marcelle, Cao Guimarães e Berna Reale participam da mostra “Video Art in Latin America”, no LA><ART, em Los Angeles, entre 16/9 e 16/12/17. Curadoria de Glenn Phillips e Elena Shtromberg. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. | A filial de Nova York da paulistana Galeria Nara Roesler realiza entre 19/9 e 19/10 a mostra “Printed Matter”, individual do artista carioca Daniel Senise. É a primeira individual do artista na cidade desde 2004. A curadoria é da Dra. Isobel Whitelegg, historiadora da arte, palestrante e professora na Universidade de Leicester. | ¬Lygia Pape, Hélio Oiticica, Antonio Dias, Cildo Meireles, Regina Silveira e Thomas Farkas participam da mostra coletiva “Memories of Underdevelopment”, que acontece no Museum of Contemporary Art, em San Diego, entre 17/9 e 21/1/2018. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. | Abraham Palatnik (Galeria Nara Roesler) tem obras na mostra “Kinesthesia: Latin American Kinetic Art, 1954–1969”, no Palm Springs Art Museum, na California, entre 26/8 e 15/1/2018. Curadoria de Dan Cameron. Palatnik terá obras ainda na mostra coletiva “On the Affective Nature of Form”, no museu Reina Sofia, em Madri, até 16/10; e na mostra “Delirious: Art at the Limits of Reason, 1950-1980”, no Met Breuer, em Nova York, entre 13/9 e 14/1/2018. | Antonio Dias (Galeria Nara Roesler) tem obras ainda na mostra coletiva “On the Affective Nature of Form”, no museu Reina Sofia, em Madri, até 16/10 As curadoras Luiza Teixeira de Freitas e Claudia Segura são as responsáveis pelo evento “ProyectosLA”, evento que reúne em Los Angeles 62 artistas de 19 galerias de toda a América Latina entre 16/9 e 28/10. Do Brasil participam Nara Roesler (com obras de Brígida Baltar, Paulo Bruscky, Antonio Dias, Julio Le Parc e Tomie Ohtake) e Vermelho (com obras de Iván Argote, Tania Candiani, Carmela Gross, Dora Longo Bahia e Nicolas Robbio). Rommulo Vieira da Conceição (Casa Triângulo) participa da mostra “Axé Bahia: The Power of Art in an Afro-Brazilian Metropolis”. A curadoria é de Patrick A. Polk e a mostra acontece no Fowler Museum da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, entre 24/9 e 15/4/2018. Sandra Cinto (Casa Triângulo) participa da mostra coletiva “Drawing: The Beginning of Everything”, curadoria de Godin-Spaulding e Holly E. Hughes em cartaz no Albright-Knox Art Gallery, em Buffalo, entre 8/7 e 14/10. Rodrigo Matheus (Fortes D’Aloia & Gabriel) realiza a mostra individual “Soft Spectacle” na Ibid Gallery, em Los Angeles, entre 9/9 e 4/11/17. | Eduardo Srur apresenta a mostra individual “Pets” dentro da programação da BienalSur, a partir de 10/9, em dois locais de Buenos Aires: Vuelta de Rocha, em La Boca, e e no dique Puente de la Mujer, em Puerto Madero. | Clarissa Tossin (Galeria Luisa Strina) realiza a mostra individual “The Mayan” no Commonwealth and Council de Los Angeles entre 9/9 e 21/10. Tossim participa da mostra coletiva “Lives Between”, uma curadoria de Sergio Edelsztein e Joseph del Pesco no Center for Contemporary Art, em Tel Aviv, entre 31/8 e 28/10. Participa ainda da coletiva “Baggage Claims”, coletiva com curadoria de Ginger Duggan e Judy Fox em cartaz no Orlando Museum of Art (Orlando, EUA), entre 15/9 e 31/12/17. Tossin tem obtras ainda na mostra “Mundos Alternos Art and Science Fiction in the Americas”, coletiva com curadoria de Tyler Stallings, Joanna Szupinska-Myers e Robb Hernández no California Museum of Photography (Riverside, EUA), entre 16/9 e 4/2/18. Nesta última participam ainda ADÁL , AZTLAN Dance Company , Guillermo Bert , Erica Bohm , Tania Candiani , Beatriz Cortez , Claudio Dicochea, Faivovich & Goldberg, Sofía Gallisá Muriente , Guillermo Gómez-Peña / La Pocha Nostra , La Gravedad de los Asuntos, Hector Hernandez, Gyula Kosice, LA VATOCOSMICO c-s, Robert “Cyclona” Legorreta, Chico MacMurtrie / Amorphic Robot Works, Marion Martinez, MASA—MeChicano Alliance of Space Artists, Jillian Mayer, Mundo Meza, Irvin Morazán, Glexis Novoa, Rubén Ortiz Torres, Rigo 23, Alex Rivera, Carmelita Tropicana, Luis Valderas, Ricardo Valverde, José Luis Vargas e Simón Vega. | A dupla Dias & Riedweg (Galeria Vermelho) participa da 1ª BienalSur na mostra “Ventanas”, que acontece a partir de 11/9 em dopis espaços de Buenos Aires, na Argentina: a Usina del Arte e o MUNTREF (Centro de Arte em Ecoparque). Ainda na BienalSur, a dulpa participa com a outra dupla da Galeria Vermelho, Gisela Motta & Leandro Lima, de mostra na sede Hotel dos Immigrantes da MUNTREF. | O artista f.marquespenteado (Mendes Wood DM) participa da mostra coletiva “Guess Who’s Coming to Dinner?”, na Freedman Fitzpatrick Gallery, em Los Angeles, entre 7/9 e 14/10. | Solange Pessoa (Mendes Wood DM) participa dea mostra coletiva na galeria Blum & Poe, em Los Angeles, entre 9/9 e 14/10/17. | A artista amazonense Rodrigo Braga (Galeria Vermelho) participa da coletiva “Visions of Nature” no museu Kunst Haus Wuien, em Viena (Áustria), entre 13/9 e 18/2/2018. | “Carmela Gross: The Photographer” é mostra individual no Kunsthalle Bratislava, na Eslováquia, entre 14/09 e 26/11. | O artista carioca Cildo Meireles (Galeria Luisa Strina) participa da mostra “Jeux, Rituels et Récréations”, exposição coletiva com curadoria de Bernard Blistène e Marcella Lista no espaço Lille3000, em Lille, na França, entre 7/9 e 5/11. | Jaime Lauriano (Galeria Leme) participa da mostra coletiva “How To Remain Silent” na A4 Arts Foundation, na Cidade do Cabo (África do Sul), entre 23/10 e 23/11. | Luiz Roque (Mendes Wood DM) participa da coletiva “Heaven”, no espaço Tramway, em Glasgow, na Escócia, entre 1/9 e 15/10. O artista terá ainda mostra individual “Modern Years” na sede da Mendes Wood DM em Bruxelas, na Bélgica, a partir de 7/9. | Mostra “Trazas Simultáneas” apresenta criações de Claudia Andujar, Gisela Motta e Leandro Lima, Fabio Morais e Rosângela Rennó no Espacio Cultural de la Embajada del Brasil, em Buenos Aires, entre 6/9 e 15/12. “Cinthia Marcelle e Tiago Mata Machado: Divine Violence” fica em cartaz no Logan Center, em Chicago (EUA), entre 8/9 e 29/10. Marcelo Cidade (Galeria Vermelho) participa da mostra “Sonic Rebellion: Music as Resistance” no Museum of Contemporary Art Detroit (MOCAD), em Detroit, no EUA, entre 8/9 e 7/1/2018. | O Museum of Contemporary Art de Los Angeles (moca.org) realiza entre 16/9 e 31/12 a maior retrospectiva da artista plástica ítalo-brasileira Anna Maria Maiolino já realizada fora do Brasil. Serão apresentadas pinturas, desenhos, esculturas, vídeos, performances e instalações realizadas desde os anos 60, que trabalham com questões intimistas, mas também artísticas e políticas. A curadoria é de Bryan Barcena e Helen Molesworth. Daniel Steegmann Mangrané (Galeria Mendes Wood DM) participa da 14ª Biennale de Lyon, na França, entre 20/9 e 7/1/2018. | A Hauser & Wirth Gallery de Los Angeles organiza uma grande coletiva com artistas brasileiros. “Building Material: Process and Form in Brazilian Art” inclui obras de Nuno Ramos, Erika Verzutti, Ivens Machado e Rodrigo Cass (artistas da Fortes D’Aloia & Gabriel), Lucas Simões (Luciana Caravello Galeria) Geraldo de Barros (Luciana Brito), Celso Renato, Paulo Monteiro e outros, e acontece entre 14/9 e 18/10. