destaques
conteúdo
publicidade
supernova
  • Serviço de utilidade pública! Vai até 9/5 o prazo para biometria e recadastramento eleitoral. Basta entrar no site http://www.tre-sp.jus.br/ e agendar! O posto na r. Dr. Falcão Filho, 121 (atrás da prefeitura de São Paulo, logo depois do Viaduto do Chá, à direita) atende rápido e super bem! Tem que levar título de eleitor, RG ou documento com foto e atestado de residência (conta de luz, água etc ). O editor do Mapa das Artes agendou, chegou antes, pegou uma fila minúscula e foi atendido em menos de 10 minutos!
  • The book is on the table! A galeria paulistana Casa Nova Arte e Cultura Contemporânea, de Adriano Casanova, participará entre 17 e 20/5 da 4ª edição da feira de fotografia londrina Photo London (https://photolondon.org). Vai apresentar obras da carioca Claudia Jaguaribe e do alemão Michael Wesely.
  • Arriba, arriba!!! A galeria paulistana Jaqueline Martins participa do evento Condo México 2018, entre 14/4 e 12/5, na Cidade do México, com uma mostra individual do artista libanês Charbel-Joseph H. Boutros na galeria Proyecto Paralelo. O evento Condo México vai receber 49 galerias não-mexicanas em 22 espaços da cidade.
  • A jornalista e assessora de imprensa Solange Viana acaba de lançar seu site-jornal sobre artes plásticas: www.jornaldaqui.com.br. Entre, leia, assine, colabore!

  • O artista plástico e leiloeiro carioca Evandro Carneiro, que durante anos e anos foi leiloeiro oficial de Soraia Cals, no Rio de Janeiro, e que recentemente deixou o posto, busca novamente as luzes da ribalta. Nesta terça-feira, 17/4, inaugura uma nova galeria de arte no Rio de Janeiro. Fica no Gávea Trade Center, na r. Marquês de São Vicente, 124, lojas 108 e 109, Gávea, ao lado da Galeria Contorno, do nosso saudoso Edgard Azevedo.
  • O financiamento coletivo organizado na plataforma Benfeitoria para trazer a censurada exposição “Queermuseu” à Escola de Artes Visuais Parque Lage, no Rio de Janeiro, ultrapassou de longe a meta de R$ 690 mil necessária à realização da mostra sobre diversidade sexual e de gênero. Os 1.677 amantes das artes, da Cultura, do Rio de Janeiro, da democracia e do Brasil se mobilizaram e arrecadaram R$ 1.081.156,00. O valor excedente será usado em atividades paralelas à mostra, mas também poderia ser direcionado para outras atividades relevantes do nosso amado e idolatrado Parque Lage! Chupa Santander!!!
  • A imagem de Beto, o rabugento e adorável astro da Vila Sésamo, observando a polêmica pintura “A Origem do Mundo” (1866), de Gustave Courbet (1819-1877), no Museu de Orsay, em Paris, bateu o recorde de likes do instagram do Mapa das Artes (www.instagram.com/mapadasartesoficial). A imagem já recebeu 607 curtidas em dois dias de exibição. O recorde anterior era do artista ativista chinês Ai Weiwei (1957) durante manifestação contra a censura no vão livre do Masp em 20/10/17, com 521 curtidas,
  • Me chame pelo seu nome 1. A conta no Instagram “cmbynmonet” (www.instagram.com/cmbynmonet/), criada em 13/2/18, já atingiu mais de 50 mil seguidores com apenas 21 posts. A página foi criada pelo estudante filipino Mika Labrague, que pegou momentos-chave do filme “Me Chame pelo Seu Nome” (“Call Me By Monet”) e os inseriu em pinturas de Monet. O filme do diretor siciliano (de Palermo) Luca Guadagnino, que está em cartaz em São Paulo.
  • Me chame pelo seu nome 2. O filme narra a história de amor entre o adolescente Elio, de 17 anos, e o jovem Oliver, de 28, um acadêmico que veio ajudar na pesquisa arqueológica de seu pai durante um quente verão em uma pequena e lânguida cidadezinha no Norte da Itália. O filme ganhou em 4/3/18 o prêmio de melhor roteiro adaptado na 90ª cerimônia do Oscar, estatueta que foi para o cineasta norte-americano James Ivory, autor do roteiro, de 89 anos, que assim se tornou o mais velho vencedor de uma estatueta na história do prêmio.
  • Me chame pelo seu nome 3. O diretor italiano Luca Guadagnino (1971) já flertou com as artes plásticas em sua filmografia, em que se destacam os longas “Io sono l'amore” (2009) e “A Bigger Splash” (2015). O título deste último foi retirado de uma das mais célebres pinturas do artista britânico David Hockney (1937), datada de 1967 e pertencente à coleção da Tate Gallery de Londres. Esta pintura foi revisitada pelo artista plástico goiano Juliano de Moraes (1972) em sua série de gravuras “A Big Splash Series” (2005). As gravuras de Moraes, contudo, são marcadas pela aridez do Planalto Central enquanto que a pintura de Hockney prefere o savoir-vivre do Sul da Califórnia.