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. https://www.hauserwirth.com/exhibitions/3313/building-material-process-and-form-in-brazilian-art/view/ | Bettina Vaz Guimarães (Galeria Sancovski) realiza duas mostras individuais em Portugal neste mês de setembro. “De que Cor é o Universo? Acontece no Alecrim 50 - Contemporary Art entre 7 e 23/9, em Lisboa (www.alecrim50.pt”. “Laboratorio de Cores” tem lugar no Museu Nacional de História Natural e Ciência de Lisboa entre 14/9 e 22/10 (www.museus.ulisboa.pt). | A artista carioca Anna Bella Geiger (Mendes Wood DM) inaugura em 27/9 sua exposição individual retrospectiva “Geografia Física y Humana” na Casa Encendida, em Madri, na Espanha, com curadoria de Estrella de Diego. | O artista mineiro Rodrigo Mogiz realiza em Paris a mostra “Le Crime Farpait”. A exposição é o resultado da residência de Mogiz na Galeria Alma Espace d’Art no mês de agosto. A residência é uma parceria entre a galeria francesa e a Galeria Karla Osório (ex-Gabinete de Arte K2o) de Brasília, que representa Mogiz. A exposição também traz trabalhos da artista espanhola Letícia Martinez Perez e tem curadoria de Jean-Cristhophe Arcos. Inspirada num filme francês de mesmo nome, a exposição tem no humor e na violência o seu fio condutor. O filme trata de um vendedor de uma loja de departamentos que mata seu chefe acidentalmente numa briga. Presenciado por uma das suas colegas de trabalho pouco atraente, esta passa a chantageá-lo em troca de favores sexuais. O curador pensa em um crime perfeito a junção dos dois artistas. A mostra vai de 9/9 a 7/10. | Os artistas brasileiros Marcio Almeida, Alexandre Vogler, Gustavo Von Ha, Pedro Victor Brandão, Willyams Martins, Cildo Meireles, Hélio Oiticica, Raphael Escobar e Lourival Cuquinha, os coletivos Filé de Peixe e 3NÓS3 e o carnavalesco Joãozinho Trinta terão obras na mostra “Dura Lex Sed Lex”, que acontece no Centro Cultural Parque España (CCPE), em Rosario, na Argentina, e faz parte da Bienal Sur - Bienal Internacional de Arte Contemporáneo de América del Sur. Curadoria dos brasileiros Juliana Gontijo e Raphael Fonseca. A mostra acontece entre 2/9 e 21/10/17. | O artista Ivan Grilo (Casa Triângulo e Luciana Caravello Galeria) participa na primeira Bienal de Arte Contemporânea na América do Sul - Bienalsur, na cidade de Buenos Aires, entre setembro e dezembro de 2017. A mostra tem lugar em 32 cidades, em 16 países, reunindo artistas que atuam em diferentes formatos, desde imagens pictóricas tradicionais até instalações, através de documentários, com a particularidade de interconectar os 84 espaços dedicados a exposições em todo o mundo. No dia 10/9, Ivan Grilo inaugura a exposição “La Mirada del Abrazo”, no CCMHC – Centro Cultural de la Memoria Haroldo Conti. | O artista plástico mineiro Célio Braga (Galeria Pilar) participa da mostra coletiva “Zomertentoonstelling 2017”, na Galerie Phoebus Rotterdam, na Holanda, a partir de 10/9/17. https://www.phoebus.nl | A artista plástica carioca Paula Klein irá expor simultaneamente, de 14 a 17/9 na Europa: na Saatchi Gallery, em Londres, e na Positions Berlin Art Fair, na Alemanha. | Anna Maria Maiolino, Cildo Meireles e Lygia Pape participam da 14ª Bienal de Lyon, na França, cujo tema é “Mondes Flotantes” (Mundos Flutuantes. A mostra tem curadoria de Thierry Raspail e Emma Lavigne e acontece no L’Institut d’Art Contemporain entre 20/9 e 7/1/2018. | Obras de Regina Silveira e Thomaz Farkas estarão presentes na exposição “Memories of Underdevelopment”, que abre em 17/9 e fica em cartaz até 21/1/2018 no Museum of Contemporary Art San Diego (MCASD), em San Diego (EUA). A mostra pretende mapear a produção artística latino-americana à luz da promessa de modernização que a região viveu no período imediato do pós guerra. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. | A obra "Poema" (1979), da artista paulistana Lenora de Barros (Galeria Millan), ilustra a capa do catálogo da mostra "Radical Women: Latin American Art, 1960-1985" e também a fachada principal do Hammer Museum, em Los Angeles. A mostra apresenta cerca de 260 obras (fotografias, vídeos, técnicas mistas e experimentações) produzidas por mais de cem artistas de 15 países. Entre as selecionadas estão ainda Vera Chaves Barcellos, Neide Sá, Claudia Andujar, Carmela Gross, Martha Araújo, Regina Vater, Ana Vitória Mussi, Lygia Clark, Anna Bella Geiger, Leticia Parente, Regina Silveira, Anna Maria Maiolino, Lygia Pape, Ana Mendieta, Liliana Porter, Marta Minujín, Zilia Sánchez e Feliza Bursztyn, A mostra acontece no Hammer Museum, em Los Angeles, entre 15/9 e 31/12, e depois segue para o Brooklyn Museum, em Nova York, entre 13/4 e 29/7/2018. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. | Berna Reale (Nara Roesler), Cao Guimarães (Nara Roesler), Rivane Neuenschwander (Fortes D’Aloia & Gabriel) e Regina Silveira (Luciana Brito) participam da mostra “Video Art in Latin America”, no Laxart, em Los Angeles (EUA), entre 16/9 a 16/12/17. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. A mostra tem curadoria de Glenn Phillips e Elena Shtromberge e busca examinar as realizações inovadoras e as tendências existentes na videoarte latino-americana desde a década de 1960 até hoje | Lia Chaia (Galeria Vermelho) participa da mostra “Prólogo Contemporáneo para uma Colección Moderna - Bienalsur”, no Museo Nacional de Artes Visuales de Montevideo, no Uruguai, entre 23/8 e 5/11. | A Gagosian Gallery apresenta em seu endereço em Beverly Hills (Los Angeles), entre de 14/9 e 25/10, mostra individual de Adriana Varejão (Fortes D’Aloia & Gabriel), a primeira individual da artista na Costa Oeste dos EUA. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. https://www.gagosian.com/exhibitions/adriana-varejao--september-14-2017 | O artista carioca Ricardo Basbaum (A Gentil Carioca e Galeria Jaqueline Martins) figura na mostra coletiva “We Are Here - I Am You”, curadoria de José Esparza Chong Cuy, em cartaz no MCA - Museum of Contemporary Art Chicago, nos EUA, entre 19/8 e 1/4/2018. | O grupo performático e multimídia carioca Opavivará foi selecionado para o evento KM3 Public Art Walk, que acontece em Montreal, no Canadá, entre 30/8 e 15/10. Curadoria de Stefanie Kreuzer. Participa ainda da mostra coletiva Continua Sphéres Ensemble, direção artística de José Manuel Gonçalves no 104 Cent Quatre Paris, na capital francesa, entre 16/9 e 19/11. A turnê mundial do grupo carioca prossegue ainda pela Alemanha, na mostra “Duet Wirth Artits”, curadoria de Stefanie Kreuzer no Museum Morsbroich, em Leverkusen (Alemanha; museum-morsbroich.de/), até 3/9, e, em seguida, no Belvedere Museum (Viena, Áustria, de 27/9 a 4/2/2018; belvedere.at/). | A artista carioca Maria Laet (A Gentil Carioca) participa da mostra coletiva “Video Art in Latin America”, curadoria de Glenn Phillips e Elena Shtromberg, em cartaz no LAXART, em Los Angeles (EUA), entre 17/9 e 16/12. laxart.org/. Laet está ainda na coletiva “Un Monde In-Tranquille”, curadoria de Caroline Bissière & Jean-Paul Blanchet com Eglantine Bélêtre em cartaz no Centre d’Art Contemporain Meymac, na cidade francesa de Meymac, até 15/10. cacmeymac.com/ | Laura Lima (Galeria Luisa Strina e A Gentil Carioca) está na mostra coletiva “Past/Future/Present: Contemporary Brazilian Art from the Museum of Modern Art, São Paulo”, uma curadoria de Vanessa K. Davidson e Cauê Alves no Phoenix Art Museum, nos EUA, entre 1/9 e 31/12. phxart.org. Também figura na coletiva “Illusion and Revelation”, curadora de Ernst Caramelle no Bonnefanten Museum, em Maastricht, na Holanda, até 27/11. www.bonnefanten.nl. Laura Lima comparece também, com a colaboração de Zé Carlos Garcia, com a obra “Pássaro”, na mostra “A Room and a Half”, até 1/10/17, no Ujazdowski Castle Centre for Contemporary Art, em Varsóvia (Polônia). Curadoria de Agnieszka Sosnowska. u-jazdowski.pl. | Vivian Caccuri (Galeria Leme) participa da mostra “The Future Generation Art Prize”, em cartaz no Palazzo Contarini Polignac Dorsoduro, em Veneza, entre 12/5 e 13/8/17. Curadoria de Björn Geldhof e Anna Smolak. www.futuregenerationartprize.org. A artista participa ainda da mostra “Sonic Rebellion”, uma curadoria de Jens Hoffmann, Susanne Feld Hilberry e Robin K. Williams em cartaz no MOCAD Detroit, nos EUA, até 7/1/2018. Caccuri estará ainda na mostra “Buried in The Mix”, curadoria de Bhavisha Panchia em cartaz no MEWO Kuntshalle, em Memmingen, na Alemanha, entre 23/9 e 23/10. www.mewo-kunsthalle.de. Entre 5/10 e 5/11, Caccuri participa da coletiva “Charivaria”, no CentroCentro, em Madri, na Espanha. | Os artistas Cabelo, Jarbas Lopes, Laura Lima, Rodrigo Torres e Vivian Caccuri participam da mostra “Art of the Treasure Hunt: the Grand Tour”, curadoria de Kasia Redzisz em cartaz na Toscana (Itália) até outubro de 2017. www.arthunt.com | Rodrigo Matheus (Fortes D’Aloia & Gabriel) ganha individual na Ibid Projects entre 9/9 e 4/11: A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. http://ibidgallery.com/2016/01/16/forthcoming-alex-ruthner-gallery-one-nuclear-family-gallery-two-timo-fahler-gallery-three/ | O carioca Alexandre Vogler (A Gentil Carioca) participa da mostra coletiva “Bienal Sur / Duralex Sed Lex”, uma curadoria de Raphael Fonseca e Juliana Gontijo no Centro Cultural Parque de España, em Rosario, na Argentina, entre 2/9 e 22/10/17. http://www.fundacaoeugeniodealmeida.pt/ A carioca Maria Nepomuceno (A Gentil Carioca) participa da mostra coletiva “Hello, City!”, uma curadoria de Minki Kim em cartaz no Daejeon Art Museum, em Daejeon, na Coreia do Sul, até 9/10. dmma.daejeon.go.kr | Albano Afonso (Casa Triângulo) apresenta suas obras na mostra “Sobreexposición”, uma curadoria de Juan José Santos em cartaz no Espacio de Arte Contemporáneo, em Montevidéu, no Uruguai, entre 8/6 e 27/8. O artista apresenta suas obras ainda na coletiva “Money Laundering”, no Sixtyeight Art Institute, em Copenhague, na Dinamarca, entre 17/6 e 8/7, com curadoria de Rodolfo Andaur. No 21c Museum Hotel, em Louisville (EUA), Albano Afonso se apresenta na coletiva “Truth or Dare: A Reality Show”. A mostra tem curadoria de Alice Ray Stites e fica em cartaz até 24/2/2018. Albano Afonso realiza ainda a mostra individual “In a State of Suspension” no Aomori Contemporary Art Centre, no Japão, até 10/9/17. | A Fundação Bienal inaugura mostra itinerante da 32ª Bienal de São Paulo (“Incerteza Viva”), na Fundação Serralves, na cidade do Porto, em Portugal. A mostra reúne projetos de 14 artistas e coletivos. Outros recortes da 32ª Bienal serão apresentados no Museo de Arte Moderno de Bogotá (Mambo), na Colômbia, e em 11 cidades brasileiras ao longo de 2017. A 32ª Bienal de São Paulo foi concebida por Jochen Volz, juntamente com os co-curadores Gabi Ngcobo, Júlia Rebouças, Lars Bang Larsen e Sofía Olascoaga. Em Serralves, a exposição resulta de um diálogo entre Jochen Volz, e o diretor adjunto do Museu de Serralves, João Ribas e foi reconfigurada de acordo com o contexto único do Parque e Museu. Serão apresentadas obras de Gabriel Abrantes, Jonathas de Andrade, Sonia Andrade, Cecilia Bengolea /Jeremy Deller, Alicia Barney, Lourdes Castro, Öyvind Fahlström, Priscila Fernandes, Carla Filipe, Leon Hirszman, Grada Kilomba, Lais Myrrha, Vídeo nas Aldeias, Bárbara Wagner e Benjamin de Burca. As obras apresentadas – pinturas e esculturas, vídeos e instalações – condensam os principais conceitos da exposição que se realizou no Brasil, nomeadamente uma reflexão sobre as atuais condições de vida e as estratégias presentes na arte contemporânea para acolher ou habitar a incerteza. Para a apresentação no Parque de Serralves foram encomendados cinco pavilhões a ateliês de jovens arquitetos do Porto (depA, Diogo Aguiar Studio, Fahr, fala atelier e Ottotto). Estas estruturas, distribuídas por vários locais do Parque, vão apresentar obras de Gabriel Abrantes, Jeremy Deller / Cecilia Bengolea, Priscila Fernandes, Barbara Wagner / Benjamim de Burca e Jonathas de Andrade. Ainda no Parque, Carla Filipe irá apresentar uma obra construída a partir da recolha de plantas comestíveis não-convencionais (PANCS), Alicia Barney mostrará o Vale de Alicia e estará também patente uma obra sonora de Öyvind Fahlström. No Museu, serão mostradas obras de Lais Myrrha, Lourdes Castro, Vídeo nas Aldeias, Leon Hirszman, Grada Kilomba e uma instalação de Sonia Andrade na Galeria Contemporânea. | O artista plástico paulista Felipe Seixas participa da 19ª Bienal Internacional de Cerveira, em Portugal, entre 16/7 e 16/9. | Mariana Maurício (Galeria Leme) participa da mostra coletiva “O Fundo do Poço”, na galeria Die Raum, em Berlim (Alemanha), entre 24/6 e 20/8/17. http://www.dieraum.net/ | José Carlos Martinat e Paulo Climachauska (ambos da Galeria Leme) participam da mostra “Force, Strenght, Power”, na Galeria Baginski, em Lisboa, entre 4/7 e 9/9/17. | O paulistano Mauro Piva (Galeria Leme) realiza a mostra “Forma Sobre Fundo”, nos Proyetos Monclova, na Cidade do México, entre 22/6 e 2/9/17. | A Bossa Gallery, de Liliana Beltran, em Miami, realiza a mostra “Fluctuations”, com obras de Fláva Junqueira e George Goodridge. A presença ambígua de conceitos opostos é frequente na obra dos dois artistas, como ordem e desordem, natureza e criação, restrição e excesso, mecânico e orgânico. A mostra fica em cartaz entre 10/7 e 8/9. www.bossagallery.com | A exposição de Gaspar Gasparian em Erevan, na Armênia, acontece na 1ª edição da Standart Triennial of Contemporary Art e será o primeiro encontro do público com o trabalho deste artista de origem armênia. “Distant Fragments (Fragmentos Distantes)” apresenta uma retrospectiva do trabalho de Gaspar Gasparian, com fotografias realizadas entre as décadas de 40 e 60. Curadoria Ruben Arevshatyan. Fica em cartaz entre 20/7 e 30/9/17. | A artista carioca Rosana Palazyan participa da primerira edição da mostra Standart - Triennial of Contemporary Art, na Armenia. A mostra “The Mount Analogue” tem conceito e curadoria de Adelina Cüberyan von Fürstenberg e assistência do curador Ruben Arevshatyan e acontece entre 20/7 e 31/12/17 nas cidades de Yerevan, Gyumri, Sevan e Kapan. O nome da Trienal é inspirado pela revista armênia de vanguarda Standard, publicada em 1924, a revista destaca o rico contexto cultural e histórico da Armênia e, por meio de seu caráter itinerante, envolve comunidades diversas e cria oportunidades de diálogo e relações entre artistas, escritores, curadores, cientistas, comunidades locais e visitantes. A curadora Adelina Cüberyan von Fürstenberg foi premiada com o Leão de Ouro para o Pavilhão Nacional da Armênia na 56ª Bienal de Veneza, em 2015. Inspirada no romance inacabado “The Mount Analogue”, do escritor surrealista francês René Daumal (1908-1944), “Standart” será realizada em espaços históricos e culturais, em toda a região do Monte Ararat. www.standart-armeniatriennale.net | A artista mineira Valeska Soares (Fortes D’Aloia & Gabriel) ganha retrospectiva no Santa Barbara Museum of Art. A mostra apresenta cerca de 50 trabalhos (instalações, esculturas, fotografias e vídeos) que datam do início da década de 1990 até o presente. A exposição abre em 17/9 e prossegue até 31/12/17. “Any Moment Now" é a maior exposição da carreira da artista e, depois de Santa Bárbara, vai itinerar para o Phoenix Art Museum em 2018. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana.Valeska Soares (Fortes D’Aloia & Gabriel) participa da mostra “The Half-Life of Love”, no MASS MoCA, em North Adams, também nos EUA, até 1/1/2018. | Cristiano Lenhardt (Fortes D’Aloia & Gabriel) participa da mostra coletiva “Unanimous Night”, no Contemporary Art Centre, em Vilna, na Ltuânia, até 13/08/17. Com o carioca Ernesto Neto, Valeska participa da coletiva “Infinite Garden. From Giverny to Amazonia”, no Centre Pompidou-Metz, em Metz, na França, até 28/8/17. | Barbara Wagner (Fortes D’Aloia & Gabriel) realiza a mostra individual “Aspirations”, no MOCAD de Detroit, nos EUA, até 20/8/17. A artista participa ainda das mostras coletivas “Frucht & Faulheit”, no Lothringer13 Halle, em Munique (Alemanha) até 20/8, e do mega evento Skulptur Projekte 2017, que acontece a cada 10 anos em Münster, também na Alemanha, até 1/10/17. | Beatriz Milhazes (Fortes D’Aloia & Gabriel) está entre os selecionados para a mostra “Roberto Burle Marx: Brazilian Modernist”, que acontece no Deutsche Bank KunstHalle, em Berlim, entre 7/7 e 3/10/17. | Janaína Tschape (Fortes D’Aloia & Gabriel) participa da mostra coletiva “Celibataire Divas”, no De Mijlpaal Contemporary Art in Herkenrode Refuge, na cidade de Hasselt, na Bélgica, até 3/9/17. A artista tem suas obras ainda na coletiva “Tidalectics”, no espaço TBA21–Augarten, em Viena (Áustriua), até 19/11/17. | A artista mineira Rivane Neuenchwander (Fortes D’Aloia & Gabriel) participa da mostra coletiva “Now” na The National Galleries of Scotland, em Edimburgo, na Escócia, até 24/9/17. Terá obras ainda na coletiva “Art and Alphabet”, no Hamburger Kunsthalle, em Hamburgo (Alemanha), de 21/7 a 29/10/17. | O Museu de Arte Contemporânea de Serralves apresenta no Terminal de Passageiros do Porto de Leixões, em Matosinhos, Portugal, a exposição coletiva “Passagens: A Coleção de Serralves noTterminal de Cruzeiros do Porto de Leixões”. A mostra fica em cartaz até 17/9 e apresenta mais de 30 obras de artistas portugueses e internacionais que fazem parte da Coleção de Serralves, entre eles Marcius Galan. | Geraldo de Barros (Luciana Brito Galeria de Artes) protagoniza a mostra “Fotoformas e Sobras” na Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva, em Lisboa, entre 15/7 e 17/9/17. A mostra integra a programação do evento Passado e Presente – Lisboa, Capital Ibero-Americana de Cultura 2017. | O Centre d'Art Contemporain de Meymac, na França, recebe a coletiva “Un Monde In-tranquille, em cartaz até 15/10 e que conta com fotografias do mineiro Pedro Motta. | A Galeria Nara Roesler em Nova York apresenta mostra coletiva multimídia “GNR Presents”, com obras de Abraham Palatnik, Alexandre Arrechea, Artur Lescher, Bruno Dunley, Cristina Canale, Daniel Buren, Eduardo Navarro, Hélio Oiticica, Lygia Clark, Marco Maggi, Milton Machado, Sérgio Camargo, Tunga, Vik Muniz e Xavier Veilhan. Em cartaz até 10/9/17, a mostra será acompanhada por uma série de conversas e workshops. | Henrique Cesar apresenta obras suas na mostra “Synthesis”, no Museu Nacional d'Art de Catalunya, em Barcelona (Espanha), entre 6/7 e 24/9. | Dante Velloni apresenta suas obras na Galeria Marcantonio Vilaça - Casa do Brasil, em Bruxelas (Bélgica), entre 29/6 e 8/9/17. | O Instituto Inhotim realiza pela primeira vez uma exposição internacional, na sede do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Washington (EUA), entre 18/7 e 13/10. A mostra “Inhotim: at the Crossroads of Glocal Change” reúne obras da coleção de arte contemporânea do museu e experiências audiovisuais inspiradas nos jardins do Parque. Com trabalhos dos artistas Iran do Espirito Santo, Luiz Zerbini, Olafur Eliasson e Vik Muniz, a exposição propõe uma reflexão sobre os impactos das mudanças climáticas e as ações que podem ser adotadas para reduzir os seus efeitos. De Chris Burden será exibido o vídeo sobre a instalação da obra “Beam Drop Inhotim” ( 2008). www.inhotim.org.br | A mineira Marilá Dardot (Galeria Vermelho) participa da mostra coletiva “Unanimous Night”, no Contemporary Art Centre (CAC), em Vilna, na Lituânia, entre 16/6 e 30/8. Dardot participa ainda da mostra “Tensão & Conflito. Arte em Vídeo Após 2008”, em cartaz no Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, entre 13/9 e 13/3/2018. | O artista plástico Eduardo Kac, representado pela galeria carioca Luciana Caravello, se prepara para uma impressionante maratona de exposições individuais e coletivas em 2017, seja no Brasil quanto no exterior. Sua mais recente produção, a série “Inner Telescope”, será apresentada no Rio de Janeiro (Luciana Caravello, de 20/7 a 19/8). As obras participam ainda de coletivas em Linz, na Áustria (Arts Electronica Festival, de 7 a 11/9) e em Seoul, na Coréia do Sul, no evento Da Vinci Creative 2017, no Seoul Art Space Geumcheon (de 1/9 a 30/12). A obra “Inner Telescope” já ganhou uma página inteira no jornal “New York Times” e destaque em veículos como “ArtPress”, “Beaux Arts”, “Le Figaro”, “Huffington Post”, “La Nación” e “Connaissance des Arts”. O filme-documentário “Inner Telescope, A Space Artwork by Eduardo Kac”, dirigido por Virgile Novarina, estreou em Paris no último dia 2/6. A trajetória das obras de Kac no exterior prossegue com a exibição de obras da série “Minitel” na mostra “Electronic Superhigheway”, no Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia de Lisboa (entre 1 e 30/9), na mostra online “Net Art Anthology - Rhizome”, organizada pelo New Museum de Nova York, e na mostra “Shadow & Space”, em cartaz neste verão norte-americano na Thoma Foundation, em Chicago. Para completar, os trabalhos de Kac realizados em xerox e fax, no início da década de 80, terão espaço no Pacific Standard Time Festival da Getty Foundation e serão exibidos na mostra “Copyart: Experimental Printmaking 1970-1990”, na Hoehn Family Galleries (Universidade de San Diego, entre 1/9 e 30/12). | Entre 1/6 e 22/10, a Milwaukee Avenue, em Milwaukee, cidade mais populosa do Estado do Wiscosin, nos EUA, receberá a escultura “Vortex”, do artista gaúcho Saint Clair Cemin (Galeria Bolsa de Arte de Porto Alegre). Trabalho de 2012, essa obra monumental é uma espécie de torre de aço de 12 metros por três metros de largura, que espelha as nuvens ao mesmo tempo que aparenta mover-se em direção a elas. | A dupla Dias & Riedweg (Galeria Vermelho) participa da mostra coletiva “Nuestro Deseo es Una Revolución. Imágenes de la Diversidad Sexual en el Estado Español (1977-2017)”, em cartaz no CentroCentro, em Madri, entre 22/6 e 1/10/17. | O artista Daniel Lie (Casa Triângulo) apresenta suas obras nas mostras coletivas “Welt Kompakt? (World Compact) - Out of Brazil”, com curadoria de Ursula Maria Probst, no Museumsquartier, em Viena (Áustria), entre 23/6 e 3/9. Ainda em Viena, Lie mostra suas obras na mostra “Du Oder Ich? Collective Soul. Ethik des Miteinanders (You or I? Collective Soul. Ethics of Togetherness)”, também curada por Ursula Maria Probst, no Wachauarena Melk, em Melk, entre 16/6 e 20/8. | O fotógrafo paulistano Julio Bittencourt (Galeria Lume) foi um dos selecionados pelo Aesthetica Art Prize, prêmio promovido pela Aesthetica Magazine, revista inglesa de arte, cultura e design, e com isso participa de mostra coletiva na York Art Gallery, em York, na Inglaterra. A mostra fica em cartaz até 10/9. | Jaime Lauriano (Galeria Leme) participa da mostra coletiva “Welt Kompakt? (World Compact) - Out of Brazil”, com curadoria de Ursula Maria Probst, no Museumsquartier, em Viena (Áustria), entre 23/6 e 3/9. | A artista Regina Silveira (Galeria Luciana Brito) participa com a obra “Touch” da mostera “Planet 9”, no Kunsthalle Darmstat, na Alemanha. A mostra fica em cartaz entre 30/5 e 27/8/17. Participa ainda da mostra “Bienal Sur”, no Parque de la Memoria, em Buenos Aires (Argentina), Regina Silveira apresenta para a primeira edição da Bienal Sur, além de projeções do vídeo “Limiar”, versões exclusivas da obra “Touch” em três cidades argentinas. Em 31/8 será inaugurada a obra “Touch” no Centro Cultural Recoleta e no Parque de la Memoria, em Buenos Aires. Em 2/9 é a vez da inauguração em Rosario, no Museo de la Memoria, onde será também projetado o vídeo “Limiar”. A última inauguração será em 22/9, no Museo Franklin Rawson, em San Juan. | O artista alagoano-pernambucano Jonathas de Andrade (Galeria Vermelho) está na mostra coletiva “Atopia” no MAC de Lima, no Peru, entre 15/8 e 26/11. Também participa da mostra “I Am You”, no Museum of Contemporary Art Chicago, nos EUA, entre 19/8 e 1/4/2018. Jonathas participa ainda do Contemporary Art Festival Survival Kit 9, no Latvian Centre for Contemporary Art, na cidade de Riga, na Letônia, entre 7/9 e 1/10. | Obras de Hélio Oiticica (Galeria Nara Roesler), Geraldo de Barros e Waldemar Cordeiro (Luciana Brito Galeria) foram selecionadas para a mostra “Making Art Concrete: Works from Argentina and Brazil”, no, Getty Center, em Los Angeles, entre 16/9 e 11/2/2018. A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. | A fotógrafa Claudia Andujar e a dupla de artistas multimídia Gisela Motta e Leandro Lima, ambos da Galeria Vermelho, participam da mostra “Amazonie - Le Chamane et la Pensée de la Forêt”, que acontece no Muséum of Pointe-à-Callière, em Montreal, no Canadá, entre 20/4 e 22/10/17. | A carioca Rosângela Rennó (Galeria Vermelho) participa da coletiva “Autophoto”, em cartaz na Fondation Cartier pu l'Art Contemporain, em Paris, entre 20/4 e 24/9/17. | A mostra faz parte do projeto “Pacific Standard Time: LA/LA”, uma iniciativa da Getty Foundation de Los Angeles, que reúne diversas instituições artísticas do sul da Califórnia sob um único tema: explorar o diálogo entre a cidade de Los Angeles (e arredores) e a arte latino-americana. O artista paulistano Vik Muniz realiza a mostra individual “Afterglow (Pictures of Ruin)”, no Palazzo Cini, em Veneza, até 15/11. Também em Veneza, no Palazzo Franchetti, Vik Muniz apresenta a mostra “Glasstress”. Já nos EUA, em San Francisco, a Rena Bransten Gallery apresenta a individual “Handmade: Vik Muniz” a partir de 9/9. Mostra homônima acontece simultaneamente na galeria espanhola Elba Benitez, em Madri, a partir de 14/9. Helio Oiticica (Galeria Nara Roesler) ganha a mostra retrospectiva “To Organize Delirium”, no Whitney Museum de Nova York até 1/10. Oiticica participa ainda da coletiva “On the Affective Nature of Form”, no Museo Reina Sofia, em Madri, até 16/10. Festival Artes Vertentes chega à sua 6ª edição em Tiradentes (MG) http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12976&ncid=1000&pg=0 O Festival Artes Vertentes – Festival Internacional de Artes de Tiradentes chega à sua 6ª edição entre 14 a 24/09/17 na cidade mineira de Tiradentes. A partir da reflexão do tema Crenças, o festival busca analogias entre as diversas linguagens artísticas, com uma consistente programação que abrange música, literatura, cinema, artes cênicas e artes visuais. Entre concertos, espetáculos, filmes, leituras e palestras, ocorre também a exposição coletiva “A Traição das Imagens”, que reúne obras de artistas inspirados na palavra “crença” e seus vários aspectos, como representação na Alegoria da Caverna, de Platão, ou nas obras do naturalista Plínio, o Antigo. Participam Nelson Leirner, Cildo Meireles, Eder Santos, François Andes, Siri Ísis Alcântara, Pierre Verger, entre outros e curadoria de Luiz Gustavo Carvalho. A crença no seu aspecto religioso é presente na exposição através das crenças indígenas, as crenças africanas (e posteriormente) afro-brasileiras e as crenças dos colonizadores portugueses; assim, a coleção de Ex-Votos de Celma Albuquerque, uma das mais importantes coleções do gênero no país, integra também esse recorte curatorial, assim como objetos de arte indígena das etnias Karajás e Wayana-Aparai. Em parceria com Museu Sant´Anna, a exposição “Santas Mulheres – as Heroínas da Fé” faz parte da programação do Festival. A exposição reúne imagens de artistas populares e eruditos que deram enorme contribuição à arte sacra brasileira, como Aleijadinho, Mestre de Piranga, Frei Agostinho de Jesus, Francisco Vieira Servas. São imagens brasileiras, datadas dos séculos XVII, XVIII e XIX, pertencentes a coleções privadas e, até hoje, nunca expostas ao público. O Festival Artes Vertentes exibe ainda, no Museu Casa de Padre Toledo, a exposição “A Crença na Liberdade”, em 16/09, com trabalhos de crianças da cidade desenvolvidos durante todo o ano através das Aulas de Desenho e Pintura da Ação Cultural do Festival Artes Vertentes. A curadoria é assinada por Ricardo Coelho, que é também o professor e coordenador destes cursos. | Programação: A partir de 14/09/17 - Exposição “A Traição das Imagens” Centro Cultural SESIMINAS Yves Alves Rua Direita, 168, Seg. a qua. e dom., 09h/ às 18h; e quinta a sábado, das 9h às 22h. - Museu da Liturgia Rua Jogo de Bola, 15 – qui. a dom., 10h/17h. - Museu Casa Padre Toledo Rua Padre Toledo, s/n. Qua. a seg., 10h/17h. - Museu de Sant’Anna Endereço: Rua Direita, 93, das 10h/19h. Tiradentes – MG. | Mais informações: www.artesvertentes.com Como curadores usaram LinkedIn, Ebay e Moxie para achar tesouros esquecidos http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2378&pg=0&ncid=1 No projeto Pacific Standard Time: LA/LA, especialistas de arte foram excelentes, algumas vezes até kafkanianos, para rastrear trabalhos que nunca antes tinham sido vistos. Uma nova prática de arqueologia da história da arte pode encontrar artistas dignos que foram ignorados, empurrados para as margens ou não devidamente colocados em contexto por uma geração anterior de historiadores. Texto de Julia Halperin para o portal Artnet (www.news.artnet.com), em 15/09/17. Uma mãe à espera http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2377&pg=0&ncid=1 A volta de Rafael Braga para casa. Artigo de Juliana Passos para a revista Piauí), editada no site da revista em 19/09/2017. Obra de arte volta para museu de MS após ser apreendida http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2376&pg=0&ncid=1 A pintura "Pedofilia" da artista mineira Alessandra Cunha retirado do Marco (Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul) foi devolvido ao museu nos último dias da exposição. A devolução foi feita a partir de negociação entre o secretário de Cultura e Cidadania de Mato Grosso do Sul, Athayde Nery e a polícia. Matéria publicada originalmente no portal G1 MS, em 16/09/2017. Novos murais de Banksy aparecem na galeria Barbican e homenageia Basquiat http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2375&pg=0&ncid=1 Últimos dois trabalhos do artista de rua britânico Banksy se divertem com a abordagem de tolerância zero aos graffiti em torno de galeria Barbican, em Londres, próxima a data da abertura da exposição panorâmica do americano Jean-Michel Basquiat. Matéria de Anny Shaw para o site The Art News Paper, em 19/09/17. Deputados pressionam, e polícia apreende quadro em exposição no MS http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2374&pg=0&ncid=1 A Polícia Civil de Campo Grande (MS) apreendeu um quadro que integrava exposição realizada no Marco (Museu de Arte Contemporânea) do Mato Grosso do Sul após um grupo de deputados estaduais registrar um "boletim de ocorrência" contra a exposição da qual a obra fazia parte. Fundado em 1991, o museu é administrado pela Fundação de Cultura do governo do Estado. Artigo de Rubens Valente publicado no jornal "Folha de S. paulo" em 16/09/17. Mudança aprovada na ArtRio http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2373&pg=0&ncid=1 Em sua primeira edição na Marina da Glória, a ArtRio foi aprovada por galeristas e pelo público. Segundo o cálculo inicial da organização (sem os números finais de domingo), a feira de arte recebeu cerca de 45 mil pessoas desde a última quinta-feira, um fluxo próximo ao do ano passado, o último em que foi realizada no Píer Mauá, onde o evento teve início, em 2010. Artigo de Nelson Gobbi publicado no jornal "O Globo" em 18/09/17. Um setentão livre de dívidas http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2372&pg=0&ncid=1 O equilíbrio nas contas do Masp, que completa 70 anos no mês que vem, se deve à gestão encabeçada pelo consultor de empresas Heitor Martins. O ex-presidente da Fundação Bienal foi empossado diretor-presidente do museu há exatos dois anos, em setembro de 2014. Uma de suas primeiras medidas foi ampliar o conselho deliberativo, que passou a ter 83 membros, e exigir deles uma contribuição inicial de cerca de R$ 150 mil e outra de R$ 30 mil a cada ano - os mandatos variam de dois a cinco anos. Artigo de Daniel Salles para o jornal "Valor Econômico". Um executivo sem fronteiras http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2371&pg=0&ncid=1 Fabio Luchetti fez uma pós-graduação no Centro Universitário de Belas Artes, tornou-se colecionador e investiu R$ 3 milhões para abrir sua galeria, a Adelina, no bairro de Perdizes, em São Paulo. Queria um local fora do circuito habitual - Jardins, Pinheiros e Vila Madalena - e que pudesse abrigar uma área expositiva e uma educativa, como um híbrido entre espaço cultural e galeria. Artigo de Maria da Paz Trefaut para o jornal "Valor Econômico". “Artnews”divulga sua lista de Top 200 colecionadores do mundo http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2370&pg=0&ncid=1 Lista inlcui os brasileiros os brasileiros Andrea e José Olympio Pereira, Joseph Safra, Susana e Ricardo Steinbruch, Bernando Paz, Genny e Selmo Nissenbaum. Artigo editado no portal de arte twww.touchofclass.com.br. Protesto no Sul tem bombas e performances http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2368&pg=0&ncid=1 Uma manifestação contra o encerramento antecipado da mostra “Queermuseu — Cartografias da diferença na arte brasileira”, que ficaria em cartaz no Santander Cultural até outubro, terminou em confusão e bombas de efeito moral disparadas pela Brigada Militar ontem, em frente à instituição, em Porto Alegre. Artigo de Naira Hofmeister, especial para o jornal "O Globo", de Porto Alegre, com equipes do Rio e de Brasília. Obras roubadas de Georg Baselitz no valor de US$ 3 milhões são recuperadas http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=185&ncid=1000&pg=0 As esculturas turbulentas e as estridentes pinturas invertidas do neo-expressionista Georg Baselitz são conhecidas em todo o mundo. Mas quando mais de US$ 3 milhões de obras de sua coleção pessoal, incluindo alguns que ele criou, desapareceram de um depósito de armazenamento alemão, causou estranhamento por demorarem meses para alguém notar. Os promotores do caso prenderam três suspeitos, todos trabalharam na indústria de navegação. Eles acreditam que um homem de 39 anos da cidade ocidental de Düsseldorf usou conhecimento de informante para roubar 19 peças de arte pertencentes ao Sr. Baselitz do depósito perto de Munique entre junho de 2015 e março de 2016. Ele passou as obras para um pai e filho, que tentaram vendê-los pelo valor de mercado “muito abaixo”. Os três homens ainda não forneceram declarações completas à polícia, disseram os promotores. As autoridades acreditam que o pai e o filho, de 51 e 26 anos, da cidade de Leverkusen, ao sul de Düsseldorf, conseguiram vender apenas uma peça de arte antes que uma companhia de seguros se tornasse suspeita e informou a polícia. Depois do que os promotores chamaram de “investigações intensivas na cena artística”, a polícia prendeu o homem de 51 anos sob suspeita de roubo em agosto quando retornou do exterior. Mas Anne Leiding, uma porta-voz dos promotores de Munique, recusou-se a dizer quando o crime foi descoberto pela primeira vez. A polícia já recuperou 15 dos 19 artefatos – no valor de cerca de US$ 3 milhões, ou 2,5 milhões de euros. Os quatro trabalhos roubados foram pensados para valer cerca de US$ 155.000. A Sra. Leiding disse que, de acordo com os desejos do Sr. Baselitz, não podia fornecer detalhes adicionais sobre as obras de arte roubadas. | Matéria originalmente no site da revista Das Artes, em 06/09/17. Polícia alemã recupera obras de arte roubadas avaliadas em 2,5 milhões de euros http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=184&ncid=1000&pg=0 As autoridades alemãs recuperaram um conjunto de obras de arte roubadas do pintor neoexpressionista Georg Baselitz avaliadas em 2,5 milhões de euros depois que os ladrões tentaram vender alguma delas, informou a polícia nesta terça-feira. Os procuradores resgataram 15 de um total de 19 pinturas e desenhos roubados entre junho de 2015 e março de 2016 por uma gangue cuja líder, de 39 anos, era uma mensageira especializada em transportar arte, disse a polícia. Os outros dois suspeitos, um motorista de caminhão, de 51 anos, e seu filho, de 26 anos, foram acusados como cúmplices. A polícia não quis dar detalhes sobre o conjunto de obras roubadas, o maior visto na Alemanha em anos, a pedido do proprietário, e tampouco deu informações sobre o proprietário ou sobre como as obras foram roubadas ao longo desse período. A porta-voz dos procuradores de Munique que realizaram a operação de recuperação, Anne Leiding, disse que as peças estão sendo mantidas em um local seguro, mas não quis dizer onde. O roubo só foi descoberto quando pai e filho tentaram vender algumas das obras abaixo do preço de mercado. Um corretor de seguros soube de uma destas ofertas e informou a polícia, que localizou o motorista na Espanha. Os três suspeitos ainda não fizeram nenhuma declaração à polícia. Estima-se que as quatro obras que ainda estão desaparecidas sejam avaliadas em cerca de 130 mil euros. Nascido em 1938 e ainda ativo, Baselitz ganhou fama internacional liderando um renascimento da arte neoexpressionista, rejeitada pela ditadura nazista de Adolf Hitler. Artigo de Thomas Escritt para a agência de notícias Reuters publicado no jornal "O Estado de S. Paulo" em 5/9/17. Obra roubada de Willem de Kooning há 30 anos retorna para casa http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=182&ncid=1000&pg=0 É um bom dia para o Museu da Universidade de Arte do Arizona. A instituição celebra o retorno da pintura “Woman-Ochre” (1954–1955) de Willem de Kooning, que foi roubada um dia após o Dia de Ação de Graças de 1985, quase 32 anos atrás. Em 11/08/17, a universidade anunciou que a pintura tinha sido achada e devolvida pelo Antiquário Manzanita Ridge em Silver City, no estado de Novo México. Testes preliminares feitos pela restauradora do museu, Nancy Odegaard, descobriram a obra como autêntica. “Sempre estive otimista que um dia nós encontrássemos a pintura, isto é muito difícil descrever a emoção dela voltar pra casa”, disse Brian Seastone, o chefe do Departamento de Polícia da Universidade do Arizona e o investigador principal do caso. “Existe essa sensação de alívio e felicidade. Existe a sensação de calma. Ela voltou, está em casa, está onde ela deveria estar. Nós sabemos que a arte vale muito dinheiro, mas a história por trás disso não tem preço”. A pintura é um das seis obras da icônica série “Woman”. A outra obra, “Woman I (1950–1952), pertence ao Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA). O empresário bilionário Steven A. Cohen é dono da última obra em mãos privadas; ele possui a “Woman II (1952)” pelo valor de US$ 137.5 milhões do magnata da música David Geffen em novembro 2006. Em 2015, em um artigo do 30º ano de aniversário do roubo o jornal “UANews” especulou que a obra roubada poderia valer cerca de US$ 160 milhões. Anteriormente naquele ano, Geffen vendou outro de seus de Kooning, “Interchange” (1995), por US$ 300 milhões em um leilão privado, quebrando recorde da obra de arte mais cara do mundo. Os valores do artista em leilão são bem menores, de acordo com a Database de Preço do artnet, chegando ao máximo aos US$ 66.3 milhões em 2016. O roubo da pintura Woman-Ochre ocorreu na manhã de 29/11/1985, após um homem e uma mulher seguir um funcionário do museu. A mulher distraiu o guarda enquanto seu cúmplice, com óculos de bigode, ele tirou a tela da moldura e fugiu com a obra. O roubo durou 15 minutos. “Os ladrões de fato cometeram dois crimes aquele dia”, disse Kimberly Andrews Espy, o vice-presidente da Universsidade do Arizona, em depoimento do caso. “Primeiro eles roubaram uma importante pintura da coleção do museu da universidade. Eles roubaram também 30 anos de acesso ao público e dos estudantes do mundo inteiro, tirando a oportunidade deles de apreciá-la, de aprender com ela, e de serem inspirados por um importante artista”. Na época, a pintura valia US$ 600 mil. Sua localização durante essas três décadas após o roubo era desconhecida. Essa história volta à tona somente depois da aquisição de um imóvel sem nome pelos donos do Antiquário Manzanita, David Van Auker, Buck Burns, and Rick Johnson. “Nós não pagamos nem próximo de US$ 160 milhões por isso”, fala Buck Burns para o artnet, chamando a descoberta da pintura dentro da mansão como “feliz coincidência”. Van Auker colocou a pintura na vitrine de sua loja, onde muitos clientes comentaram que a obra parecia ser do de Kooning. Depois de pesquisar o artista, ele percebeu que sua última aquisição para o acervo da loja era na verdade uma obra perdida da Universidade de Arte. “No minuto que descobrimos, ligamos para o museu”, disse Buck. “Nós estamos felizes, felizes, felizes que a pintura está de volta em casa”. Decorrente a descoberta da pintura, Odegaard comparou a canvas com as pontas deixadas na moldura após roubo. As marcas de corte alinharam perfeitamente, provando de fato que era a mesma obra. Em depoimento, o presidente da Universidade do Arizona, Robert C. Robbins, agradeceu e tratou a equipe de Mazanita como heróis, completando que era um ótimo dia para a Universidade do Arizona e ótimas notícias para o mundo da arte e pessoas que se importam com a arte pública”. | Matéria traduzida do site artnet (www.artnet.com), em 11/08/17. Bilionário espanhol é condenado a prisão por tentar contrabandear Picasso http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=181&ncid=1000&pg=0 No caso judicial em curso contra o bilionário espanhol Jaime Botín, acusado de contrabandear um Picasso fora da Espanha, o promotor solicitou uma pena de prisão de quatro anos e uma multa de 100 milhões de euros contra o herdeiro e colecionador, membro da família do banco mais bem sucedido da Espanha. Botín é dono de uma pintura de Pablo Picasso, “Cabeça de uma jovem mulher” (1906), que foi apreendida pelas autoridades francesas no verão de 2015 a partir de um iate ancorado na Córsega e registrada em uma empresa da qual Botín é o principal acionista . A pintura avaliada em de 26 milhões de euros foi declarada um tesouro cultural pelo Tribunal Nacional espanhol em maio de 2015 e foi recusada uma licença de exportação antes da apreensão. Em agosto de 2015, a pintura apreendida foi transportada para o Museu Reina Sofía em Madri, onde permanecerá até a conclusão da investigação. No entanto, poderia permanecer no museu ainda mais: além da pena de prisão e da multa pesada. O jornal El País informa que o promotor solicita que a propriedade do trabalho seja transferida para o estado, invocando o artigo 29 da Lei do Patrimônio Espanhol. De acordo com a lei , “qualquer imóvel ou móvel pertencente ao Patrimônio Histórico Espanhol que é exportado sem a autorização requerida pertence ao Estado. É inalienável e não pode caducar”. O artigo também estabelece que “qualquer propriedade recuperada e não atribuída deve ser alocada a um centro público”. (Museu Reina Sofía é um museu público). O promotor rejeitou todas as reivindicações apresentadas pela defesa de Botín no processo judicial em curso. O último argumento dos representantes legais de Botín é que nem o banqueiro nem seus conselheiros pensaram que a navegação no Mediterrâneo nas águas da União Européia poderia violar a proibição de exportação ou poderia constituir o contrabando e que o trabalho nunca deixou seu cenário privado. O caso remete a dezembro de 2012, quando um pedido de permissão para exportar a pintura fora da Espanha foi apresentado pela Christie’s Iberica em nome da empresa Euroshipping Charter Company Ltd., ligada a Jaime Botín. O destino inicial era Londres, mas José Ignacio Wert, então ministro da educação, cultura e esportes, recusou-se a permitir que a pintura deixasse a Espanha. Botín adquiriu a pintura em 1977 e Picasso pintou a obra de arte quando tinha 24 anos. Seu valor contempla o fato de que é um dos poucos exemplos do período de Gósol de Picasso, considerado chave na sua evolução cubista subseqüente. | Matéria originalmente publicada no site ArtNet, em 26/07/17. Polícia espanhola recupera três obras de Francis Bacon roubadas em Madri http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=180&ncid=1000&pg=0 A polícia espanhola informou nesta quarta-feira (19) ter recuperado três das cinco obras do artista Francis Bacon roubadas em uma casa de Madri em 2015. As cinco pinturas, avaliadas em conjunto em 25 milhões de euros, foram roubadas em julho de 2015 de uma casa da capital espanhola junto com outros objetos de valor quando o proprietário estava ausente. Três pessoas foram presas em janeiro em conexão com o caso, depois que a polícia realizou buscas em casas na região de Madri e apreendeu armas, manuais para decifrar cofres e equipamentos usados para cortar metal. A polícia não forneceu mais detalhes sobre as obras recuperadas. | Matéria publicada originalmente no jornal "Folha de São paulo", em 19/07/17. Pintura de Guercino roubada e encontrada em Marrocos volta à Itália http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=178&ncid=1000&pg=0 Uma obra-prima de €6 milhões roubada da Itália em 2014 e descoberta em Marrocos foi devolvida às autoridades italianas. A pintura do século XVII de Giovanni Francesco Barbieri, conhecido pelo mundo da arte como Guercino, foi roubada da Igreja de São Vicente de Modena, no norte da Itália, em agosto de 2014. O trabalho, chamado “The Virgin, Saint John the Evangelist and Gregory the Miracle Worker” e avaliado em até € 6 milhões (USD $ 6,9 milhões), foi encontrado em um mercado no distrito El Hassini de Casablanca, em Marrocos, em fevereiro deste ano. As autoridades marroquinas que trabalham com a Interpol localizaram o trabalho de Guercino e prenderam pelo menos três pessoas que acreditavam estar trabalhando com uma rede criminosa organizada que trata do tráfico de antiguidades, disse a Direção-Geral de Segurança Nacional (DGSN) do país no momento das prisões de 15 de fevereiro. A mídia marroquina diz que as autoridades foram alertadas por um entusiasta de arte que reconheceu a pintura e contatou a polícia. Uma quarta pessoa, de nacionalidade marroquina, foi presa na Itália. Fontes em Bolonha disseram que Tahir Mustapha morava perto da igreja com sua família italiana e enviou a obra-prima em um tapete enrolado. A pintura foi danificada durante o roubo e precisa de uma grande restauração. A pintura de Guercino, em italiano traduzida como "The Squinter", porque ele aparentemente sofria de estrabismo, foi feita em 1639; ele também completou uma série de trabalhos feitos a clientes estrangeiros ricos antes de sua morte em 1666. A pintura retrata a história tradicional de São Gregório, um bispo do terceiro século que viveu onde hoje é a Turquia, e que viu os outros dois personagens em uma visão. A obra foi devolvida ao embaixador italiano em Marrocos, Roberto Natali, pela polícia em Casablanca e espera-se que volte para Modena. | Matéria publicada originalmente no portal Africa Times (www.africatimes.com), em 16/07/17. Lava Jato confirma autenticidade de obra aprendida com ex-diretor da Petrobrás http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=177&ncid=1000&pg=0 O artista Fernando Lucchesi não teve dúvidas ao ver a pintura que retrata um enorme vaso de flores, apreendida pela Lava Jato: "Esse quadro é meu", afirmou. Ao que o chefe da perícia da Polícia Federal em Curitiba, Fábio Salvador, respondeu: "Não acredito". A investigação queria demonstrar, com dados objetivos, que o quadro apreendido na casa do ex-diretor da Petrobras Renato Duque era, de fato, do pintor mineiro. Duque é suspeito de usar obras de arte para lavar dinheiro de propina obtida na estatal: a PF apreendeu 132 peças em sua casa. Demorou quase um ano, mas a equipe de peritos concluiu um laudo que promete ser um marco para a investigação de lavagem de dinheiro no Brasil: ele atesta a autenticidade do quadro "Para Guignard" – que, afinal, era mesmo de Lucchesi. Com o uso de cinco técnicas diferentes, o trabalho estabelece um parâmetro para avaliar com segurança a autoria e o valor de uma obra de arte, e então estimar o montante e as condições da lavagem de dinheiro. Assim, confere precisão à imputação do crime. Por exemplo: o quadro era verdadeiro ou falso? O dono sabia disso? Ele pagou mais ou menos do que a tela valia? "Essa precisão nos dá mais segurança para pedir reparação de danos e decretar o perdimento desses bens", avalia o procurador da República Diogo Castor de Mattos, integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato. "É um laudo que foge do achismo", resume Salvador, que coordenou o trabalho. A Folha teve acesso ao laudo, anexado ao inquérito policial contra Duque no mês passado. Os peritos da PF começaram a análise com a grafoscopia, que conferiu a assinatura do artista. Em seguida, com a ajuda de pesquisadores da UFPR (Universidade Federal do Paraná), fizeram um exame chamado microscopia Raman, que checou os espectros das tintas utilizadas na tela (uma espécie de "digital" da física), somado à microscopia eletrônica, que realiza uma análise química dos materiais. A perícia ainda tirou uma fotografia rasante, que avaliou o processo criativo do pintor, conferindo o tipo de pinceladas; e outra com luz ultravioleta, que eliminou a presença de adulterações na tela. A PF levou o pintor ao Museu Oscar Niemeyer, que tem a guarda da obra, para atestar sua autenticidade. Lucchesi emprestou até um pincel aos peritos, que o compararam com as tintas utilizadas no quadro. "Eu preciso de provas, de dados objetivos", comenta Salvador. "Desconfio de todo mundo. O trabalho da ciência é convencer os outros", declarou. Três universidades foram parceiras do trabalho e cederam equipamentos e expertise à perícia: a USP, a UFPR e a UFMG. REPERCUSSÃO O laudo não foi concluído a tempo de alterar as imputações contra Duque, que já é réu sob acusação de lavagem de dinheiro. Mas deve estabelecer um protocolo para laudos futuros –há cerca de 30 em andamento na Operação Lava Jato e centenas de obras apreendidas. "É uma das formas mais tradicionais de se lavar dinheiro, porque a obra de arte não desvaloriza. Pelo contrário, o valor multiplica", comenta a museóloga Patricia Moura, que atuou como laudista na apreensão dos quadros de Duque. "É uma bela poupança que pode ser guardada em qualquer lugar, e invisível aos olhos da maioria." Outras técnicas também estão sendo testadas: num quadro do artista Sergio Telles, por exemplo, que viveu no Líbano, a PF pretende analisar os fungos no fundo da tela, para avaliar se eles são típicos daquela região. A equipe ainda prepara as malas para avaliar o acervo de Márcio Lobão, filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), que teve 1.200 obras apreendidas no Rio de Janeiro. A metodologia pode ter consequências no mercado de arte brasileiro, ao detectar falsificações em galerias, leilões e museus. "Isso denigre o mercado, os espaços de exposição", diz Moura. "É de interesse de todos. Serve para dizer: você não está comprando gato por lebre. E quem ganha, no fim, é o público." O objetivo dos peritos é lançar um "laboratório de obras de arte" na PF, para que os laudos saiam "igual pão quentinho", diz Salvador. O plano, porém, carece de investimento: apenas um dos equipamentos custa R$ 1,5 milhão. Preso há dois anos, Duque, que tenta firmar um acordo de delação, admitiu em depoimento recente que parte dos quadros foi comprada com dinheiro ilícito, mas diz que colecionava por gosto. "Obra de arte não é para ficar fazendo negócio; não é para quem não entende do assunto", afirmou. | Matéria de Estelita Hass Carazzai, de Curitiba, para o jornal “Folha de São Paulo”, em 20/06/17. Casa das Artes Galeria sofre golpe de estelionatário http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=176&ncid=1000&pg=0 A Casa das Artes galeria, em São Paulo, sofreu golpe de um casal estelionatário no dia 27/03/17. Eles compraram uma escultura de um cavalo em bronze (24 x 44 x 22cm), de autoria do artista do espanhol Luis Fernandez Morterero, no valor de R$ 7.480,00. O pagamento foi feito com cheques do banco Santander, cuja conta foi encerrada. Os cheques estão em do nome de Alessandra Metolina. Os dados são válidos, mas a assinatura é divergente. Quem tiver informações sobre o paradeiro da obra, favor entrar em contato com Marta Veloso, no telefone: (11) 3661-9595. Sobre o casal: Homem alto, branco, magro, aparentes 55/65 anos, barba à fazer, cabelos cacheados grisalhos, usava óculos. Apresentou-se como Paulo José e disse que filha ou a irmã viria buscar a obra. Mulher, baixa, pele bronzeada, magra, cabelo chanel de franja com mechas loiras, olhos escuros arredondados, aparenta ter 45/50 anos. Apresentou-se como Alessandra. | Mais informações: Casa das Artes Higienópolis: r. Bahia, 871, tel.(11) 3661-9595. www.casadasartes.com.br/ MAC recebe aula sobre Lavagem de Dinheiro e Obras de Artes http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=175&ncid=1000&pg=0 O Programa de Pós Graduação Interunidades em Estética e História da Arte (PGEHA USP) convida em 08/03/17, às 14h, para a aula inaugural “A Lavagem de Dinheiro e as Obras de Artes”, com o Desembargador Federal Fausto Martin de Sanctis, no Auditório do MAC. O desembargador é autor de vários livros sobre lavagem de dinheiro e é pioneiro nas práticas atuais de justiça de destinam recursos obtidos em delações a entidades filantrópicas, como indenização à sociedade pelos crimes cometidos, além de doações de obras de artes a entidades culturais. Nesta palestra Fausto discute o tema do seu livro “A Lavagem de Dinheiro por meio de Obras de Arte: uma perceptiva Judicial Criminal. Organização da Dra. Cristina Freire. | Mais informações: Auditório do Museu de Arte Contemporânea MAC-USP Parque do Ibirapuera: av. Pedro Álvares Cabral, 1.301, antigo prédio do Detran, tel. (11) 2648-0254. www.mac.usp.br Itália recupera 14 pinturas roubadas da coleção de Mafiosos condenados http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=174&ncid=1000&pg=0 O blog ARCA relatou que a polícia italiana recuperou quatorze pinturas de apartamentos ao sul da Itália. Após um mandado de busca, as autoridades descobriram uma pintura de Jesus curando um cego em uma casa na província de Reggio Calabria. A pintura, roubada em 2001 em Randozzo, na Sicília, foi confirmada na base de dados de bens culturais roubados do país, conduzindo a operação a outro apartamento em Messina, Sicília, onde foram recuperadas mais treze pinturas, incluindo uma de Salvador Dalí e outras cridas por nomes como Renato Guttuso, Giuliana Cappello e Mario Pinizzotto. Acredita-se que essas catorze obras tenham sido parte da coleção privada de , um empresário vinculado às organizações criminosas "Ndrangheta e Camorra". O proprietário da propriedade onde as pinturas foram descobertas é suspeito de ter sido potencialmente um ex-funcionário de Campolo e foi acusado de receber bens roubados. Campolo foi sentenciado a dezesseis anos de prisão domiciliar em 2011 por manter máquinas de caça niqueis. Seus bens, incluindo uma coleção de arte e dinheiro em vinte e sete contas bancárias, foram espalhados, segundo notícias, em propriedades em Paris, Roma, Milão e sua cidade natal de Reggio Calabria. O governo italiano já apreendeu 125 obras de arte da coleção de Campolo em 2013, embora vinte e dois eram aparentemente falsificações e apenas oitenta e cinco são originais comprovados. Eles se tornaram propriedade do governo. Estas peças, incluindo obras de Giorgio de Chirico e Lucio Fontana, estão agora permanentemente expostas no Palácio da Cultura em Reggio Calabria. | Texto publicado no site da revista ArtForum | 13/02/17 Residência Artística Fábrica.Lab Museu Vale | Vitória - ES http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=587&pg=0&ncid=1 Inscrições prorrogadas até 20/09/17. 9° Salão dos Artistas Sem Galeria 2017/2018 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=586&pg=0&ncid=1 As exposições das obras dos artistas selecionados em duas galerias de São Paulo (entre 16/01/18 e 24/02/18), simultaneamente, e em Belo Horizonte (de 10/3 a 20/4/18). Inscrições entre 11 de setembro a 06 de novembro de 2017. 26º Salão de Arte do CCBEU – MABEU Primeiros Passos | Belém | 2017 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=585&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 30/09/17. 1º Edital de Ocupação da Casa Porto das Artes Plásticas – Vitória (ES) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=584&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 25/08/17 para proponentes residentes no município de Vitória. 4ª Edição Novas Poéticas (BA e RJ) 2017 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=583&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 29/07/17. Seleção Exposições Solo Sagrado de Guarapiranga - 2017| 2018 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=582&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 30/09/17. A Nova Arte Política – Fundação Lauro Campos (FLC) | 2017 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=581&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 04/06/17 Coletiva AIREZ 2017 – Curitiba (PR) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=580&pg=0&ncid=1 Galeria Airez, em Curitiba, recebe inscrições até 18/06/17 de artistas interessados em expor seus trabalhos na coletiva Metanóia. Museu Oscar Niemeyer | propostas de exposições http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=579&pg=1&ncid=1 Inscrições abertas até 28/04/17. Museu da Diversidade Sexual (MDS) | MAAP (SP) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=578&pg=1&ncid=1 Inscrições abertas até 12/05/17 para a seleção de propostas e integrar a exposição fotográfica coletiva “Cotidiano Plural”.